Notícias

Sesc comemora Semana do Meio Ambiente em Petrolina

Programação acontece de 4 a 7 de junho com oficinas e jogos didáticos

Foto: Divulgação.

A partir desta terça-feira (4/6), o Sesc Petrolina comemora a Semana do Meio Ambiente com diversas atividades. Até 7 de junho, alunos da unidade e de outras instituições vão poder participar de oficinas para o reuso de materiais recicláveis e jogos didáticos que orientam para a preservação do meio ambiente.

A programação tem início nesta terça (4/6), às 9h, com a oficina para Confecção de Ecobag e reuso de banners. Até a sexta (7/6), os estudantes inscritos para as oficinas terão acesso a técnicas de confecção de brinquedos e organizadores com materiais recicláveis, aromatizadores de ambientes e jogos didáticos.

“A Semana do Meio Ambiente é celebrada por meio deste projeto de educação ambiental orientando crianças e jovens sobre a reciclagem de diversos materiais, o processo de preservação ambiental, consumo responsável e desperdício”, explica a supervisora pedagógica do Sesc Petrolina, Maricelma Barreto.

Sesc – O Serviço Social do Comércio (Sesc) foi criado em 1946. Em Pernambuco, iniciou suas atividades em 1947. Oferece para os funcionários do comércio de bens, serviços e turismo, bem como para o público geral, a preços módicos ou gratuitamente, atividades nas áreas de educação, saúde, cultura, recreação, esporte, turismo e assistência social. Atualmente, existem 20 unidades do Sesc do Litoral ao Sertão do estado, incluindo dois hotéis, em Garanhuns e Triunfo. Essas unidades dispõem de escolas, equipamentos culturais (como teatros e galerias de arte), restaurantes, academias, quadras poliesportivas, campos de futebol, entre outros espaços e projetos. Para conhecer cada unidade, os projetos ou acessar a programação do mês do Sesc em Pernambuco, basta acessar www.sescpe.org.br.

 

Via Fabiano Barros

Notícias

Aldeia Vale Dançar começa nesta terça-feira (23/4)

Com o tema “Corpos Dissidentes”, programação homenageará Chagas Sales, um dos precursores do movimento de Dança em Petrolina

Foto: Divulgação.

Começa nesta terça-feira (23/4) a décima segunda edição da Aldeia Vale Dançar – Festival de Dança do Vale do São Francisco. Realizada pelo Sesc, a programação integra as ações do projeto nacional Palco Giratório e acontece em Petrolina e Juazeiro (BA) até o dia 1º de maio . Na grade, haverá ações formativas, espetáculos de dança, shows musicais e intercâmbio entre artistas de Pernambuco e de outros estados, como Rio de Janeiro e Amapá.

Tendo como tema “Corpos Dissidentes”, este ano o festival homenageia Chagas Sales, um dos precursores do movimento de Dança em Petrolina. Chagas participou do movimento cultural da Escola Marechal Antonio Alves Filho (EMAAF), nos anos 1970, e em 1984 criou as primeiras coreografias do grupo Batuk-ajé. Hoje, é produtor da Festa de Santo Antônio e do Samba de Veio da Ilha do Massangano. “Com a história de Chagas, nossa proposta é discutir os diversos corpos que estão à margem dos padrões, o que é um ato político”, afirma o coordenador da Aldeia, Jailson Lima.

A programação acontecerá no Sesc, na Ilha do Massangano e no CEU das Águas,  em Petrolina e no Espaço Filhos de Zaze, em Juazeiro.  A abertura será nesta terça-feira (23/4), às 20h, no Teatro Dona Amélia, com o espetáculo “Abayomi”, que será apresentado por Camila Yasmine com participação do Grupo Batuk-ajé. Em seguida, será exibido o documentário “Chagas, um homem rio”, de Fernando Pereira.

Única no Brasil com programação totalmente voltada à dança, a Aldeia Vale Dançar é braço cultural do projeto Palco Giratório, que nesta edição traz a Petrolina, no dia 26 de abril, às 20h30, no Teatro Dona Amélia, o espetáculo “Cria”, da Cia Suave / Alice Ripoll (Rio de Janeiro-RJ). Já no dia 27, às 19h, no CEU das Águas, será encenado o espetáculo “Chica, Fulô de Mandacaru”, da Cia Casa Circo (Macapá-AP). No dia 30, no Teatro Dona Amélia, às 20h, a Cia Casa Circo (Macapá-AP), apresentará o espetáculo “A Mulher do Fim do Mundo”.

Como acontece tradicionalmente em todas as edições, o encerramento da Aldeia Vale Dançar ocorrerá no dia 1º de maio, a partir das 9h, com o “OverDança”. Serão 12 horas ininterruptas de programação, com dança, intervenções, mercado cultural, música com a DJ Candite (Petrolina) e show da cantora Márcia Castro (Salvador–BA), que traz o repertório do seu último disco, “Treta”.

Parte da programação é gratuita, exceto as que acontecem no Teatro Dona Amélia, com ingresso a R$10 para o público em geral e R$ 5 para trabalhadores do comércio de bens, serviços e turismo e seus dependentes. Para o Overdança, a entrada custa R$ 5 ou 1 kg de alimento não-perecível.

Serviço: Aldeia Vale Dançar

Data: De 23 de abril a 1º de maio

Locais: Teatro Dona Amélia (Rua Pacífico da Luz, 618, Centro, Petrolina); Espaço Cultural Filho de Zaze (Avenida Dom José Rodrigues, 566, Quidé, Juazeiro-BA); CEU das Águas (Rua do Tamarindo, Rio Corrente, Petrolina); e Ilha do Massangano.

