Notícias

Vereador Gilmar Santos, indignado com cortes nos salários de professores, emite nota de solidariedade a classe e pede que prefeito suspenda a portaria

“Diante dessa situação, enquanto professor e representante da população de Petrolina, com o Mandato Coletivo, nos solidarizamos com cada professora e professor prejudicados, e exigimos do governo municipal imediata suspensão dessas decisões” disse em nota.

Foto: Lizandra Martins

Após decisão do prefeito Miguel Coelho (MDB) de reduzir através da Portaria 17.2020 corta carga horária de professores a carga horária e consequêntimente os salários dos professores da Educação Infantil das séries iniciais, assim como reduzir em 50% os salários das professoras e coordenadoras do programa Nova Semente,  vereador Gilmar Santos, (PT), que também é professor,  emitiu na manhã desta segunda-feira, 06,  uma nota  expressando solidariedade aos seus colegas. Confira abaixo a nota na íntegra:

NOTA DE INDIGNAÇÃO E SOLIDARIEDADE

É com profunda indignação que o vereador Professor Gilmar Santos, junto ao Mandato Coletivo, recebeu os comunicados oficiais da Prefeitura Municipal de Petrolina, através da Secretaria Municipal de Educação, sobre redução de carga-horária de professores da Educação Infantil e séries iniciais e consequente redução salarial (Portaria N° 17/2020); bem como, o ofício N° 095/2020, da Fundação para o Desenvolvimento Científico, Tecnológico, Econômico, Sociocultural, Turístico e Ambiental  (FUNDESF),  empresa terceirizada, responsável pela administração do Programa Nova Semente, que decide pela redução de jornada de trabalho e salarial em 50% de professoras e coordenadoras do Nova Semente.

Essas decisões, injustas e cruéis, baseadas em decisões do Governo Federal, ocorrem num momento de grave crise mundial, proporcionada pelo novo coronavírus (COVID-19), situação em que o Estado, os governos, deve utilizar o máximo dos recursos públicos para proteger trabalhadores e trabalhadoras, servidores e, principalmente, a população mais carente. Nesse caso específico, vale salientar que os recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação Básica (FUNDEB), repassado pelo governo federal para o município e utilizado para pagamento dos professores continuam sendo repassados normalmente. Portanto, o que justifica a redução dessas jornadas de trabalho e salários por parte do Governo Municipal?

Fica explícito nessas decisões que o grande problema não é apenas a crise pandêmica é, principalmente, a falta de compromisso dessa Gestão em zelar pela dignidade de professoras e professores. Quem pagará as suas contas? Quem colocará comida nas suas mesas? Como voltarão após esse longo período de quarentena diante dessas decisões?  Não temos dúvidas de que centenas de cargos comissionados, nem sempre úteis para o município, com salários elevados, fruto de acordos que beneficiam políticos, seus familiares e amigos, continuam intactos. Por que sacrificar exatamente as nossas professoras e professores?

Diante dessa situação, enquanto professor e representante da população de Petrolina, com o Mandato Coletivo, nos solidarizamos com cada professora e professor prejudicados, e exigimos do governo municipal imediata suspensão dessas decisões.

 

Vereador Professor Gilmar Santos

Mandato Coletivo

Uncategorized

Vereadora Cristina Costa emite nota à imprensa sobre declarações de assessor do prefeito Miguel Coelho

“Aos desocupados que justificam seus atos de covardia com palavras, meu silêncio, ao meu povo que confia em mim, meu trabalho e meu respeito”, diz a nota.

Foto: Ascom

A vereadora Cristina Costa, PT, emitiu na manhã desta segunda-feira, 16, nota à imprensa em que questiona comportamento do assessor do Executivo Municipal, senhor Tales Kalil em que o mesmo teria tentando macular a sua imagem perante a opinião pública e nas redes sociais. Confira abaixo a nota na íntegra.

NOTA À IMPRENSA

A Vereadora Cristina Costa, que com orgulho é do Partido dos Trabalhadores, o preferido do povo brasileiro de acordo com os institutos de pesquisas, vem através dessa nota à imprensa repudiar a leviandade do senhor Tales Kalil, que foi à veículos de comunicação falar do nosso mandato sem qualquer conhecimento, para justificar o ato de covardia  de criar ‘memes’ com a nossa imagem.

