Uncategorized

População atenta ao processo de licitação do transporte coletivo em Petrolina

Para dirimir as dúvidas e apresentar sugestões, um Fórum Popular será realizado na próxima quarta-feira, 25, a partir das 15h, na Câmara Municipal.

Foto: Angela Santana

A Audiência Pública convocada pelo poder executivo para apresentar o processo licitatório do transporte coletivo de Petrolina, ocorrida nesta sexta (20), parece não ter sido satisfatória para atender aos anseios e questionamentos do público presente, uma vez que as respostas dadas pelo diretor presidente da Autarquia Municipal de Mobilidade de Petrolina (AMPLA) Geraldo Miranda mais constatava as graves ineficiências do sistema do que apontava soluções efetivas e construídas com a participação popular.

Usuários do sistema de transportes coletivo, em seus questionamentos, lembraram os transtornos causados pelas extintas empresas Menina Morena e Vale do Sol, e atuais empresas, Joalina Transportes e Viva Petrolina, mediantes os inúmeros problemas vivenciados no dia-dia como: problemas mecânicos, atrasos, veículos sucateados, desconforto, veículos que não atendem demandas, falta de abrigos, entre outros.

Funcionários e ex- funcionários de empresas atuais e já extintas expuseram a preocupação sobre os inúmeros processos trabalhistas, sonegação de impostos e a importância de terem seus empregos assegurados também dentro deste processo licitatório.

Ex- funcionários ainda responsabilizam o poder público por todos os problemas vividos, uma vez que a exploração econômica das linhas eram apenas outorgadas. O que ficou explicito nas falas dos vereadores, Paulo Valgueiro, que afirmou sobre as vantagens financeiras obtidas pelo poder executivo e Cristina Costa, que reafirmou a importância da licitação para coibir este tipo de prática.

O fato é que haverá sim, um processo licitatório, onde segundo o Sr. Geraldo Miranda, abrirá uma ampla concorrência e as empresas vencedoras serão aquelas que atenderem as exigências contidas no edital, como preço de passagens até R$ 3.70, 80% da frota de veículos novos e com ar condicionado, dentre outras que ainda estão sendo levantadas de acordo com as exigências da legislação e do público usuário.

Sendo ele questionado pelo vereador Zenildo, sobre a viabilidade econômica destas exigências para as empresas mediante seu custo operacional, em meio a concorrência já existente na cidade, dos serviços de Moto Taxi, Taxis e Uber, o mesmo afirmou que tecnicamente é possíve,  uma vez que a demanda de usuários do serviço é suficiente para cobrir gastos e render lucros as empresas.

Diante dos anseios e insatisfação do público, o vereador Gilmar Santos (PT) lamentou a inexistência dos conselhos (transporte, mobilidade e Cidades) e a importância dos mesmos nas discussões e sugeriu um Fórum Popular para levantar propostas viáveis à serem acrescidas no edital licitatório. O mesmo ficou marcado para a próxima quarta-feira, 25, às 15 h, na Câmara de Vereadores de Petrolina.