Informações: (87) 3866-7454

Programação:

23/04 – (Terça)                

20h – Teatro D. Amélia | Espetáculo “Abayomi” | Camila Yasmine (Petrolina-PE) e Participação do Grupo Batuk-ajé (Petrolina-PE) | e Exibição do documentário “Chagas, um homem rio” | Fernando Pereira (Petrolina-PE) | 60min

24/04 – (Quarta)     

16h – Teatro D. Amélia | Vetor | Coletivo Incomum de Dança e APAE (Petrolina-PE)

19h – CEU das Águas | Barcool | Confraria 27 (Petrolina-PE) | 120 min | 18 anos                                                                         19h30 – Teatro D. Amélia | Exibição do filme “Corpo Elétrico” e Conversa Corpos elétricos em diálogos | Lucas Andrade (São Paulo-SP), Élson Rabelo (Petrolina-PE), Eduardo Rocha (Juazeiro-BA) e Naruna Freitas (Recife-PE)

25/04 – (Quinta) 

16h – Sala de Teatro | Pensamento Giratório: Cia Suave (Rio de Janeiro-RJ) e Cia de Dança do Sesc (Petrolina-PE)           19h – CEU das Águas | O Nascimento do Grito | Natalia Agla (Petrolina-PE) | 40 min | 18 anos                                                  19h – Biblioteca | Lançamento do Livro “Angel Vianna através da história – a trajetória da dança da vida” | Juliana Ribeiro (João Pessoa-PB) | 60 min                                                                                                                                                                20h30 – Teatro D. Amélia | Rio de Contas | Cia de Dança do Sesc (Petrolina-PE) | 45 min

26/04 – (Sexta)                                                                                                                                                                                               16h – Sala de Teatro | Corpo, Dança e Envelhecimento | Denise Stutz (Rio de Janeiro-RJ), Juliana Ribeiro (João Pessoa-PB), Leidy Costa (Petrolina-PE) e Clara Isis (Juazeiro-BA)

19h – CEU das Águas | Ossain em trânsito | Marilza Oliveira (Salvador-BA) | 15min | Livre                                                       20h30 – Teatro D. Amélia | Cria | Cia Suave / Alice Ripoll | (Rio de Janeiro-RJ) | 50 min | 14 anos – Palco Giratório                                                                                                                                                                     21h – Espaço Filhos de Zaze | Festa de GuerreirX | Tamboriadores (Petrolina-PE), Afoxé Filhos de Zaze (Juazeiro-BA) e Coco de Umbigada (Olinda-PE) | 180 min | Livre

27/04 – (Sábado) 

16h – Sala de Teatro | Corpo e Ancestralidade | Marilza Oliveira (Salvador-BA), Beth de Oxum (Olinda-PE), Edna Rosa (Juazeiro-BA)  e João José S. Borges (Juazeiro-BA)

19h – CEU das Águas | Chica, Fulô de Mandacaru | Cia Casa Circo (Macapá-AP) | 45 min | 12 anos – Palco Giratório                                                                                                                                           20h30 – Teatro D. Amélia | Só | Denise Stutz (Rio de Janeiro-RJ) | 50 min | 14 anos

22h – Espaço Cubículo | Dança ao Cubo | Brena Gonçalves (Ilhéus-BA) e Sandra Guimarães (Petrolina-PE)

28/04 – (Domingo)     

15h – Teatro D. Amélia | Mostra Dia Internacional da Dança

16h – Ilha do Massangano | Baronesa | Laís Bione e Yane Andrade (Juazeiro-BA)

Debaixo D’Água | Coletivo Trippé (Petrolina-PE/Juazeiro-BA) | 50min | Livre

17h – Ilha do Massangano | Hortênsia | Daniela Amoroso (Salvador-BA) | 40 min | Livre

18h – Ilha do Massangano | Reisado do Lambedor (Lagoa Grande-PE), Reisado da Mata de São José (Orocó-PE) e Baque Opara (Petrolina-PE) e Exibição do documentário “Chagas, um homem rio” | Fernando Pereira (Petrolina-PE) | 120 min | Livre

20h – Ilha do Massangano | Coco de Umbigada (Olinda-PE) e Samba de Veio da Ilha do Massangano (Petrolina-PE) | 100 min | Livre

29/04 – (Segunda)   

16h – Sala de Teatro | Pensamento Giratório: Ane Caroline (Macapá-AP) e Daniela Amoroso (Salvador-BA) e Laís Bione (Juazeiro-BA)

19h – Sala de Dança | O homem que Dança: a presença do corpo masculino na dança contemporânea (Demonstração da pesquisa) | Qualquer Um dos 2 Cia de Dança (Petrolina-PE) | 40 min | 16 anos

20h30 – Teatro D. Amélia | A Notícia | Caleidos Cia de Dança (São Paulo-SP) | 45 min | 16 anos

30/04 – (Terça)         

16h – Biblioteca | Palestra “Corpos Dissidentes” | Isabel Marques (São Paulo-SP)

19h – Sala de Dança | Sobre o tempo | Grupo IntensIDADE  e Solo Sem idade | Grupo de Dança da 3ª Idade do Sesc (Petrolina-PE)

20h – Teatro D. Amélia | A Mulher do Fim do Mundo | Cia Casa Circo (Macapá-AP) | 35 min – Palco Giratório

01/05 – (Quarta) – OverDança 

09h – Sala de Teatro | Seminário Pensamento de Um corpo que Dança| Cia de Dança do Sesc (Petrolina-PE)                        13h – Espaço da Cantina | DJ Candite (Petrolina-PE)

14h – Sala de Dança | Palestra “Descomplicando a acessibilidade para projetos culturais” | Andreza Nóbrega   (Recife-PE)

15h – Salão | O espetáculo é a periferia: encontro de danças urbanas

16h – Teatro D. Amélia | Debaixo D’Água | Coletivo Trippé (Petrolina-PE/Juazeiro-BA) | 50min                                             17h – Corredor  e Salão | Mercado Cultural

17h – Palco Alternativo | Magdalenas | 60min | Livre                                                                                                                           18h – Teatro D. Amélia | Em Movimento | Grupo Moendança (Goiana-PE) | 40min | Livre

19h – Salão  | Não Alimente os Animais | Jaqueline Vasconcellos (Salvador-BA)

19h – Palco Alternativo | Made in Quebrada | Juazeiro-BA | 90min | 16 anos

20h – Espaço da Cantina | Há Dois | Cia Dance Mais (Petrolina-PE)                                                                                              21h – Teatro D. Amélia | Procedimento Chão | Interior Coletivo (Belo Jardim-PE) | 40 min | Livre

21h – Rua | Dança no Asfalto | SerTão Pé Quente (Petrolina-PE)                                                                                                      22h – Palco Alternativo | Treta | Márcia Castro (Salvador-BA) | 90 min | 16 anos

 

Via Fabiano Barros

Notícias

Aldeia Vale Dançar em Petrolina homenageia Chagas Sales

A programação acontecerá no Sesc, na Ilha do Massangano e no CEU das Águas, em Petrolina e no Espaço Filhos de Zaze, em Juazeiro

Foto: Divulgação.