Esse senhor, que em outras situações agiu de forma obscura para criar fatos de perseguição política, com páginas na internet para denegrir vereadores de oposição, volta a agir como sabe,  e a falar do que não sabe. Recebe dinheiro do povo para produzir o mal, enquanto critica o nosso mandato, provando que desconhece por completo nosso trabalho. Estamos no terceiro mandato parlamentar. E somente nesses primeiros meses de 2018, tivemos 10 (dez) projetos aprovados pela Casa Plínio Amorim. Mesmo estando presente a todas as sessões para defender os interesses do Governo, esse “assessor” que segundo informou o líder do Governo Aero Cruz é da assessoria de governo, não sabe o que é votado na Casa e nem se interessa em saber, porque quer apenas receber seu salário e defender seu cargo biônico.

Como parlamentar responsável e atuante, fazendo jus ao salário que o povo me paga e ao voto do petrolinense, vou continuar acompanhando o comportamento inadequado desse assessor sei lá de quê, em relação a mim e a qualquer colega da bancada de oposição. Porque desocupação no serviço público é inapropriado para um país mergulhado na crise econômica.

Aos desocupados que justificam seus atos de covardia com palavras, meu silêncio, ao meu povo que confia em mim, meu trabalho e meu respeito.

 

Cristina Costa

Vereadora do PT

Notícias

Em Serra Talhada, Marília Arraes reacende a onda vermelha petista e disputa em alto nível de popularidade com evento de FBC e outros aliados de Temer em Petrolina

Mesmo com toda a mobilização do senador Fernando Bezerra Coelho e do seu filho, Miguel (PSB) – o mais novo Coelho a ocupar a Prefeitura de Petrolina – somada a presença dos mais altos caciques da direita pernambucana e à estrutura que possuem, não foi suficiente para superar a atividade realizada pelos petistas em Serra Talhada.

Foto: Ascom Marília Arraes

A eleição de 2018 para o Governo de Pernambuco registrou neste sábado (27/02), duas imagens que certamente demarcam os rumos que estão colocados para o Estado. De um lado, em Petrolina, a autoproclamada frente de oposição, que reúne os até recentemente aliados do Governador Paulo Câmara (PSB), Fernando Bezerra Coelho (PMDB) e família, Bruno Araújo (PSDB) e Mendonça Filho (DEM), além de Armando Monteiro Neto (PTB), promoveu mais um encontro recheado de velhos e cansados nomes da política pernambucana junto com seus herdeiros, acompanhados de centenas de cabos eleitorais, apadrinhados e beneficiários de favores políticos.

No mesmo dia, em Serra Talhada, a vereadora do Recife Marília Arraes (PT), foi oficialmente lançada pré-candidata ao Governo pelo Partido dos Trabalhadores. Em ato completamente diferente, a vereadora petista contou principalmente com a presença do povo, militantes do PT e simpatizantes, comprometidos com as lutas e conquistas dos governos petistas e solidários ao difícil momento pelo qual passa o presidente Lula e o partido no enfrentamento ao golpe. Gente que se deslocou voluntariamente para endossar a proposta de renovação da política pernambucana.

As imagens falam por si. Não se trata de tirar conclusões precipitadas. O fato, tão concreto quanto os infelizes e alarmantes índices de violência deixados pelo PSB durante o Governo Paulo Câmara, é que a eleição para o Palácio do Campo das Princesas será polarizada. Ela terá de um lado os setores que elegeram Paulo Câmara e colocaram Michel Temer na cadeira de Presidente da República e de outro os setores populares que resistem as reformas ilegítimas e defendem a retomada de um governo democrático, voltado para mudar a vida da maioria dos trabalhadores.

Foto: Ascom Prefeitura de Petrolina

Nesse cenário, as duas atividades realizadas neste dia 27 expressam o potencial que ambas as forças possuem. Nesta avaliação, cabe ressaltar que mesmo toda a mobilização do senador Fernando Bezerra Coelho e do seu filho, Miguel (PSB) – o mais novo Coelho a ocupar a Prefeitura de Petrolina – somada a presença dos mais altos caciques da direita pernambucana e à estrutura que possuem, não foi suficiente para superar a atividade realizada pelos petistas em Serra Talhada, com recursos mínimos e com toda a campanha antipetista que se desenvolve diariamente nos grandes meios de comunicação.

