Notícias

Prefeitura decreta ponto facultativo devido ao jogo do Brasil na próxima segunda

A prefeitura ressalta que a mudança no expediente não prejudicará os serviços considerados essenciais à população.

A Prefeitura de Petrolina decretou ponto facultativo na próxima segunda-feira (2/7), dia em que a Seleção Brasileira entra em campo, a partir das 11h, para a partida contra o México, pelas oitavas de final da Copa do Mundo de 2018.

Segundo o secretário de Gestão Administrativa, Henrique Guerra, o ponto facultativo atinge todos os órgãos e entidades integrantes da administração direta e indireta do Poder Executivo Municipal. Vale ressaltar que a mudança no expediente não prejudicará os serviços considerados essenciais à população.

Por Magnólia Costa – assessora de comunicação da Secretaria de Gestão Administrativa

Espaço do Leitor

A maldição do forró da espora

“Pagamos caro o IPTU e esperamos um governo que ouça os cidadãos e que respeite leis públicas”. *Por Elisabet Moreira.

Foto: Reprodução

Há décadas morando ao lado do estádio de futebol de Petrolina, o evento público chamado forró da espora, finalizando as comemorações do São João na cidade, tornou-se uma tortura para os moradores das imediações, um bairro majoritariamente residencial. O que inclui também a Casa Geriátrica, com idosos carentes de repouso.

Não se consegue dormir, o som a todo volume, a noite inteira. Ano passado encaminhei um ofício/abaixo-assinado para a Secretaria de Cultura do município e, perplexa, vi agora a limpeza das calçadas ao redor do estádio. A confirmação de que o forró da espora será ali mesmo veio certeira.

Tenho cópias do abaixo-assinado. Reitero aqui os itens principais expostos no documento.

  1. Existe um local retirado do centro, o pátio de eventos, próprio para festejos desta natureza e que, por razões desconhecidas ou interesses comerciais, não é considerado. Queremos deixar bem claro que não somos contra o evento, uma “tradição” dos festejos juninos na cidade, mas contra o local.
  2. Nós, moradores, estamos também à espera das praças neste entorno ao longo de décadas, sem qualquer atenção. Espaços públicos, cercados por cordas, que são utilizados como estacionamentos de ocasião, cobrando-se o “serviço”.
  3. Existe a Lei do Silêncio depois das 22 horas, o que não é absolutamente respeitada. Por onde anda a fiscalização ou o Ministério Público para checar tais infrações e abusos?

Enfim, não pudemos contar com a compreensão dos planejadores do evento como esperávamos. Nem com nossos representantes na Câmara Municipal. Os argumentos para que o forró da espora seja no estádio sempre foram absolutamente inconsistentes, atendendo a interesses subjetivos. Não seria muito melhor que este forró fosse no Capim, onde já acontece a jecana, ou outro local mais adequado?

Aliás, seria interessante perceber quem são os vaqueiros de hoje? A maioria, basta observar, são vaqueiros de vaquejadas e não representantes do ofício.

Fica aqui registrado mais uma vez nosso protesto. Ouvidos moucos ou indiferentes fazem parte desta história de reinvindicações dos munícipes. Pagamos caro o IPTU e esperamos um governo que ouça os cidadãos e que respeite leis públicas.

 

Petrolina, 14 de junho de 2018.

Elisabet Gonçalves Moreira

Notícias

Sobre a polêmica da retirada do intertravado da orla de Petrolina

“Os cidadãos de Petrolina deveriam ter sido informados e bem informados do andamento daquela obra, e, especialmente quando de sua ineficiência por parte do agente privado. Por isso, ainda esperamos um pedido de desculpa da Administração Municipal, e, portanto, uma publicidade eficiente a cerca de toda a obra, para que novamente não sejamos tomados por surpresas equivocadas”. *Por Moisés Almeida

