Espaço do Leitor

Comunitário denuncia falta de limpeza em canal de Petrolina

Lixo pode causar transbordamento do canal

IMG-20160712-WA0005Leitor Tadeu Plínio encaminhou para nosso blog fotos denunciando a sujeira em um canal que fica localizado na lateral do River Shopping, zona central de Petrolina. Além do mato que toma conta, muitos objetos são jogados ao longo do canal, podendo causar transbordamento e transtornos para a população.IMG-20160712-WA0003

É esperado da Secretaria de Infraestrutura a limpeza imediata e da população a conscientização de que  lixo jogado de forma irregular só causa prejuízos e problemas que poderiam ser evitados, se cada um fizesse a sua parte.

 

Notícias

Lixo em terreno baldio no centro de Petrolina prejudica moradores

Há mais de dois meses os moradores reclamam do lixo e até agora nenhuma providência foi tomada.

13199497_973537412742371_1158240922_oOs moradores das proximidades da rua Araripina no centro de Petrolina estão revoltados com o acúmulo de lixo em um terreno baldio sem que nenhuma providência seja tomada.

Há mais de dois meses o lixo vem se amontoando no local: pneus, animais mortos, galhos, entulhos, garrafas, tudo é descartado nesse local, atraindo ratos, baratas e muriçocas, inclusive o risco do mosquito da dengue, aedes aegyptipois, se alojar nesse local.

Segundo uma moradora que não quis se identificar, por diversas vezes a Secretaria de Ordem Pública foi informada sobre o problema, mas até o momento não adotou nenhuma providência. “É preocupante essa situação, pagamos em dia nossos impostos, inclusive o IPTU, e quando precisamos não somos atendidos e nem respeitados em nossos direitos”, desabafou.13170675_973537419409037_97820746_o

A moradora informou ao nosso blog, que no último contato com a Secretaria de Ordem Púbica foram informados que a demanda era grande, mas tomariam as providências cabíveis o mais  rápido possível. Porém, o lixo continua no mesmo local, se amontoando cada dia mais.

Os moradores estão revoltados com o descaso.

Espaço do Leitor

Situação do campo da “Liga 1º de Maio” revolta moradores de Juazeiro-BA

Um dos nossos leitores faz uma denúncia sobre a situação do campo da “Liga 1º de Maio” e sobre a falta de apoio da prefeitura de Juazeiro para o campeonato de futebol realizado anualmente pela liga.

“Olha só como está a situação do campo da “Liga 1º de Maio” É determinante um descaso absurdo, onde esse ano a liga 1º de Maio faz 52 anos de sua existência, liga essa que revelou grande nomes que por aqui passaram. Sendo que o campeonato não aconteceu ano passado, pelos simples motivo. A Prefeitura Municipal de Juazeiro , juntamente com a secretaria de esporte, não deram se quer o seu apoio. O esporte é uma inclusão social, seu prefeito Isaac Carvalho, e é por isso que a criminalidade em Juazeiro só aumenta. Cadê o apoio do senhor secretário de esporte? a liga completou 50 anos de sua experiência, e sabe porque teve campeonato nesse ano?! Porque as equipes custearam 85% do mesmo. A pergunta que fica. “A liga 1º de Maio vai se acabar mesmo?!” Observa a foto que está editada com uma seta, essa rua da acesso a casa do Deputado Estadual que mora aqui em Juazeiro, e é ligado ao seu partido prefeito, deputado esse que foi eleito com a ajuda da maioria dos atletas que jogam esse campeonato.”.

Eclair Libório- Morador de Juazeiro-BA.

1936979_897256523704851_382584932900165514_n 10389612_897256313704872_1432102089744009583_n 12509215_897256173704886_3645216668662696230_n 12733573_897256703704833_8193119841778292320_n 12733983_897256773704826_1493031386580624066_n 12741896_897256063704897_8986175425020624738_n 12741896_897256650371505_3321402148335752268_n 12744355_897256243704879_5107207010924655633_n 12745511_897256367038200_7787910114075831615_n

Notícias

Comunitária reclama de lixo no centro de Petrolina

Segundo a moradora, com o lixo jogado nesse terreno, que é colado no muro da casa dela, além do mau cheiro insuportável, ratos e baratas oriundos do lixo, invadem as residências gerando transtornos para os moradores.

IMG_20160129_182954473Lugar de lixo é no lixo! Esse velho bordão poderia estar fora de uso, se as pessoas já tivessem se conscientizado dessa assertiva, mas pelo que se pode observar em algumas ruas e bairros de Petrolina isso não acontece, pelo contrário, o que se ver constantemente é lixo jogado aleatoriamente. Por outro lado, o poder público municipal, através da Secretaria de Infraestrutura, também deveria agir com maior rapidez no recolhimento de lixo e entulhos em terrenos baldios e punir os responsáveis por depositarem lixo em locais inapropriados.