Sem nenhuma dúvida, esta será a toada de toda a campanha eleitoral. Fernando Bezerra Coelho Filho, responsável por realizar a venda da Eletrobrás, afirmou em seu discurso que “mais pessoas virão para o nosso lado porque somos capazes de juntar muita gente boa para inaugurar um novo tempo em Pernambuco”. Novo tempo é a consigna de seu irmão à frente da prefeitura de Petrolina, que até o momento amarga baixíssimos índices de aprovação e faz um governo inexpressivo, com as caras da velha política que marcaram as gestões de seu pai.

Vale destacar ainda que, entre os nomes do campo que representa o programa do Governo Michel Temer, o nome que aparece melhor nas pesquisas é o do Senador Armando Monteiro, candidato ao Governo nas eleições de 2014. Ainda assim, em todas as pesquisas, Armando aparece tecnicamente empatado com a vereadora Marília Arraes, que pela primeira vez se coloca em uma disputa estadual. Logo, o que se apresenta é uma eleição de grande antagonismo, em que caberá a maioria do povo escolher qual caminho deseja seguir.

O vereador Gilmar Santos, presente ao ato de Serra, fez a seguinte avaliação: “o lançamento da pré-candidatura de Marília Arraes ao governo de Pernambuco mexe profundamente com o sentimento de uma população que identifica na companheira a herança política de personalidades jamais esquecidas pelo povo, a exemplo de Arraes, Lula e Dilma, mas para além disso, por sua capacidade de apresentar propostas e projetos que tirem o Estado do abismo em que se encontra, pela coragem de enfrentar os golpistas de plantão que continuam ameaçando a dignidade do nosso país. A forte presença do povo em Serra Talhada sinaliza que Pernambuco terá sua primeira governadora”.

 

Por Patrick Campos Vice-presidente do PT

Ascom Mandato Coletivo do Vereador Gilmar Santos

Notícias

Vereadores e SINTRAF apresentam reivindicações da Agricultura Familiar ao Prefeito Miguel Coelho

“O encontro é uma demonstração da importância das mobilizações sociais na luta por garantias de direitos e do compromisso da Câmara em assumir essas lutas. Foi o que fizemos quando o sindicato da agricultura familiar nos procurou para a realização da audiência pública”, disse o vereador Gilmar Santos.

Na tarde desta quarta-feira, 28, vereadores e representantes da Agricultura Familiar foram recebidos pelo prefeito Miguel Coelho, atendendo solicitação do vereador Gilmar Santos, proponente da audiência pública sobre agricultura familiar, realizada em 06 de Junho, para apresentação do relatório da referida audiência, o qual aponta diversas demandas de agricultores familiares do Município.  Entre os pontos apresentados ao gestor municipal, estão:

1 –  Exigência do executivo municipal para a garantia de cumprimento das leis que regem o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE)  (retomar e respeitar o calendário de ações das políticas municipais voltadas para a agricultura familiar).

2 – Solicitação ao executivo municipal para recomendar às instituições federais em Petrolina a aquisição dos produtos da agricultura familiar, em cumprimento à lei federal nº 11.326/2006 sobre o PAA institucional;

3 – Exigência para o funcionamento do Serviço de Inspeção Municipal (SIM), para garantia de atividades dos agricultores;

4 – Garantia de maior alinhamento entre governo municipal e estadual perante as políticas para agricultura familiar;

5 – Propor ao executivo municipal a realização de abate específico para o PAA no abatedouro de Rajada;

6 – Reativação da central de distribuição do PAA, com as condições necessárias ao bom funcionamento dos programas para o setor.

7 – Exigência ao Executivo para desenvolver mapeamento da agricultura familiar no município de Petrolina, para o desenvolvimento de políticas voltadas para o seguimento.

8 – Propor ao executivo municipal a construção de tabela de preços da agricultura familiar local, com efetiva participação de representantes do setor;

Em resposta às solicitações, o prefeito reconheceu o atraso na compra dos produtos dos agricultores, via PAA,  devido pendências da prefeitura, desde a gestão anterior, junto ao Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA), referente ao cadastro do programa, pois esse encontrava-se inadimplente, o que gerava incerteza sobre os recursos federais para aquisição desses produtos da agricultura familiar. Na sua fala o prefeito afirmou que preferiu atrasar a execução do programa para garantir maior segurança ao seguimento.  Diante da resposta do prefeito, a presidente do Sindicato dos Agricultores Familiar e Empreendedores Familiar  Rurais Petrolina (SINTRAF), Isália Damasceno, exigiu melhor comunicação da secretaria responsável afirmando que se essa explicação tivesse sido apresentada anteriormente pela gestão, haveria uma maior compreensão do setor.