De 23 de abril a 1º de maio, Petrolina volta a ser a capital da dança no Sertão, com a décima segunda edição da Aldeia Vale Dançar – Festival de Dança do Vale do São Francisco. Realizada pelo Sesc, a programação integra as ações do projeto nacional Palco Giratório e acontece em Petrolina e Juazeiro (BA). Na grade, haverá ações formativas, espetáculos de dança, shows musicais e intercâmbio entre artistas de Pernambuco e de outros estados, como Rio de Janeiro e Amapá.

Tendo como tema “Corpos Dissidentes”, este ano o festival homenageia Chagas Sales, um dos precursores do movimento de Dança em Petrolina. Chagas participou do movimento cultural da Escola Marechal Antonio Alves Filho (EMAAF), nos anos 1970, e em 1984 criou as primeiras coreografias do grupo Batuk-ajé. Hoje, é produtor da Festa de Santo Antônio e do Samba de Veio da Ilha do Massangano. “Com a história de Chagas, nossa proposta é discutir os diversos corpos que estão à margem dos padrões, o que é um ato político”, afirma o coordenador da Aldeia, Jailson Lima.

A programação acontecerá no Sesc, na Ilha do Massangano e no CEU das Águas, em Petrolina e no Espaço Filhos de Zaze, em Juazeiro.  A abertura será na terça-feira (23/4), às 20h, no Teatro Dona Amélia, com o espetáculo “Abayomi”, que será apresentado por Camila Yasmine com participação do Grupo Batuk-ajé. Em seguida, será exibido o documentário “Chagas, um homem rio”, de Fernando Pereira.

Única no Brasil com programação totalmente voltada à dança, a Aldeia Vale Dançar é braço cultural do projeto Palco Giratório, que nesta edição traz a Petrolina, no dia 26 de abril, às 20h30, no Teatro Dona Amélia, o espetáculo “Cria”, da Cia Suave / Alice Ripoll (Rio de Janeiro-RJ). Já no dia 27, às 19h, no CEU das Águas, será encenado o espetáculo “Chica, Fulô de Mandacaru”, da Cia Casa Circo (Macapá-AP). No dia 30, no Teatro Dona Amélia, às 20h, a Cia Casa Circo (Macapá-AP), apresentará o espetáculo “A Mulher do Fim do Mundo”.

Como acontece tradicionalmente em todas as edições, o encerramento da Aldeia Vale Dançar ocorrerá no dia 1º de maio, a partir das 9h, com o “OverDança”. Serão 12 horas ininterruptas de programação, com dança, intervenções, mercado cultural, música com a DJ Candite (Petrolina) e show da cantora Márcia Castro (Salvador–BA), que traz o repertório do seu último disco, “Treta”.

Parte da programação é gratuita, exceto as que acontecem no Teatro Dona Amélia, com ingresso a R$10 para o público em geral e R$ 5 para trabalhadores do comércio de bens, serviços e turismo e seus dependentes. Para o Overdança, a entrada custa R$ 5 ou 1 kg de alimento não-perecível.

Oficinas – A Aldeia Vale Dançar também traz ações formativas voltadas para iniciantes e artistas profissionais ou com alguma experiência. As inscrições já estão abertas e podem ser realizadas enquanto houver vagas. No dia 25, das 9h às 12h, o Palco Giratório promove a oficina “Passinho/Dancinha”, que será ministrada por dançarinos da Cia Suave (Rio de Janeiro-RJ). No dia seguinte, também das 9h às 12h, a professora Denise Stutz, do Rio de Janeiro, ministrará a oficina “Dramaturgia do corpo presente”.

Para jovens a partir de 16 anos, o público poderá participar, nos dias 26 e 27 de abril, das 09h às 12h, da oficina “Dança da Poética de Ossain”, com Marilza Oliveira e Ricardo Costa (Salvador-BA). Nos mesmos dias e horários, das 9h às 13h, haverá a Oficina Texto e Movimento Expressivo, do Palco Giratório, ministrada por Jones Barsou e Ana Caroline (Macapá-AP).

Nos dias 29 e 30 de abril, serão realizadas três oficinas: “Dança dos Afetos: consciência corporal e experiência sensível de si-mesmo”, das 8h às 11h, com Renata Camargo (Recife-PE);  “O giro de Hortênsia: dançando nossas fissuras”, das  9h às 13h, com Daniela Amoroso (Salvador-BA); e “Laban no Contexto – Contatos e Relações”,  voltada para o público maior de 18 anos, das 9h às 13h, com Isabel Marques (São Paulo-SP). A inscrição pode ser feita no Ponto de Atendimento Sesc Petrolina e custa R$ 20. Trabalhadores do comércio e dependentes têm desconto e pagam R$ 10. Para se inscrever, é necessário possuir o Cartão do Sesc atualizado. A emissão do cartão custa R$8 para o público geral e R$ 4 para trabalhadores do comércio e dependentes.

 

Serviço: Aldeia Vale Dançar

Data: De 16 a 28 de abril

​Locais: Teatro Dona Amélia (Rua Pacífico da Luz, 618, Centro, Petrolina); Espaço Cultural Filho de Zaze (Avenida Dom José Rodrigues, 566, Quidé, Juazeiro-BA); CEU das Águas (Rua do Tamarindo, Rio Corrente, Petrolina); e Ilha do Massangano.