IMG_20160129_182539771Na rua Araripina, no centro da cidade, próximo a travessa Mario Melo, sentido Orla I, é um exemplo claro de desrespeito. Moradores depositam lixo e entulhos em um pequeno terreno, que fica no fundo de uma residência, causando transtornos para a moradora Angelita Coelho que procurou o nosso blog para reclamar e pedir providências.

IMG_20160129_182604912“Eu quero pedir a prefeitura que faça alguma coisa, pois as pessoas estão jogando tudo quanto é lixo aqui: animais mortos, escada, pneus, garrafas, restos de construção, lama de esgoto, tudo que você imaginar. E o carro do lixo passa três vezes por semana, mas não tem jeito, as pessoas continuam depositando lixo aqui. E o mosquito da dengue que está solto por aí? Tudo isso é preocupante”, reclamou.

Segundo a moradora, com o lixo jogado nesse terreno, que é colado no muro da casa dela, além do mau cheiro insuportável, ratos e baratas oriundos do lixo, invadem as residências gerando transtornos para os moradores.  Ela pede que a prefeitura limpe e exija que o dono do terreno tome uma providência definitiva.

Notícias

Movimento “Faxina no Velho Chico” reuniu estudantes e colaboradores em Juazeiro

O mutirão também contou com o repente do poeta Valdir Lemos que homenageou a iniciativa das estudantes.

Apoio da Cooperativa

O movimento em defesa das margens do Rio São Francisco, “Faxina no Velho Chico”, realizado neste fim de semana em Juazeiro-BA, mobilizou estudantes na faixa de seus 14 a 17 anos, amigos e colaboradores, sensíveis à causa ambiental, deflagrada por 5 colegas de escola, que resolveram partir para uma tarefa cidadã, oferecendo à cidade e ao seu maior patrimônio, o seus serviços e tempo.

Gabriella Amaral, Maria Helena Aranha, Melâne Pereira, e as irmãs Daise e Débora Souza, se juntaram às amigas, amigos, artistas e colaboradores e puseram “a mão na massa”, sem nenhuma vergonha, sem medo de exposição, e principalmente denunciando o vandalismo, o descaso, e o abandono de alguns pontos turísticos da cidade, assim como o próprio Rio São Francisco.

Cooperação 1De acordo com a organização do movimento, foram mais de 20 sacolas de lixo recolhido às margens do rio, sendo que a orientação era separar todo o material reciclável. Para isso, o movimento das estudantes contou também com a parceria da Cooperativa de Catadores de Material Reciclável de Juazeiro.

Para Raimundo Francisco da Silva, da Representação do Movimento Nacional dos Catadores, e membro da Cooperativa de Catadores de Material Reciclável, a iniciativa das estudantes é bastante louvável, e que deveria servir de exemplo para toda a cidade. “Nós recebemos o convite para está apoiando este projeto da limpeza às margens do Velho Chico, e viemos dar a nossa contribuição”, disse, parabenizando a equipe organizadora do movimento. “É preciso dar continuidade”.

O aposentado José Alves dos Santos, 67 anos, da Ilha de Nossa Senhora, também parabenizou o trabalho das meninas, destacando a importância daquele ato em defesa do rio. “A ação é muito boa, acho que o pessoal aqui do Angarí devia também fazer isso, porque uns fazem e outros não, não é todos os pescadores que fazem isso”, observou.

A estudante Fernanda Victória Lima, 17 anos, que se integrou à turma de colegas de escola para participar do trabalho coletivo, disse da importância que é ajudar um projeto como este. “As pessoas não se importam, vem aqui e sujam, fazem o que querem, não podem nem culpar a prefeitura, porque pessoas assim não respeitam a cidade, não limpam nem o seu próprio lixo”, desabafou.

Adriano Amorim, 29 anos, morador de Petrolina-PE, também falou sobre a iniciativa das estudantes, e disse que em outra oportunidade participaria. “Uma coisa bonita que estão fazendo, muitos frequentadores que a gente ver tomam banho aqui e jogam garrafas no rio, até os que ganham o pão, como os pescadores, fazem a mesma coisa”, lamentou. “Vou participar quando tiver outro, principalmente quando vier pras margens do rio do lado de Petrolina”.

 

Notícias

Estudantes de Juazeiro realizam movimento em favor do Rio São Francisco

A mobilização conta com mutirão de limpeza e campanha de conscientização na cidade.

12573682_967094036661284_1184373808347438862_nCinco estudantes de escolas públicas de juazeiro-BA estão organizando um mutirão de limpeza denominado “Sujou, Limpou”, que será realizado nas margens do Rio São Francisco.