Coincidindo com o dia em que o prefeito confirmou receber a comissão de vereadores e representante do SINTRAF, dia 27 de Junho, a gestão anunciou o início do agendamento para a venda dos alimentos que serão fornecidos através do PPA, que encontrava-se há seis meses sem execução. Para esse ano o programa contará com recurso federal no valor 1,5 milhão, contemplando 302 agricultores.

Sobre o PNAE, explicou que o processo de licitação está em fase recursal, cumprindo um prazo de 05 dias úteis. Caso ocorra sem maiores problemas os agricultores contemplados assinarão os contratos até o final da próxima semana. A previsão, segundo o prefeito, é que o recurso federal chegue a aproximadamente 3 milhões neste ano.

O prefeito comprometeu-se em apresentar recomendação às instituições federais para a aquisição dos produtos da agricultura familiar. Quanto ao Serviço de Inspeção Municipal (SIM), Miguel Coelho afirmou já está em funcionamento no município, e que a gestão, através da Agência Municipal de Vigilância Sanitária, tem procurado ampliar e fiscalizar o serviço. Em relação ao abatedouro de Rajada, o prefeito afirmou que exigiu melhor adequação do equipamento junto às normativas obrigatórias e que os responsáveis estão procurando garantir essa solicitação.

Sobre a Central de Distribuição do PAA, em construção desde a gestão passada, o prefeito afirmou que as obras foram retomadas e que num prazo de até 60 dias estará em funcionamento. Ao tratar do mapeamento da agricultura familiar no município, sinalizou não ser de competência da gestão, mas diante da insistência do vereador Gilmar Santos, quando afirmou a importância dos dados para o planejamento de políticas públicas para o setor, mostrou-se flexível à questão.

O gestor municipal sinalizou compromisso quanto ao alinhamento junto ao governo do estado e, em resposta à solicitação da tabela de preços para o seguimento da agricultura familiar, sugeriu que o próprio setor apresentasse à gestão, sendo esse instrumento uma referência para a execução do PNAE.

Ao avaliar o encontro o prefeito fez o seguinte balanço, “Muito Positiva. Primeiro parabenizar a Câmara pela iniciativa, na pessoa do professor Gilmar, que conduziu essa audiência pública, e todos os vereadores que aqui se fizeram presentes, demonstrando o seu interesse em fortalecer ainda mais a agricultura familiar do nosso município”.

Na sua avaliação o vereador Gilmar Santos, afirmou que “o encontro é uma demonstração da importância das mobilizações sociais na luta por garantias de direitos e do compromisso da Câmara em assumir essas lutas. Foi o que fizemos quando o sindicato da agricultura familiar nos procurou para a realização da audiência pública. Apresentamos as demandas desses trabalhadores e trabalhadoras ao prefeito e cumprimos parte do que foi prometido. A posição e disposição do prefeito foram positivas, no sentido de responder aos agricultores, e nós continuaremos acompanhando e fiscalizando para que o seguimento se fortaleça, pois ganha todo o município”.

Estiveram presentes, além da presidente do SINTRAF, e do vereador Gilmar Santos, Cleiton Medeiros, do Conselho de Desenvolvimento Rural – CMDRS, os vereadores, Gabriel Menezes, Ronaldo Silva, Rui Wanderley, Rodrigo Araújo, Aero Cruz, Ibamar Fernandes, Alex de Jesus, e o assessor especial do governo, Orlando Tolentino.

Outras ações propostas no relatório da audiência serão desenvolvidas pelos vereadores junto às instituições municipais.

Confira no link abaixo o relatório completo da Audiência Pública

Relatório Final Audiência Agricultura Familiar

 

ASCOM Mandato Coletivo – Gab. Vereador Gilmar Santos.

Notícias

Processo de transição em Petrolina: clima amigável só no papel

Foto tirada no início da transição, já não condiz com a realidade. Julio Lossio solicita intervenção do MP no processo transitório

Foto: Reprodução.
Foto: Reprodução.

O processo de transição em Petrolina, iniciado no dia 13 ce outubro, vem ocorrendo com trocas de farpas e acusações entre a equipe do prefeito Júlio Lossio e a equipe designada pelo prefeito eleito Miguel Coelho. Faltando 15 dias para o final de um mandato e início de outro, parece que ambas não chegarão a um entendimento.

A equipe de Miguel diz que o município está dificultando o processo e não tem dado as informações solicitadas a contento. A equipe de Lossio, por sua vez, contesta e diz que tudo que foi solicitado, foi entregue. Resumindo: o impasse chega ao Ministério Público.