Informações: (87) 3866-7454

Notícias

Aldeia Vale Dançar homenageia Chagas Sales

Com o tema “Corpos Dissidentes”, programação ocorrerá de 23 de abril a 1º de maio, em Petrolina e Juazeiro. Inscrições para oficinas já estão abertas.

Foto: Gui Paganini

De 23 de abril a 1º de maio, Petrolina volta a ser a capital da dança no Sertão, com a décima segunda edição da Aldeia Vale Dançar – Festival de Dança do Vale do São Francisco. Realizada pelo Sesc, a programação integra as ações do projeto nacional Palco Giratório e acontece em Petrolina e Juazeiro (BA). Na grade, haverá ações formativas, espetáculos de dança, shows musicais e intercâmbio entre artistas de Pernambuco e de outros estados, como Rio de Janeiro e Amapá.

Tendo como tema “Corpos Dissidentes”, este ano o festival homenageia Chagas Sales, um dos precursores do movimento de Dança em Petrolina. Chagas participou do movimento cultural da Escola Marechal Antonio Alves Filho (EMAAF), nos anos 1970, e em 1984 criou as primeiras coreografias do grupo Batuk-ajé. Hoje, é produtor da Festa de Santo Antônio e do Samba de Veio da Ilha do Massangano. “Com a história de Chagas, nossa proposta é discutir os diversos corpos que estão à margem dos padrões, o que é um ato político”, afirma o coordenador da Aldeia, Jailson Lima.

A programação acontecerá no Sesc, na Ilha do Massangano e no CEU das Águas,  em Petrolina e no Espaço Filhos de Zaze, em Juazeiro.  A abertura será na terça-feira (23/4), às 20h, no Teatro Dona Amélia, com o espetáculo “Abayomi”, que será apresentado por Camila Yasmine com participação do Grupo Batuk-ajé. Em seguida, será exibido o documentário “Chagas, um homem rio”, de Fernando Pereira.

Única no Brasil com programação totalmente voltada à dança, a Aldeia Vale Dançar é braço cultural do projeto Palco Giratório, que nesta edição traz a Petrolina, no dia 26 de abril, às 20h30, no Teatro Dona Amélia, o espetáculo “Cria”, da Cia Suave / Alice Ripoll (Rio de Janeiro-RJ). Já no dia 27, às 19h, no CEU das Águas, será encenado o espetáculo “Chica, Fulô de Mandacaru”, da Cia Casa Circo (Macapá-AP). No dia 30, no Teatro Dona Amélia, às 20h, a Cia Casa Circo (Macapá-AP), apresentará o espetáculo “A Mulher do Fim do Mundo”.

Como acontece tradicionalmente em todas as edições, o encerramento da Aldeia Vale Dançar ocorrerá no dia 1º de maio, a partir das 9h, com o “OverDança”. Serão 12 horas ininterruptas de programação, com dança, intervenções, mercado cultural, música com a DJ Candite (Petrolina) e show da cantora Márcia Castro (Salvador–BA), que traz o repertório do seu último disco, “Treta”.

Parte da programação é gratuita, exceto as que acontecem no Teatro Dona Amélia, com ingresso a R$10 para o público em geral e R$ 5 para trabalhadores do comércio de bens, serviços e turismo e seus dependentes. Para o Overdança, a entrada custa R$ 5 ou 1 kg de alimento não-perecível.

Oficinas – A Aldeia Vale Dançar também traz ações formativas voltadas para iniciantes e artistas profissionais ou com alguma experiência. As inscrições já estão abertas e podem ser realizadas enquanto houver vagas. No dia 25, das 9h às 12h, o Palco Giratório promove a oficina “Passinho/Dancinha”, que será ministrada por dançarinos da Cia Suave (Rio de Janeiro-RJ). No dia seguinte, também das 9h às 12h, a professora Denise Stutz, do Rio de Janeiro, ministrará a oficina “Dramaturgia do corpo presente”.

Para jovens a partir de 16 anos, o público poderá participar, nos dias 26 e 27 de abril, das 09h às 12h, da oficina “Dança da Poética de Ossain”, com Marilza Oliveira e Ricardo Costa (Salvador-BA). Nos mesmos dias e horários, das 9h às 13h, haverá a Oficina Texto e Movimento Expressivo, do Palco Giratório, ministrada por Jones Barsou e Ana Caroline (Macapá-AP).

Nos dias 29 e 30 de abril, serão realizadas três oficinas: “Dança dos Afetos: consciência corporal e experiência sensível de si-mesmo”, das 8h às 11h, com Renata Camargo (Recife-PE);  “O giro de Hortênsia: dançando nossas fissuras”, das  9h às 13h, com Daniela Amoroso (Salvador-BA); e “Laban no Contexto – Contatos e Relações”,  voltada para o público maior de 18 anos, das 9h às 13h, com Isabel Marques (São Paulo-SP). A inscrição pode ser feita no Ponto de Atendimento Sesc Petrolina e custa R$ 20. Trabalhadores do comércio e dependentes têm desconto e pagam R$ 10. Para se inscrever, é necessário possuir o Cartão do Sesc atualizado. A emissão do cartão custa R$8 para o público geral e R$ 4 para trabalhadores do comércio e dependentes.

 

Serviço: Aldeia Vale Dançar

Data: De 23 de abril a 1º de maio

Locais: Teatro Dona Amélia (Rua Pacífico da Luz, 618, Centro, Petrolina); Espaço Cultural Filho de Zaze (Avenida Dom José Rodrigues, 566, Quidé, Juazeiro-BA); CEU das Águas (Rua do Tamarindo, Rio Corrente, Petrolina); e Ilha do Massangano.