Gerou impacto e surpresa a retirada do intertravado da Orla de Petrolina na última sexta feira, dia 08. Não é costume geral nos depararmos com atitude de desfazimento de uma obra, que, aliás, já se arrasta há muito tempo. Existia uma calçada e as máquinas arrancaram-na, desde as imediações da UPE até depois do IATE Clube. Achei, inclusive, muito estranho a forma como as máquinas retiraram o passeio, de muita serventia para quem pratica atividade física. Porém, como existia a promessa da revitalização do espaço, ficamos aguardando as obras iniciarem. Não houve publicidade a respeito da extensão daquela obra. Lembro que foi realizada uma intervenção desde a rotatória do trevo, passando em frente ao 72 BI até a esquina da FACAPE. A princípio, até pensei que a obra continuaria, mas ficou paralisada. É bom lembrar que na esquina da UPE, quase em frente ao Colégio Motivo, existem duas placas indicativas de uma obra, que deve ser a da Orla. Contudo, as obras não iniciaram naquele local e sim depois do Iate Clube. Fiquei mais uma vez com dúvidas e questionamentos a cerca daquela intervenção. Por que iniciaram a obra do meio para o fim? Até hoje não deram explicação.

Chegamos, pois, a “trapalhada” do desfazimento do intertravado. Segundo informações que ouvi nos programas de Rádio e li nos Blogs da região, houve a retirada dos intertravados porque foram colocados fora das especificações técnicas, apesar de a empresa ter sido notificada algumas vezes. Só depois da metade do serviço realizado? Pelo pouco entendimento que tenho, não seria o caso da fiscalização embargar a obra no início? Quando a administração pública quer, embarga uma obra privada com tanta agilidade e eficiência, porque não embargou essa? Mesmo com os argumentos colocados pelos setores responsáveis da Prefeitura de Petrolina, logo após a retirada do material, não tem como convencer do contrário: houve falha sim na fiscalização. Claro que a Prefeitura está agindo correto ao quebrar o contrato, mas depois de quase metade do serviço feito? E os transtornos à população que usa aquele espaço diuturnamente? Sequer ouvi um pedido de desculpas por partes dos gestores públicos. Aliás, houve um apelo ao “agir corretamente”, no sentido de justificar tal acometimento.

A população de Petrolina e especialmente a que utiliza aquele espaço deveria ao menos ser informada com antecedência do que se passava, já que haviam várias notificações à empresa responsável pela obra, segundo ouvi do representante da secretaria de obras, num programa de rádio. Fico pensando no respeito que Administração Pública deve ter ao princípio PUBLICIDADE, contido no Artigo 37 da Constituição Federal. Pois, na “publicidade, o gerenciamento deve ser feito de forma legal, não oculta. A publicação dos assuntos é importante para a fiscalização, o que contribui para ambos os lados, tanto para o administrador quanto para o público. Porém, a publicidade não pode ser usada de forma errada, para a propaganda pessoal, e, sim, para haver um verdadeiro controle social”.

Os cidadãos de Petrolina deveriam ter sido informados e bem informados do andamento daquela obra, e, especialmente quando de sua ineficiência por parte do agente privado. Por isso, ainda esperamos um pedido de desculpa da Administração Municipal, e, portanto, uma publicidade eficiente a cerca de toda a obra, para que novamente não sejamos tomados por surpresas equivocadas.

*Prof. Ms. Moisés Almeida – Doutorando em História pela UFPE

Professor Assistente – Colegiado de História

Campus UPE – Petrolina

Notícias

Cresce prejuízo de agricultores por conta do corte d’agua na zona rural de Petrolina

Os pequenos agricultores dizem estar perdendo a plantação e tendo de racionar água para produção e consumo.

Agricultores familiares das zonas de sequeiro já amargam prejuízos com a falta de água em 20 comunidades rurais próximas ao Projeto Pontal, em Petrolina, no interior de Pernambuco. O revés mais recente veio da 3ª SR Codevasf, que cortou o abastecimento hídrico há pelo menos 70 dias.