Na manhã desta terça-feira o prefeito Júlio Lossio enviou uma nota à imprensa anunciando que buscou a intervenção do Ministério Público do Estado de Pernambuco, pleiteando a participação de um representante do órgão no processo, devido aos impasses criados durante a transição.

Relata a nota que, na última quarta-feira, 14, foi agendada uma reunião das comissões com gestores da Agência Municipal do Empreendedor – AGE e da Vale Digital, porém, os representantes de Miguel Coelho não compareceram, porque pretendiam a realização do evento em sua sede, disponibilizada pela iniciativa privada.

Percebe-se que as equipes se desentendem até na escolha do local para se encontrar e tocar o processo transitório.

Segundo Lossio, o processo de transição tem natureza institucional e assim deve ser tratado em todos os seus aspectos, afirmando que a Prefeitura destinou um espaço público especialmente para esse fim, na Secretaria de Saúde, e que não é recomendável utilizar locais estranhos à atividade pública. Lembrou que a Lei Complementar nº 260/2014 impõe ao governo municipal em exercício a garantia da infraestrutura necessária para a realização dos trabalhos da comissão de transição.

O prefeito reafirmou ainda o interesse no processo de transição do seu governo, e acrescentou que os gestores municipais estão à disposição para prestar informações e esclarecimentos sobre cada um dos órgãos da Prefeitura, e defendeu a utilização do espaço público designado para esse fim, (Uma sala da Sec. de Saúde) ou mesmo nas próprias sedes dessas unidades.

O prefeito concluiu a nota dizendo acreditar que a intervenção do Ministério Público trará a tranquilidade necessária à conclusão deste processo, que deve transcorrer de forma civilizada, pacífica, proveitosa e pautada na legislação de regência.

Hoje, pela manhã, Miguel Coelho anunciou o seu secretariado, e durante sua fala não poupou críticas ao atual governo, inclusive alegando que vai receber o município com uma dívida de mais de 60 milhões de reais.

Em outra oportunidade, ao ser questionado pela imprensa sobre o assunto, Júlio Lossio respondeu que Miguel Coelho estaria reclamando de que,? Ee quando ele recebeu a prefeitura havia uma dívida de mais de 120 milhões deixadas por gestões anteriores, inclusive, pelo próprio pai de Miguel, Fernando Bezerra Coelho.

Diante de impasse criado entre as equipes de transição do atual e futuro prefeito de Petrolina, vem a pergunta que não quer calar: quem é que vai pagar por isso?

 

Notícias

Miguel Coelho anuncia nomes de dez secretários

“A gente não está anunciando o secretariado completo porque as informações que nos passaram foram incompletas”, disse.

Coletiva à imprensa. Prefeito Miguel Coelho e secretários. foto: Angela Santana - Ponto Crítico
Coletiva à imprensa – Prefeito Miguel Coelho e secretários. Foto: Angela Santana – Ponto Crítico

Conforme anunciamos o prefeito eleito Miguel Coelho apresentou na manhã desta terça-feira, 15, em entrevista coletiva concedida à imprensa, a equipe principal do seu governo: Os secretários municipais. Ao todo 10 secretários estarão assumindo suas pastas a partir de 01 de janeiro de 2017, quatro a menos até o momento do que a atual gestão.

Na entrevista coletiva concedida à imprensa Miguel disse que os secretários ainda não estão completos. “A gente não está anunciando o secretariado completo porque as informações que nos passaram foram incompletas e que não nos dão a tranquilidade para que a gente possa formar a equipe desde secretário até cargo de gerente. Em janeiro vamos submeter todas essas informações e fazer uma reforma administrativa completa adequando os nomes e o perfil de cada secretaria que queremos”, afirmou.

Confira abaixo os nomes e o perfil dos dez secretário anunciados pelo novo prefeito de Petrolina e divulgados pela assessoria de comunicação:

whatsapp-image-2016-12-15-at-12-11-42

Secretaria de Administração – Lucivane Lima 

Formada em Administração pela Facape e auditora fiscal da Prefeitura de Petrolina, Lucivane Lima tem mais de vinte anos de experiência em gestão pública. Coordenou as secretarias de Administração e Planejamento de Petrolina entre os anos de 2006 e 2008.  Comandou ainda a pasta de Gestão de Pessoas no município de Jaboatão no período de 2009 a 2011 e a gerência de Gestão Administrativa da Codevasf (2011-2014). Nos últimos dois anos, Lucivane é secretária de Educação e Cultura de Boa Vista, capital de Roraima.  Entre as principais atribuições da nova secretária estão a execução da folha de pagamento e relacionamento com os servidores públicos do município.