Informações: (87) 3866-7454

Programação:

23/04 – (Terça)

20h – Teatro D. Amélia | Espetáculo “Abayomi” | Camila Yasmine (Petrolina-PE) e Participação do Grupo Batuk-ajé (Petrolina-PE) | e Exibição do documentário “Chagas, um homem rio” | Fernando Pereira (Petrolina-PE) | 60min

24/04 – (Quarta)                                                                                                                                                                                           16h – Teatro D. Amélia | Vetor | Coletivo Incomum de Dança e APAE (Petrolina-PE)

19h – CEU das Águas | Barcool | Confraria 27 (Petrolina-PE) | 120 min | 18 anos                                                                        19h30 – Teatro D. Amélia | Exibição do filme “Corpo Elétrico” e Conversa Corpos elétricos em diálogos | Lucas Andrade (São Paulo-SP), Élson Rabelo (Petrolina-PE), Eduardo Rocha (Juazeiro-BA) e Naruna Freitas (Recife-PE)

25/04 – (Quinta)

16h – Sala de Teatro | Pensamento Giratório: Cia Suave (Rio de Janeiro-RJ) e Cia de Dança do Sesc (Petrolina-PE)           19h – CEU das Águas | O Nascimento do Grito | Natalia Agla (Petrolina-PE) | 40 min | 18 anos

 

Via Fabiano Barros

Notícias

Experimenta Cena reflete sobre a criação teatral e performática

A partir desta quinta-feira (28/3), programação conta com performances, espetáculo e mesas-redondas no Teatro Dona Amélia e na Praça do Bambuzinho

Foto: Divulgação

No próximo fim de semana, de 28 a 31 de março, o Sesc Petrolina realiza, na Praça do Bambuzinho e no Teatro Dona Amélia, a oitava edição do Experimenta Cena. O projeto, que visa promover a experiência teatral, tem como tema este ano o mote “Entre Lugares”. A proposta celebra a experimentação e reflete sobre o lugar de assimetria entre a criação teatral e performática e o intérprete na cena contemporânea.  A maioria das atividades é gratuita, sendo apenas um espetáculo pago, a preços acessíveis.

Realizado na semana em que se comemora do Dia Mundial do Teatro (27/3), o Experimenta Cena traz para o público performances, espetáculo e mesas-redondas. A abertura acontecerá quinta-feira (28/3), às 18h, na Praça do Bambuzinho, com a performance “Digerindo Lixo”, apresentada pelo multiartista Lucas Tavares (Juazeiro-BA). Em seguida, às 19h, no Teatro Dona Amélia, será realizada a mesa-redonda “Qual o lugar de fala da atriz na Cena Contemporânea?”, com a participação das artistas Cátia Cardoso, Fabiana Pirro, Juliene Moura e Raphaela de Paul. A mediação será de Monique Paulino.

Na sexta-feira (29/3), o Rizoma Companhia de Teatro (Jacobina-BA) levará à Praça do Bambuzinho, a partir das 18h, a performance “Evocando as Ausências”, um duo com os performers Iago Setúbal e Ana Vicente. Às 19h, acontecerá mais uma mesa-redonda no Teatro Dona Amélia, desta vez sobre o tema “Entre Lugares: Performance e cena teatral”, com a participação de Breno Fitipaldi, Iago Setúbal, Lucas Tavares e José Lírio. A mediação será do diretor Thom Galiano.

O Núcleo de Teatro do Sesc Petrolina e a Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz, apresentarão ao meio-dia de sábado (30/3), também na Praça do Bambuzinho, “Procura-se um Corpo – Ação nº 3”. A performance, fruto do trabalho desenvolvido no Experimenta Cena de 2015, aborda a história de vítimas da ditadura militar no país, provocando uma reflexão sobre a memória e as perspectivas para o futuro, como propõe o tema do projeto.

Ainda no sábado, às 20h, no Teatro Dona Amélia, Fabiana Pirro subirá ao palco com o espetáculo “Obscena”. Com direção de Luciana Lyra, “Obscena” é uma ode ao teatro, que tem como foco central a escritora e dramaturga paulista Hilda Hilst. A classificação indicativa do espetáculo é de 16 anos. É o único espetáculo pago da programação, com ingressos a R$ 10. Estudantes têm direito à meia-entrada e trabalhadores do comércio e dependentes entram de graça.

O Experimenta Cena 2019 será encerrado no domingo (31/3), às 19h, no Teatro Dona Amélia, com a apresentação de “O Performer em Solo: Violação e Cura”, dez performances resultantes do trabalho desenvolvido por artistas que participaram este ano de uma imersão orientada pelo professor de artes Breno Fitipaldi e pela atriz Fabiana Pirro. Com classificação indicativa de 18 anos, serão apresentadas performances de Camila Rodrigues, Jesus, José Lírio Costa, Laiane dos Santos, Cátia Cardoso, Márcio Salle, Joedson Silva, Ruthe Maciel, Severo Fiho e Cássio Viana.  “O projeto promove a experiência teatral, fortalecendo a produção local e  estimulando novas criações. A ideia é que esses dez artistas criem performances solos voltadas para o resgate interior da memória de cada um, e que eles passassem por um processo de cura com esse ato performático”, explica o coordenador do Experimenta Cena, Thom Galiano.

 

Serviço: Projeto Experimenta Cena

Data: De 28 a 31 de março

Locais: Praça do Bambuzinho e Teatro Dona Amélia

Entrada gratuita: Performances e mesas-redondas

Espetáculo “Obscena”

Valores: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia) / Entrada gratuita para trabalhadores do comércio de bens, serviços e turismo e seus dependentes

Informações: (87) 3866-7454

 

Via Fabiano Barros

 

 

 

Notícias

Cine Dona Amélia abre temporada 2019 nesta quarta (13/3)

Serão exibidos gratuitamente os filmes “O Menino no Espelho” e “Com amor, Van Gogh”, no Sesc Petrolina

O menino no espelho. Foto: Reprodução.

Nesta quarta-feira (13/3), o Cine Dona Amélia inicia a temporada 2019 de exibições de filmes no Sesc Petrolina. Dois longas-metragens abrem a programação gratuita. A primeira sessão será realizada às 14h, com o longa-metragem “O Menino no Espelho”. Às 19h, o público poderá conferir a animação “Com amor, Van Gogh”.

“O Menino no Espelho”, do diretor Guilherme Fiúza Zenha, é ambientado na década de 1930, em Belo Horizonte – MG. O filme conta a história de Fernando, um garoto de 10 anos que está cansado de fazer as coisas chatas da vida. Seu sonho era criar um sósia, que ficasse com estas tarefas enquanto ele poderia se divertir à vontade. Até que, um dia, é exatamente isto que acontece, quando o reflexo de Fernando deixa o espelho e ganha vida. A classificação etária do filme é livre.