Os mais atingidos pela ação foram os agricultores dos distritos de Cumprida, Lajedo, Lagoa da Pedra, Welson Maciel, Amargosa, Rio Pontal, Lagoa dos Cavalos, Manga Nova e Federação, após representantes da Codevasf iniciarem uma luta na Justiça contra acampados do Pontal, requerendo a desocupação das terras. Embora não estejam dentro da área ajuizada, os moradores dessas comunidades passaram a sofrer com o corte d’agua.

Os pequenos agricultores dizem estar perdendo a plantação e tendo de racionar água para produção e consumo. Eles protestaram nesta quinta-feira (26) diante da prefeitura, dentro da Câmara Municipal e na 3ª SR Codevasf. Cerca de 150 pessoas participaram do ato.

“Não estamos aqui fazendo politicagem, mas lutando por uma categoria que elegeu muitos vereadores desta Casa. Então temos todo o direito de cobrar posicionamento de cada um de vocês”, rebateu a presidente do Sindicato dos Agricultores Familiares de Petrolina (Sintraf), Isália Damacena, a um comentário do presidente da Câmara Municipal, Osório Siqueira. Durante o protesto, o parlamentar interrompeu a fala da sindicalista afirmando que ela “jogava para a plateia”, tentando deixar a opinião pública contra os vereadores.

Mesmo a Codevasf sendo de âmbito federal, lideranças do Sintraf e do Conselho de Usuários do Pontal Perenizados e Adjacências (Consul) acreditam que as esferas municipal e estadual poderiam intermediar um diálogo e, com isso, solucionar o desabastecimento – o que os fez procurarem o prefeito, Miguel Coelho, e os vereadores da base e oposição.

Ao se deslocar para a sede da 3ª SR Codevasf, o grupo de agricultores encontrou os portões fechados. Após uma negociação, dez representantes de comunidades conseguiram um encontro com o superintendente da companhia, Aurivalter Cordeiro, que pediu prazo de 20 dias para religar o abastecimento de água. “Ele também abriu a possibilidade para uma discussão sobre a perenização dos riachos e a permanência dos usuários das áreas Lindeiras (às margens do Pontal)”, contou Isália.

“Devido às chuvas que tivemos, a falta d’agua estava sendo contornada, mas agora já estamos tendo grandes prejuízos na fruticultura. Eu estou racionando, mas tenho vizinhos que estão perdendo a plantação, murchas de sede. Esperamos que esses protestos tragam algum resultado”, desabafou o agricultor do distrito de Lajedo, Fábio Jr. de Lima Silva, 34 anos, que não soube dizer o quanto já perdeu com a crise.

Por Jacó Viana

 

 

 

Uncategorized

População atenta ao processo de licitação do transporte coletivo em Petrolina

Para dirimir as dúvidas e apresentar sugestões, um Fórum Popular será realizado na próxima quarta-feira, 25, a partir das 15h, na Câmara Municipal.

Foto: Angela Santana

A Audiência Pública convocada pelo poder executivo para apresentar o processo licitatório do transporte coletivo de Petrolina, ocorrida nesta sexta (20), parece não ter sido satisfatória para atender aos anseios e questionamentos do público presente, uma vez que as respostas dadas pelo diretor presidente da Autarquia Municipal de Mobilidade de Petrolina (AMPLA) Geraldo Miranda mais constatava as graves ineficiências do sistema do que apontava soluções efetivas e construídas com a participação popular.

Usuários do sistema de transportes coletivo, em seus questionamentos, lembraram os transtornos causados pelas extintas empresas Menina Morena e Vale do Sol, e atuais empresas, Joalina Transportes e Viva Petrolina, mediantes os inúmeros problemas vivenciados no dia-dia como: problemas mecânicos, atrasos, veículos sucateados, desconforto, veículos que não atendem demandas, falta de abrigos, entre outros.