Secretário de Desenvolvimento Econômico e Agrário – José Batista da Gama

Graduado em Engenharia Agronômica e mestre em Extensão Rural, José Batista da Gama tem largo histórico ligado à produção rural. Foi secretário de Agricultura de Petrolina no governo de Fernando Bezerra e atua como professor do Instituto Federal do Sertão. José Batista ainda conciliou a vida acadêmica com a atuação política, sendo vereador de Petrolina já por quatro mandatos. O futuro secretário terá desafios importantes na gestão de Miguel Coelho como a criação de políticas para fortalecimento da produção rural e na aceleração da economia e de geração de emprego para os petrolinenses.

Secretária de Desenvolvimento Social – Kátia Carvalho

Kátia Carvalho é pedagoga e tem em seu currículo uma larga história na área do desenvolvimento social. Foi gerente de creches da Prefeitura de Petrolina e coordenadora pedagógica da Secretaria de Educação de Pernambuco. Também já foi diretora do Departamento da Criança e do Adolescente da prefeitura e técnica social da Caixa Econômica Federal. No novo governo, Kátia tem como atribuição promover e ampliar o desenvolvimento social com ações diretas e articuladas com outros órgãos, garantindo direitos e fomentando a cultura de paz.

Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade – Eduardo Carvalho  

Advogado (Unicap) e contabilista (Unicap), Eduardo Carvalho tem experiência ampla no serviço público atuando em assessoria da Câmara dos Deputados e no Ministério da Integração Nacional e consultorias de prefeituras. O futuro secretário de Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade também atuou na iniciativa privada em auditorias, elaboração de planos diretores, projetos de regularização fundiária sustentável entre outras iniciativas. Eduardo cuidará dos setores de limpeza urbana, ordenamento, iluminação pública, mobilidade entre outros serviços de manutenção da cidade.

Secretária de Educação – Maéve Melo 

Pedagoga (UPE) e Mestra em Gestão e Avaliação da Educação Pública (Universidade Federal Juiz de Fora), Maéve Melo, além da experiência acadêmica como professora da Univasf, tem uma ampla história em políticas públicas para a educação de municípios do Sertão. Foi superintendente de Educação de Petrolina e atualmente é secretária de Educação de Juazeiro. O desafio de Maéve Melo a partir de janeiro terá entre outras atribuições a gestão do programa Nova Semente, a melhoria da qualidade do ensino público e das condições de trabalho dos profissionais da Educação.

Secretário da Fazenda – Rodrigo Amaro 

O novo secretário da Fazenda de Petrolina acumula uma longa trajetória profissional ligada à gestão e controle de contas públicas. Mestre em Ciências Contábeis (UFPE) e graduado em Administração (UFPE), Rodrigo Amaro tem entre suas principais experiências o comando da Pernambuco Participações e Investimentos S/A (Perpart) e da Secretaria Estadual da Controladoria-Geral. Amaro ainda foi Ouvidor Geral do Estado de Pernambuco e é professor na Graduação e de Pós-Graduação nas áreas de Administração e Ciências Contábeis da UFRPE e UFPE. O futuro secretário da Fazenda terá a missão de cuidar da arrecadação e controle das finanças municipais com a meta de fazer a Prefeitura reequilibrar as contas públicas.

Secretário de Governo – Giovanni Costa 

Giovanni Costa é bacharel em Comunicação Social pela Faculdade São Francisco de Juazeiro. Tem sido ao longo da carreira um dos principais homens de confiança do prefeito Miguel Coelho. Foi assessor parlamentar na Assembleia Legislativa e coordenou a campanha eleitoral do novo prefeito de Petrolina. Agora, Giovanni cumprirá um papel importante no relacionamento institucional entre as secretarias municipais, Câmara de Vereadores e outros poderes públicos.

Secretário de Infraestrutura e Habitação – Heitor Leite 

Coronel da reserva, Heitor Leite comandou o 72° Batalhão de Infantaria Motorizado em Petrolina e foi diretor da Escola Militar (BA). Além da experiência militar, Leite coordenou durante três anos e meio a Secretaria de Educação de Petrolina. Agora, o Coronel Leite será o responsável pela política pública de habitação e da infraestrutura.