Às 19h será exibida a animação biográfica “Com amor, Van Gogh”, dirigida por Dorota Kobiel e Hugh Welchman. O filme se passa em 1891, um ano após o suicídio de Vincent Van Gogh, quando o carteiro e amigo pessoal do artista, Armand Roulin, parte para a cidade francesa de Arles, onde inicia uma investigação junto às pessoas que conheceram Van Gogh, para confirmar se ele realmente se matou. A classificação do filme é 12 anos.

Após a exibição do filme “Com amor, Van Gogh”, o público terá a oportunidade de participar de um bate-papo sobre direção de arte para o cinema, com a participação do cineasta Robério Brasileiro. O Cine Dona Amélia integra o projeto nacional Cine Sesc, que promove a circulação, difusão e o acesso a produções cinematográficas nacionais e internacionais.

Cine Sesc – O CineSesc é um dos maiores circuitos de exibição de filmes no país. Com mais de uma década de existência, a iniciativa promove a circulação, difusão e o acesso a produções cinematográficas nacionais e internacionais. Apresenta obras com formas narrativas impactantes e que trazem reflexões sobre relevantes questões sociais, sempre alinhadas com os princípios sociais que movem a Instituição, incentivando o debate em torno do cinema brasileiro e internacional, comercial ou independente, em um eixo educativo, artístico e cultural. Nessa perspectiva, o projeto propõe um recorte temático, com filmes que abordam assuntos sociais relevantes. Anualmente, o CineSesc licencia filmes que são exibidos nas unidades da Instituição durante 2 anos. O acervo passa por 250 municípios, em 27 estados brasileiros. Em mais de uma década, cerca de 3 milhões de pessoas foram beneficiadas pela iniciativa.

Serviço: Cine Dona Amélia

Local: Cine Teatro Dona Amélia, no Sesc Petrolina

Data: 13 de março, às 14h e às 19h

Entrada gratuita

Informações: (87) 3866-7454

 

Via Fabiano Barros

Notícias

“Janeiro Tem Mais Artes” começa nesta terça-feira (22/1)

Programação conta com exposição, espetáculos de música, dança e teatro

Foto: Divulgação.

A partir desta terça-feira (22/1) Petrolina será palco da 12ª edição do Festival Janeiro Tem Mais Artes. Realizado pelo Sesc, o projeto acontecerá até o dia 31 de janeiro, com o objetivo de valorizar a produção local, democratizar o acesso à arte e fortalecer a economia criativa, ampliando os espaços de apreciação estética no mês de janeiro.

A abertura do festival acontecerá às 19h, no hall do Teatro Dona Amélia, com a exposição “Vazante”, da artista plástica Lys Valentim. Em seguida, às 20h30, o Coro Vozes do Sertão, do IF Sertão (Petrolina), se apresentará no Teatro. Na quarta-feira (23/1), a programação terá início às 19h na Sala de Dança do Sesc, com o espetáculo “O Nascimento do Grito”, com Natália Agla (Petrolina). Às 20h30 o Núcleo de Teatro do Sesc Petrolina apresentará o premiado espetáculo “3X Plínio Marcos”, no Teatro Dona Amélia. As duas atrações da noite de quarta-feira têm classificação indicativa de 18 anos.

Na quinta-feira (24/1), a Cia de Dança do Sesc Petrolina vai apresentar na Sala de Dança a “Mostra 2 Minutos Para a Dança”. Em seguida, às 20h30, no Teatro Dona Amélia, o grupo Confraria 27 (Petrolina), apresentará o espetáculo de dança “Casa Azul”. Na sexta-feira (25/1), a dançarina e pesquisadora Daniela Amoroso (Salvador-BA) abrirá a programação, às 19h30, no Teatro Dona Amélia, com o espetáculo “Hortênsia”. Na sequência, a cantora Andrezza Santos (Juazeiro-BA), lançará o disco “Alto Lá”.

A programação de sábado (26/1) será aberta com um espetáculo voltado para a criançada, a peça “Estelita entre Fadas e Outros Bichos”, que será apresentada às 19h, no Teatro Dona Amélia, pela Trupe Errante (Petrolina-PE). Às 20h30, o grupo TPA – Teatro Popular de Arte (Petrolina-PE) sobe ao palco para apresentar a peça “A Cantora Careca”, espetáculo com classificação indicativa de 12 anos. A noite será encerrada com muita alegria às 22h na Associação das Mulheres Rendeiras, no bairro José e Maria, com a Festa das Rendeiras, que reunirá o Samba das Cumades (Salvador-BA) e Magdalenas (Petrolina-PE).

No domingo (27/1), o Coletivo Trippé (Petrolina), apresentará a partir das 19h, na Sala de Dança o espetáculo “Janela para Navegar Mundos”.  Às 20h30 a Qualquer Um dos 2 Cia de Dança, levará ao palco “Para Sempre Teu”. Segunda-feira (28/1) a programação será aberta às 19h, na escada de acesso ao Teatro Dona Amélia, com a apresentação de “Genuína”, do grupo Circo no Asfalto (Santo André-SP). Em seguida, às 20h30, no Teatro, a Cia de Dança do Sesc Petrolina apresentará o espetáculo “Rio de Contas”.

No dia 29/1, o sarau “Vozes Mulheres: Além das Margens (Juazeiro-BA), acontecerá às 19h, na Sala de Dança. Logo depois, o Núcleo Biruta de Teatro, apresentará, no Teatro, “Processo Medusa”. A programação de quarta-feira (30/1) será aberta às 19h, na escadaria do Teatro Dona Amélia, pela atriz Fabiana Pirro (Recife-PE), que encenará “Medusa”. Depois, no Teatro, o público poderá assistir ao espetáculo “Que Corpo É Esse?”, do Coletivo Incomum de Dança (Petrolina-PE).