Funcionários e ex- funcionários de empresas atuais e já extintas expuseram a preocupação sobre os inúmeros processos trabalhistas, sonegação de impostos e a importância de terem seus empregos assegurados também dentro deste processo licitatório.

Ex- funcionários ainda responsabilizam o poder público por todos os problemas vividos, uma vez que a exploração econômica das linhas eram apenas outorgadas. O que ficou explicito nas falas dos vereadores, Paulo Valgueiro, que afirmou sobre as vantagens financeiras obtidas pelo poder executivo e Cristina Costa, que reafirmou a importância da licitação para coibir este tipo de prática.

O fato é que haverá sim, um processo licitatório, onde segundo o Sr. Geraldo Miranda, abrirá uma ampla concorrência e as empresas vencedoras serão aquelas que atenderem as exigências contidas no edital, como preço de passagens até R$ 3.70, 80% da frota de veículos novos e com ar condicionado, dentre outras que ainda estão sendo levantadas de acordo com as exigências da legislação e do público usuário.

Sendo ele questionado pelo vereador Zenildo, sobre a viabilidade econômica destas exigências para as empresas mediante seu custo operacional, em meio a concorrência já existente na cidade, dos serviços de Moto Taxi, Taxis e Uber, o mesmo afirmou que tecnicamente é possíve,  uma vez que a demanda de usuários do serviço é suficiente para cobrir gastos e render lucros as empresas.

Diante dos anseios e insatisfação do público, o vereador Gilmar Santos (PT) lamentou a inexistência dos conselhos (transporte, mobilidade e Cidades) e a importância dos mesmos nas discussões e sugeriu um Fórum Popular para levantar propostas viáveis à serem acrescidas no edital licitatório. O mesmo ficou marcado para a próxima quarta-feira, 25, às 15 h, na Câmara de Vereadores de Petrolina.

Notícias

Vereadores e SINTRAF apresentam reivindicações da Agricultura Familiar ao Prefeito Miguel Coelho

“O encontro é uma demonstração da importância das mobilizações sociais na luta por garantias de direitos e do compromisso da Câmara em assumir essas lutas. Foi o que fizemos quando o sindicato da agricultura familiar nos procurou para a realização da audiência pública”, disse o vereador Gilmar Santos.

Na tarde desta quarta-feira, 28, vereadores e representantes da Agricultura Familiar foram recebidos pelo prefeito Miguel Coelho, atendendo solicitação do vereador Gilmar Santos, proponente da audiência pública sobre agricultura familiar, realizada em 06 de Junho, para apresentação do relatório da referida audiência, o qual aponta diversas demandas de agricultores familiares do Município.  Entre os pontos apresentados ao gestor municipal, estão:

1 –  Exigência do executivo municipal para a garantia de cumprimento das leis que regem o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE)  (retomar e respeitar o calendário de ações das políticas municipais voltadas para a agricultura familiar).

2 – Solicitação ao executivo municipal para recomendar às instituições federais em Petrolina a aquisição dos produtos da agricultura familiar, em cumprimento à lei federal nº 11.326/2006 sobre o PAA institucional;

3 – Exigência para o funcionamento do Serviço de Inspeção Municipal (SIM), para garantia de atividades dos agricultores;

4 – Garantia de maior alinhamento entre governo municipal e estadual perante as políticas para agricultura familiar;

5 – Propor ao executivo municipal a realização de abate específico para o PAA no abatedouro de Rajada;

6 – Reativação da central de distribuição do PAA, com as condições necessárias ao bom funcionamento dos programas para o setor.

7 – Exigência ao Executivo para desenvolver mapeamento da agricultura familiar no município de Petrolina, para o desenvolvimento de políticas voltadas para o seguimento.