Secretaria de Planejamento e Inovação – Laura Recena  

Engenheira Civil (UFPE), Laura Recena foi a coordenadora do programa de governo e das principais propostas do prefeito Miguel Coelho nas eleições deste ano. A futura secretária de Planejamento tem experiência em duas das principais construtoras do país (Queiroz Galvão e Odebrecht) e desenvolveu projetos em países como Angola, Gabão e Peru. Laura assume a missão de coordenar o monitoramento das ações de prefeitura e da execução do programa de governo.

Secretária de Saúde – Magnilde Albuquerque

Magnilde Albuquerque cursou Enfermagem com habilitação em Saúde Pública pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Desde 2013 está à frente da UPAE (Unidade Pernambucana de Atenção Especializada) em Petrolina, possuindo uma vasta experiência na área pública. Foi coordenadora geral da UPA de Engenho Velho, em Jaboatão dos Guararapes, e diretora da Atenção Básica do município de Paulista. Fez especialização em Saúde da Família, trazendo ao novo governo conhecimentos e experiências exitosas na área.

Além dos 10 secretários foi anunciado também Monyk Arcando como coordenadora de Imprensa. “É um desafio muito grande, vamos trazer muitas novidades no novo governo, vamos formar a nossa equipe para as respectivas secretarias, a nossa ideia é trabalhar e fortalecer parceria com  a imprensa. Embates poderão existir, mas como o prefeito falou, o importante é manter o respeito entre nós e esperamos pautar boas notícias”, disse.

Monyk Arcanjo - Coordenadora de Imprensa. Foto: Angela Santana - Ponto Crítico
Monyk Arcanjo – Coordenadora de Imprensa. Foto: Angela Santana – Ponto Crítico

Monyk Arcanjo  é Jornalista pela Universidade Estadual da Paraíba, ela deixa a assessoria de comunicação da Facape, onde atuou por dois anos, para assumir a coordenação de imprensa da prefeitura. Atuou como repórter no Blog de Carlos Britto, período em que fortaleceu a relação com os colegas da imprensa de Petrolina e Juazeiro. O primeiro desafio profissional foi na TV Grande Rio, onde trabalhou na produção e edição dos telejornais, e como editora-chefe do GR1, telejornal de meio-dia da referida emissora.

Miguel ainda anunciou os nomes de Albérico Lacerda como Diretor-Presidente da AMMA (Agência Municipal do Meio ambiente); Diniz Eduardo, Procurador do Município; Eunício Júnior, Chefe de Gabinete e Orlando Tolentino, ex-secretário de Júlio Lossio como coordenador Especial de Assessoria Municipal.

 

Notícias

Prefeito eleito Miguel Coelho anuncia secretariado nesta quinta-feira, 15

Os novos secretários assumirão os cargos em 01 de janeiro de 2017.

Foto: Arquivo Ponto Crítico
Foto: Arquivo Ponto Crítico

O prefeito eleito de Petrolina, Miguel Coelho, apresenta nesta quinta-feira (15) os secretários que comporão sua equipe de governo para o próximo ano. O anúncio ocorre às 9h, no escritório de transição de governo, na avenida sete de setembro, bairro Antônio Cassimiro.

O anúncio será feito um dia antes da diplomação dos eleitos, que ocorrerá na sexta-feira, 16.

Os novos secretários assumirão os cargos em 01 de janeiro de 2017. A informação é da assessoria.

 

 

Notícias

Prefeito eleito de Petrolina Miguel Coelho apresenta equipe de transição e se posiciona a favor da PEC 241

Miguel afirma que processo de transição não é opção do atual administrador, é determinação do TCE. O prefeito eleito também se posicionou a favor da PEC 241. “Ela afeta a todos nós, mas precisava”, disse.

14724091_1087909421305169_19674788_oO recém eleito prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (PSB), acompanhado da vice-prefeita Luska Portela (DEM), reuniu ontem, 14, pela manhã a imprensa de Petrolina para apresentar a equipe de transição do governo municipal. O encontro aconteceu no escritório da Caixa Econômica, bairro Antônio Cassemiro, zona norte da cidade.

A equipe é formada por três pessoas: O advogado Diniz Eduardo, com especialidade no ramo de administração com ênfase em gestão fiscal, designado para coordenar a equipe de transição; Albérico Lacerda, bacharel em direito, servidor público licenciado da Polícia Federal e atua no setor fiscal, responsável pela análise de contratos, licitações e demais documentações da prefeitura e a advogada Talita Andrade que ficará responsável pela análise da área social, com destaque para os programas Nova Semente, Bolsa-Família e Políticas para indivíduos em situação de vulnerabilidade.