Gabriella Amaral, (14 anos); Maria Helena Carvalho, (15 anos); Melâne Pereira, (16 anos), e as irmãs Débora e Deise Souza, (16 anos) de bairros de Juazeiro, decidiram organizar o movimento, que segundo elas, pretende envolver a sociedade, para uma ação de limpeza e conscientização sobre a preservação das margens do Rio São Francisco, e deve contar com “o apoio de todo mundo”.
O movimento em favor do “Velho Chico”, principalmente dos pontos turísticos às margens do rio, como Angarí e a Orla, será realizado neste sábado, dia 30, a partir das 08 horas, tendo como trajeto a Avenida Carmela Dutra até às imediações das Orlas I e II.

Para a estudante Gabriella Amaral, o fato de outros movimentos semelhantes já terem sido realizados na cidade, motivou a ela e suas colegas de escola a fazerem também o mutirão.
“Ainda quando eu estudava no Paulo VI, antes de cursar o ensino médio, eu já percebia esses movimentos de limpeza às margens do rio, e isso nos motivou a fazer também, o que é uma obrigação de cada cidadão e cidadã, no mínimo manter a cidade limpa, e preservar às margens do nosso rio, não deixando o seu lixo chegar ao Rio São Francisco, que é um patrimônio de todos”, disse, acompanhada por Melâne e Maria Helena.
“Nós sabemos que às margens do rio não estão tão sujas assim, até porque, vieram às chuvas, e o lixo que se encontrava lá a chuva já levou para dentro do rio”, lamenta Helena, acreditando, que não basta apenas limpar, é preciso manter limpo. “É preservar às margens do nosso rio, que há pouco tempo vinha sofrendo com a falta de chuvas, e ainda ignorado pela própria população”, disse a estudante.
A iniciativa das estudantes em realizar o mutirão de limpeza despertou a atenção do poder público, que através das secretarias de Desenvolvimento e Igualdade Social (SEDIS), Serviços Públicos (SESP) e Cultura e Juventude (SECJU), está apoiando o movimento.

“Contamos com a ajuda da população juazeirense para nos mobilizarmos por tal causa, seja direta ou indiretamente”, concluiu Helena.

 Informações: SECJU
Notícias

Em 2050, os oceanos terão mais plástico que peixes

Pelo menos 8 milhões de toneladas de plástico – o equivalente a um caminhão de lixo por minuto – são despejadas no oceano anualmente, segundo o Fórum Econômico Mundial.

lixo

Caso você precise de mais evidências de que os homens estão fazendo um belo trabalho de destruição do planeta, considere o seguinte: se continuarmos desse jeito, vai haver mais plástico que peixes nos oceanos.

Essa é a conclusão de um novo relatório do Fórum Econômico Mundial e da Fundação Ellen MacArthur.

“As melhores pesquisas disponíveis hoje estimam que haja mais de 150 milhões de toneladas de plásticos no oceano hoje”, diz o relatório. “Num cenário em que nada mude, espera-se que o oceano contenha 1 tonelada de plástico para cada 3 toneladas de peixes em 2025 e, em 2050, mais plásticos que peixes (por peso).”

Em outras palavras, em apenas 34 anos, a quantidade de lixo plástico no oceano vai superar, em peso, a de peixes.

O estudo descreve os plásticos como “material faz-tudo ubíquo da economia moderna” e afirma que, depois de um curto primeiro ciclo de uso, 95% do valor material das embalagens plásticas, entre 80 bilhões e 120 bilhões de dólares anualmente, são perdidos.

Pelo menos 8 milhões de toneladas de plástico – o equivalente a um caminhão de lixo por minuto – são despejadas no oceano anualmente, segundo o Fórum Econômico Mundial.

O relatório, “A Nova Economia do Plástico: Repensando o Futuro dos Plásticos”, também oferece esperanças.

Novos materiais e tecnologias indicam que é possível erradicar o desperdício de plástico.

Alcançar tal mudança sistêmica, diz a Fundação Ellen MacArthur, vai exigir uma importante colaboração, incluindo empresas de bens de consumo, fabricantes de plásticos, empresas envolvidas na reciclagem e autoridades.

“Esse relatório demonstra a importância de começarmos uma revolução no ecossistema industrial dos plásticos”, disse em comunicado Dominic Waughray, do Fórum Econômico Mundial, “e é um primeiro passo para mostramos como transformar a maneira que os plásticos se movimentam na nossa economia.”

Hoje, só 14% das embalagens plásticas são coletadas para reciclagem, segundo o Fórum Econômico Mundial. Em comparação, o índice de reciclagem de papel é de 58%, e o de ferro e aço está entre 70% e 90%.

Claramente há margem para melhoras.

 Informações e foto: Planeta Sustentável