8 – Propor ao executivo municipal a construção de tabela de preços da agricultura familiar local, com efetiva participação de representantes do setor;

Em resposta às solicitações, o prefeito reconheceu o atraso na compra dos produtos dos agricultores, via PAA,  devido pendências da prefeitura, desde a gestão anterior, junto ao Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA), referente ao cadastro do programa, pois esse encontrava-se inadimplente, o que gerava incerteza sobre os recursos federais para aquisição desses produtos da agricultura familiar. Na sua fala o prefeito afirmou que preferiu atrasar a execução do programa para garantir maior segurança ao seguimento.  Diante da resposta do prefeito, a presidente do Sindicato dos Agricultores Familiar e Empreendedores Familiar  Rurais Petrolina (SINTRAF), Isália Damasceno, exigiu melhor comunicação da secretaria responsável afirmando que se essa explicação tivesse sido apresentada anteriormente pela gestão, haveria uma maior compreensão do setor.

Coincidindo com o dia em que o prefeito confirmou receber a comissão de vereadores e representante do SINTRAF, dia 27 de Junho, a gestão anunciou o início do agendamento para a venda dos alimentos que serão fornecidos através do PPA, que encontrava-se há seis meses sem execução. Para esse ano o programa contará com recurso federal no valor 1,5 milhão, contemplando 302 agricultores.

Sobre o PNAE, explicou que o processo de licitação está em fase recursal, cumprindo um prazo de 05 dias úteis. Caso ocorra sem maiores problemas os agricultores contemplados assinarão os contratos até o final da próxima semana. A previsão, segundo o prefeito, é que o recurso federal chegue a aproximadamente 3 milhões neste ano.

O prefeito comprometeu-se em apresentar recomendação às instituições federais para a aquisição dos produtos da agricultura familiar. Quanto ao Serviço de Inspeção Municipal (SIM), Miguel Coelho afirmou já está em funcionamento no município, e que a gestão, através da Agência Municipal de Vigilância Sanitária, tem procurado ampliar e fiscalizar o serviço. Em relação ao abatedouro de Rajada, o prefeito afirmou que exigiu melhor adequação do equipamento junto às normativas obrigatórias e que os responsáveis estão procurando garantir essa solicitação.

Sobre a Central de Distribuição do PAA, em construção desde a gestão passada, o prefeito afirmou que as obras foram retomadas e que num prazo de até 60 dias estará em funcionamento. Ao tratar do mapeamento da agricultura familiar no município, sinalizou não ser de competência da gestão, mas diante da insistência do vereador Gilmar Santos, quando afirmou a importância dos dados para o planejamento de políticas públicas para o setor, mostrou-se flexível à questão.

O gestor municipal sinalizou compromisso quanto ao alinhamento junto ao governo do estado e, em resposta à solicitação da tabela de preços para o seguimento da agricultura familiar, sugeriu que o próprio setor apresentasse à gestão, sendo esse instrumento uma referência para a execução do PNAE.

Ao avaliar o encontro o prefeito fez o seguinte balanço, “Muito Positiva. Primeiro parabenizar a Câmara pela iniciativa, na pessoa do professor Gilmar, que conduziu essa audiência pública, e todos os vereadores que aqui se fizeram presentes, demonstrando o seu interesse em fortalecer ainda mais a agricultura familiar do nosso município”.

Na sua avaliação o vereador Gilmar Santos, afirmou que “o encontro é uma demonstração da importância das mobilizações sociais na luta por garantias de direitos e do compromisso da Câmara em assumir essas lutas. Foi o que fizemos quando o sindicato da agricultura familiar nos procurou para a realização da audiência pública. Apresentamos as demandas desses trabalhadores e trabalhadoras ao prefeito e cumprimos parte do que foi prometido. A posição e disposição do prefeito foram positivas, no sentido de responder aos agricultores, e nós continuaremos acompanhando e fiscalizando para que o seguimento se fortaleça, pois ganha todo o município”.

Estiveram presentes, além da presidente do SINTRAF, e do vereador Gilmar Santos, Cleiton Medeiros, do Conselho de Desenvolvimento Rural – CMDRS, os vereadores, Gabriel Menezes, Ronaldo Silva, Rui Wanderley, Rodrigo Araújo, Aero Cruz, Ibamar Fernandes, Alex de Jesus, e o assessor especial do governo, Orlando Tolentino.