Conforme Miguel o processo de transição não é opção do atual administrador, mas é uma determinação do Tribunal de Contas do Estado e da Lei Complementar Estadual 260/2014. “O objetivo é fazer um diagnóstico da atual administração e tomar conhecimento de alguns dados, para evitar atos irresponsáveis como se ver em outras gestões e ao mesmo tempo informar a população para que ela saiba como funciona e acompanhe o processo de transição”, disse.

Miguel alfinetou a atual gestão dizendo que o Portal de Transparência do município de Petrolina é muito carente, colocando a cidade como uma das piores no ranking de transparência. “O ranking do Tribunal de Contas do Estado e do Ministério Público Federal aponta Petrolina como uma das piores cidades no quesito transparência”, afirmou.

O prefeito eleito acrescentou que vai procurar saber tudo o que está sendo feito no município, destacou o gasto da receita e corrente liquida, que dispõe de um percentual de 51% para ser gasto com pessoal e segundo ele, comenta-se que a prefeitura ultrapassou esse teto, o que será investigado pela sua equipe. Falou ainda em diagnóstico do IGPREV que inclusive está sob investigação da Polícia Federal, sobre investimentos feitos nos últimos 08 anos. Lembrou que a Lei de Responsabilidade Fiscal deixa claro que o atual gestor não pode deixar contas a pagar sem saldo suficiente em caixa. Comentou sobre o endividamento da prefeitura e a capacidade de investimento. Informou que a prefeitura de Petrolina tem mais de R$ 100 milhões em contratos e empréstimos e acrescentou que a equipe vai verificar com muita atenção os contratos dos terceirizados, para verificar se houve aumento três meses antes e três meses depois das eleições, o que proíbe a lei eleitoral.

Miguel Coelho afirmou na coletiva que vai ao Tribunal de Contas do Estado, (TCE), marcar uma audiência para fazer uma auditoria a parir de janeiro de 2017, com intuito de dar transparência a tudo que vão receber no início da gestão.

O atual prefeito tem um prazo de 15 dias para entregar as informações solicitadas.

A partir de novembro terão encontros temáticos para traçar as metas de trabalho.

O coordenador da equipe de Transição, Diniz Eduardo, também se colocou durante a coletiva. “A equipe de transição vai convocar alguns servidores técnicos para prestarem informações complementares a fim de fazer um diagnóstico da real saúde financeira da prefeitura de Petrolina para que em janeiro Miguel, junto com Luska, possa imprimir o plano de governo prometido a população durante a campanha eleitoral”, disse.

Problemas como: fechamento do Matadouro, Centro Administrativo, Compesa, Saneamento Básico, Regularização Fundiária, Educação Inclusiva, Mobilidade Urbana, Programa Minha Casa Minha Vida e a problemática do Parque São Gonçalo, Perimetral, entre outros de interesse da população, foram abordados pela imprensa e em todos o prefeito garantiu que assim que assumir a prefeitura, vai solucionar.

Sobre a especulação da escolha do secretariado municipal o prefeito eleito afirmou que o momento é para tratar da transição e que esse assunto só será abordado após a diplomação que ocorrerá em 16 de dezembro, até lá, ninguém está autorizado a falar em equipe de governo.

Considerações sobre a PEC 241

Questionado sobre a PEC 241 que limita gastos públicos, Miguel Coelho disse que embora afete a todos, era necessário. “Quanto a PEC 241 é um assunto do Congresso Nacional que afeta a todos nós, agora quero dizer que precisava, por que não adianta os gastos públicos estarem crescendo, se a receita não cresce, vai chegar uma hora que você não paga. Acho que essa aprovação deu sinal, primeiro para os investidores, para dizer que tem controle e que as contas não vão crescer mais do que a receita cresce, era necessário, não dava para continuar aumentando a conta sem ter de onde tirar o dinheiro para pagar. E dizer que vamos aqui trabalhar, sempre defendi isso na campanha e reitero: a nossa força a e aliança política que temos de poder ser aliados do Governo do Federal e do Governo Estado vai nos ajudar a vencer os desafios, seja na educação, na saúde ou na infraestrutura que a gente sabe que Petrolina hoje tanto precisa”, afirmou.