O Janeiro Tem Mais Artes terminará na quinta-feira (31/1), com uma programação que destaca as mulheres. Às 19h na sala de dança, uma roda de conversa intitulada “Conversas de Medusas”, reunirá Fabiana Pirro (Recife-PE), Cris Crispim (Petrolina-PE) e Pók Ribeiro (Juazeiro-BA). A noite será encerrada com o “Mulheres em Movimento”, às 20h30, no Teatro, que contará com as seguintes performances: “Sambioníca”, Laís Bione; “Umas”, por Eliza Oliver; “Os Três Pontos”, de Fernanda Luz; e “O que você vê quando me olha”, com Cíntia Melo”.

Os ingressos para as apresentações custam R$ 10 (Inteira) e R$ 5 (Meia), por noite, garantindo acesso a todos os espetáculos na data escolhida. Trabalhadores do Comércio de Bens, Serviços e Turismo e seus dependentes têm acesso gratuito. A entrada é limitada à capacidade de cada espaço.

 

Por Fabiano Barros

Notícias

Sesc Petrolina inscreve para cursos de Cultura

Estão sendo oferecidas aulas de teatro, dança e artes visuais para crianças e adultos

O Sesc Petrolina está com inscrições abertas para cursos de Cultura. A partir desta segunda-feira (14/1), os alunos veteranos podem efetuar suas matrículas. Para novos alunos, as inscrições terão início na quinta-feira (17/1).  As aulas estão previstas para começar em fevereiro, com opções de cursos para crianças, adultos e idosos. Os valores, populares, variam de acordo com a linguagem escolhida e as inscrições podem ser realizadas no Ponto de Atendimento da Unidade.

O objetivo do Sesc é promover a interação com as diversas linguagens artísticas, utilizando a cultura como ferramenta de transformação do indivíduo e da sociedade. Quem se identifica com a arte de atuar, por exemplo, pode se inscrever para os cursos de iniciação teatral. São duas turmas, uma com idade mínima para inscrição a partir de 7 anos, com aulas as quartas e sextas-feiras, das 16h às 18h; e outra para jovens a partir de 14 anos, também com aulas as quartas e sextas-feiras, das 19h às 22h.

Para quem deseja participar de aulas de dança o Sesc oferece diversas opções. Há turmas para crianças, com idade a partir de 7 anos, com aulas as terças e quintas-feiras, das 17h às 18h30. O curso de dança contemporânea também tem aulas as terças e quintas-feiras, das 19h às 20h, para o público a partir de 14 anos. Para se inscrever nas aulas de dança de salão, os interessados têm que ter idade mínima de 14 anos, com opções de aulas as segundas e quartas-feiras, das 17h às 18h30 ou das 19h às 20h30.

Outra opção são as aulas de balé clássico com turmas para crianças de 4 a 6 anos, de 7 a 9 anos, 10 a 13 anos e a partir de 16 anos. Para qualquer uma das turmas, o aluno terá duas aulas por semana. O Sesc também está inscrevendo para duas turmas de dança voltadas a  terceira idade, com aulas as terças e quintas-feiras, das 8h às 9h ou das 10h às 11h.

As artes visuais também têm espaço garantido na grade de cursos do Sesc. Para a criançada de 7 a 12 anos de idade, o Sesc oferece o curso de pintura – artes para crianças, com aulas as terças e quintas-feiras, das 14h às 16h. Outra opção são as aulas de pintura para crianças a partir de 12 anos de idade, as terças e quintas-feiras, das 18h às 20h. Para adultos e jovens a partir de 14 anos, é possível se inscrever para o curso de bordado criativo, com aulas as terças e quintas, das 16h às 18h.

Núcleos de Estudo – Também estão abertas as inscrições gratuitas para os Núcleos de Estudo. Maiores de 16 anos podem se inscrever no Núcleo de Estudo e Pesquisa em Literatura – NEPEL, com encontros das 19h às 22h, todas as quintas-feiras; e para o Laboratório Criativo, voltado às Artes Visuais, com encontros segundas e quartas-feiras das 14h às 17h. Para participar não é necessários pagar nada, apenas ter mais de 16 anos e novos alunos precisam apresentar uma carta de intenção.

 

Via Fabiano Barros

Notícias

“Janeiro Tem Mais Artes” movimenta Petrolina

Programação conta com exposição, espetáculos de música, dança e teatro

Foto: Lizandra Martins

De 22 a 31 de janeiro, Petrolina será palco da 12ª edição do Festival Janeiro Tem Mais Artes. Realizado pelo Sesc, o projeto tem o objetivo de valorizar a produção local, democratizar o acesso à arte e fortalecer a economia criativa, ampliando os espaços de apreciação estética no mês de janeiro, período onde tradicionalmente eram oferecidas poucas programações culturais na região.

A abertura do festival acontecerá no dia 22/1, a partir das 19h, no hall do Teatro Dona Amélia, com a exposição “Vazante”, da artista plástica Lys Valentim. Em seguida, às 20h30, o Coro Vozes do Sertão, do IF Sertão (Petrolina), se apresentará no Teatro. Na quarta-feira (23/1), a programação terá início às 19h na Sala de Dança do Sesc, com o espetáculo “O Nascimento do Grito”, com Natália Agla (Petrolina). Às 20h30 o Núcleo de Teatro do Sesc Petrolina apresentará o premiado espetáculo “3X Plínio Marcos”, no Teatro Dona Amélia. As duas atrações da noite de quarta-feira têm classificação indicativa de 18 anos.

Na quinta-feira (24/1), a Cia de Dança do Sesc Petrolina vai apresentar na Sala de Dança a “Mostra 2 Minutos Para a Dança”. Em seguida, às 20h30, no Teatro Dona Amélia, o grupo Confraria 27 (Petrolina), apresentará o espetáculo de dança “Casa Azul”. Na sexta-feira (25/1), a dançarina e pesquisadora Daniela Amoroso (Salvador-BA) abrirá a programação, às 19h30, no Teatro Dona Amélia, com o espetáculo “Hortênsia”. Na sequência, a cantora Andrezza Santos (Juazeiro-BA), lançará o disco “Alto Lá”.