Outras ações propostas no relatório da audiência serão desenvolvidas pelos vereadores junto às instituições municipais.

Confira no link abaixo o relatório completo da Audiência Pública

Relatório Final Audiência Agricultura Familiar

 

ASCOM Mandato Coletivo – Gab. Vereador Gilmar Santos.

Notícias

Após divulgação de nota dos Médicos de Família Secretaria de Saúde retrocede e reafirma parceria com a Univasf

Em uma reunião que contou com a presença do reitor da universidade, Julianelli Tolentino; da secretária municipal de Saúde, Magnilde Albuquerque, além dos representantes das procuradorias do município, da Univasf e da residência médica, foi decidido a continuidade e a formalização de novo termo que amplia a parceria.

prefeitura-petro-220510

Após grande repercussão da Nota Pública divulgada ontem, 27, pela manhã, pelos médicos de Saúde da Família afirmando que a Secretaria de Saúde teria descumprido acordo entre a Prefeitura e a Univasf para a manutenção dos médicos na rede municipal, o que poderia causar grande prejuízo à população com a perda de 25 médicos, a Secretaria Municipal de Saúde realizou uma reunião na tarde de ontem em que retrocedeu e reafirmou a parceria, inclusive, prometendo ampliar o número de médicos. Confira abaixo a nota:

“Secretaria de Saúde de Petrolina reafirma parceria com a Univasf e número de médicos será ampliado nas unidades

Ao contrário do que foi divulgado na imprensa, a Secretaria de Saúde de Petrolina reafirmou, durante reunião na tarde de ontem (27), a parceria com o Programa de Residência de Medicina de Família e Comunidade (PRMFC) da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf). A nova proposta aumenta o número de residentes de 16 para 25, dando nova oportunidade de capacitação aos profissionais e ampliando o atendimento médico, qualificado e voltado para o modelo de saúde da família, nas unidades de saúde.

A reunião contou com a presença do reitor da universidade, Julianelli Tolentino; da secretária municipal de Saúde, Magnilde Albuquerque, além dos representantes das procuradorias do município, da Univasf e da residência médica, que agora irão formalizar o novo termo que amplia a parceria.

Os profissionais são devidamente acompanhados pelos seus preceptores nas unidades de saúde. A secretária Magnilde Albuquerque ressaltou a importância do programa para o município e reafirmou a continuidade da parceria. “Nessa reunião, foram discutidas as peculiaridades do programa, reforçando que o município tem todo o interesse em continuar com a residência médica, já que, compreendemos que com a qualificação profissional a população é beneficiada. A reunião foi muito proveitosa e, mais uma vez, foi ratificada a grande parceria entre a universidade e a Secretaria de Saúde”, ressaltou.

Assessoria de Comunicação da Secretaria Municipal de Saúde”

Notícias

Prefeitura e CODEVASF discutem regularização fundiária

Entre as medidas adotadas está incluída a invasão da Vila Chocolate em que, por determinação da justiça, os moradores devem se retirar do local para que os proprietários da área recebam a reintegração de posse. A ação judicial deverá ser executada no próximo dia 12. “Vamos discutir uma forma de resolver esta questão e que seja viável para ambos os lados”, disse o prefeito.

????????????????????????????????????

O prefeito de Petrolina, Julio Lossio, recebeu em seu gabinete nesta segunda-feira (01) o superintendente regional da CODEVASF,  Luciano Fernandes de Albuquerque e o ex-secretário municipal de Habitação e atual vereador, Edinaldo Lima. Em pauta estavam questões que envolvem a regularização fundiária em Petrolina, matéria que Edinaldo promete defender na bancada da Câmara de Vereadores.

Durante o encontro também foram discutidas medidas viáveis que possam beneficiar os moradores da invasão conhecida por Vila Chocolate. Por determinação da justiça, os moradores devem se retirar do local para que os proprietários da área recebam a reintegração de posse.

O terreno, pertencente a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Assemco), seria utilizado para construção de moradias destinadas a funcionários da CODEVASF e foi invadido há cerca de 10 anos. Desde 2003 os proprietários tentam reaver a área na justiça.

“O objetivo é buscar junto a CODEVASF soluções que não prejudiquem as pessoas que construíram suas vidas naquele lugar. Vamos discutir uma forma de resolver esta questão e que seja viável para ambos os lados”, reitera o prefeito Julio Lossio. Atualmente mais de 100 famílias vivem no terreno.

 

 

 

Notícias

Programação do Carnaval de Petrolina é divulgada sem nenhuma atração de peso

Os Polos da 21 de setembro e orla concentrarão a maior parte da programação.

ARTE CARTAZ CARNAVAL 2016Finalmente a prefeitura de Petrolina divulgou a programação do carnaval que acontece de 6 a 9 de fevereiro nos polos orla e 21 de setembro, se estendendo para os bairros Areia Branca, Cohab VI e Rio Corrente.

Com a programação da festa definida, a Prefeitura divulga as atrações que estarão nas ruas nos quatro dias de folia, prometendo levar diversão para todos os públicos. O circuito carnavalesco contará com apresentações culturais na Praça 21 de setembro, onde se apresentam orquestras, fanfarras e blocos. O palco, que receberá as apresentações artísticas, será instalado próximo ao colégio estadual Dom Malan, onde está sendo montada toda a estrutura para garantir segurança e comodidade ao público.

O cortejo Afro abre os festejos no sábado, lavando as ruas que vão receber os foliões, seguida de outras atrações que vão de frevo ao axé.

O carnaval de Petrolina é uma realização da Prefeitura Municipal em parceria com o governo do estado através da Fundarpe e Empetur. Com informações da assessoria.

Confira abaixo a programação para cada dia da folia de Momo.

Dia 06 – sábado:

Orquestra Fernando Júnior

Axé Camaleão

Alan Cléber

Dia 07 – Domingo:

Orquestra Fernando Júnior

Fabiana Santiago

Banda Miragem

Dia 08 – Segunda-feira:

Orquestra Fernando Júnior

Nosso Harém

Elisson Castro & Banda Pega Leve

Dia 09 – Terça-feira:

Alan Cléber

Ana Costa

Voa Voa

Notícias

Mais um prédio público municipal é alvo de arrombamento

Desta vez o alvo foi a sede da Agência Municipal do Empreendedor (AGE).Também durante esta semana, a Secretaria de Cidadania foi invadida e recentemente os prédios da AMMA, Secretaria de Habitação e Centro Pop também registaram arrombamentos.

imagem188A Prefeitura de Petrolina registrou na madrugada deste sábado (30) mais uma invasão a prédios públicos municipais. Desta vez o alvo foi a sede da Agência Municipal do Empreendedor (AGE).

Segundo a diretora-presidente do órgão, Tereza Virginia, todos os ambientes da agência foram invadidos pelos vândalos, que reviraram gavetas e armários da sede. A diretora acredita que os bandidos estavam em busca de dinheiro, já que nesta sexta-feira (29) foi liberado mais um lote de crédito para empreendedores. “Acreditamos que eles estavam em busca de alguma quantia, mas não trabalhamos com espécie, todos os valores são creditados nas contas bancárias dos beneficiados”, assegura Tereza, acrescentando também que a ocorrência já foi registrada na Polícia Cívil.

Também durante esta semana, a Secretaria de Cidadania foi invadida e recentemente os prédios da AMMA, Secretaria de Habitação e Centro Pop também registaram arrombamentos. Todas as ocorrências estão sendo investigadas pela Polícia. Com informações da assessoria. (Foto: Vinicius de Santana).