A programação de sábado (26/1) será aberta com um espetáculo voltado para a criançada, a peça “Estelita entre Fadas e Outros Bichos”, que será apresentada às 19h, no Teatro Dona Amélia, pela Trupe Errante (Petrolina-PE). Às 20h30, o grupo TPA – Teatro Popular de Arte (Petrolina-PE) sobe ao palco para apresentar a peça “A Cantora Careca”, espetáculo com classificação indicativa de 12 anos. A noite será encerrada com muita alegria às 22h na Associação das Mulheres Rendeiras, no bairro José e Maria, com a Festa das Rendeiras, que reunirá o Samba das Cumades (Salvador-BA) e Magdalenas (Petrolina-PE).

No domingo (27/1), o Coletivo Trippé (Petrolina), apresentará a partir das 19h, na Sala de Dança o espetáculo “Janela para Navegar Mundos”.  Às 20h30 a Qualquer Um dos 2 Cia de Dança, levará ao palco “Para Sempre Teu”. Segunda-feira (28/1) a programação será aberta às 19h, na escada de acesso ao Teatro Dona Amélia, com a apresentação de “Genuína”, do grupo Circo no Asfalto (Santo André-SP). Em seguida, às 20h30, no Teatro, a Cia de Dança do Sesc Petrolina apresentará o espetáculo “Rio de Contas”.

No dia 29/1, o sarau “Vozes Mulheres: Além das Margens (Juazeiro-BA), acontecerá às 19h, na Sala de Dança. Logo depois, o Núcleo Biruta de Teatro, apresentará, no Teatro, “Processo Medusa”. A programação de quarta-feira (30/1) será aberta às 19h, na escadaria do Teatro Dona Amélia, pela atriz Fabiana Pirro (Recife-PE), que encenará “Medusa”. Depois, no Teatro, o público poderá assistir ao espetáculo “Que Corpo É Esse?”, do Coletivo Incomum de Dança (Petrolina-PE).

O Janeiro Tem Mais Artes terminará na quinta-feira (31/1), com uma programação que destaca as mulheres. Às 19h na sala de dança, uma roda de conversa intitulada “Conversas de Medusas”, reunirá Fabiana Pirro (Recife-PE), Cris Crispim (Petrolina-PE) e Pók Ribeiro (Juazeiro-BA). A noite será encerrada com o “Mulheres em Movimento”, às 20h30, no Teatro, que contará com as seguintes performances: “Sambioníca”, Laís Bione; “Umas”, por Eliza Oliver; “Os Três Pontos”, de Fernanda Luz; e “O que você vê quando me olha”, com Cíntia Melo”.

Os ingressos para as apresentações custam R$ 10 (Inteira) e R$ 5 (Meia), por noite, garantindo acesso a todos os espetáculos na data escolhida. Trabalhadores do Comércio de Bens, Serviços e Turismo e seus dependentes têm acesso gratuito. A entrada é limitada à capacidade de cada espaço.

Oficinas – Durante a programação do Janeiro Tem Mais Artes haverá oficinas de canto, cinema, cerâmica, teatro, dança de salão, palhaçaria e estamparia artesanal. As vagas são limitadas e as inscrições podem ser feitas a partir do dia 14 de janeiro, das 14h às 18h, na coordenação de cultura do Sesc Petrolina. A taxa de inscrição para oficinas custa R$ 20. Trabalhadores do Comércio de Bens, Serviços e Turismo e seus dependentes pagam R$ 10.

 

Por Fabiano Barros

Notícias

Mostra 14 de Dança é traduzida por audiodescrição e intérpretes de Libras

O evento, que conta com espetáculos, oficinas e performances, também traz intérpretes de linguagem de sinais e recursos de audiodescrição.

Foto: Reprodução.

A 7ª edição da ‘Mostra 14 de Dança’ começou hoje (11), em Petrolina, no interior de Pernambuco, e vem com uma proposta de experimentação e divulgação da dança contemporânea no Vale do São Francisco. O evento, que conta com espetáculos, oficinas e performances, também traz intérpretes de linguagem de sinais e recursos de audiodescrição.

A companhia de dança ‘Qualquer Um dos 2’ é a organizadora da mostra, que terá atividades realizadas em três ambientes: no SESC; no espaço cultural Janela 353, no centro; e na Ilha do Massangano. De acordo com a Cia, estão sendo disponibilizados 20 aparelhos de audiodescrição por apresentação. Os interessados devem chegar com até 30 minutos de antecedência para retirar o equipamento.

 

Programação acessível gratuita:

13.12

19h30 – ‘Vetor’ – Coletivo Incomum de Dança e APAE Petrolina – Teatro Dona Amélia, SESC (classificação Livre – com audiodescrição);

14.12

16h – Conversa ‘Práticas de cuidado de su e dos outros’ – João José Santana Borges (Juazeiro, BA), Renata Camargo (Recife), Estela Lapponi (SP) e Thom Galiano (Petrolina) – Espaço Janela 353 (classificação Livre – com intérprete de Libras);

20h30 – ‘Cavalo (in process)’ – Qualquer Um dos 2 Companhia de Dança (Petrolina/PE)

‘We don’t have money but we are funny’ – Mariana Pimentel (Rio de Janeiro/RJ) – Teatro Dona Amélia, SESC (classificação 16 anos – com audiodescrição);

15.12

16h – Conversa ‘Corpo, coletividade e democracia em tempos de ruínas’ – Elisabet Finger (SP), Renata Pimentel (Recife), Galiana Brasil (SP) e Mariana Pimentel (RJ) – Espaço Janela 353 (classificação Livre – com intérprete de Libras);

16.12

16h – Curta ‘ProfanAÇÃO’ – Estela Lapponi (SP) – Espaço Janela 353 (classificação 12 anos – com intérprete de Libras);

Conversa ‘Corpo e diferença’ – Alexandre Américo (Natal, RN), Estela Lapponi (SP), Andreza Nóbrega (Recife) e Carol Andrade (Petrolina).

 

Via CLAS Comunicação & Marketing