Notícias

Mercado do Produtor de Juazeiro divulga cotação desta quarta-feira

Os valores apresentados são obtidos através de pesquisa diária no mercado, que funciona de segunda a sexta-feira (das 2h às 22h) e aos sábados (das 2h às 17h) e aos domingos à partir das 22h.

Foto: Reprodução

O Mercado do Produtor de Juazeiro divulgou a cotação dos produtos comercializados no entreposto nesta quarta-feira (03). Os valores apresentados são obtidos através de pesquisa diária no mercado, que funciona de segunda a sexta-feira (das 2h às 22h) e aos sábados (das 2h às 17h) e aos domingos à partir das 22h.

O consumidor que for ao Ceasa ao longo do dia pode encontrar Aipim/Macaxeira por R$ 45,00 a Caixa com 25 kg;  Feijão Verde por R$ 7,00 o  Litro; Tomate por R$ 70,00 a caixa com 26 kg; Goiaba por R$ 35,00 a caixa com 20 kg; Maracujá por R$ 37,50 a caixa com 16 kg; Laranja por R$ 25,00 o Cento. A cotação completa segue em anexo.

COTAÇÃO 03-02-21

Por Welington Alves – Assessor de Imprensa da AMA

Cultura

Exposição em Juazeiro homenageia Bossa Nova

A exposição pode ser visitada de segunda a sexta-feira, das 8h às 14h, atendendo todos os protocolos sanitários, permitindo a entrada de duas pessoas por vez.

Foto: Divulgação

A Secretaria de Cultura, Turismo e Esportes (Seculte) de Juazeiro abriu uma exposição de fotos em comemoração ao Dia Nacional da Bossa Nova, celebrado nesta segunda-feira (25).

A exibição “João Gilberto, sua casa, sua gente” é permanente e fica no Memorial Casa Bossa Nova, na Praça da Bandeira, nº 20, Centro.

Agora, além de conhecer a vida de João Gilberto, pai da Bossa Nova através do seu acervo, também é possível conhecer outras histórias de artistas locais que carregam no sangue o ritmo que surgiu na década de 50.

A exposição pode ser visitada de segunda a sexta-feira, das 8h às 14h, atendendo todos os protocolos sanitários, permitindo a entrada de duas pessoas por vez.

Por  Fabíolla Paiva – Assessora de Imprensa da Seculte

Matérias

Gean Ramos brilha no encerramento do 23º Festival Edésio Santos da Canção

No palco, Gean Ramos, militante das causas indígenas no Brasil e representante da nação pankararu, dedicou a conquista “ao povo ribeirinho e às nações indígenas, massacrados diariamente por um governo genocida, que tira a vida, a terra e a condição dos povos tradicionais indígenas”.

Foto: Ascom Secult

O pernambucano Gean Ramos foi o destaque no encerramento da 23ª edição do Festival Edésio Santos da Canção, ao arrebatar na noite desta sexta-feira (12), o prêmio máximo, interpretando a música “Se Urú Obaí – Da minha boca sai fogo”, de sua autoria e ainda comemorou a premiação e troféu do segundo lugar, com a música “O tempo do amor”, de Eugênio Cruz.

No palco, Gean Ramos, militante das causas indígenas no Brasil e representante da nação pankararu, dedicou a conquista “ao povo ribeirinho e às nações indígenas, massacrados diariamente por um governo genocida, que tira a vida, a terra e a condição dos povos tradicionais indígenas”.

O evento realizado pela Secretaria de Cultura, Turismo e Esporte da Prefeitura Municipal de Juazeiro, com recursos da Lei Federal Aldir Blanc, por conta da pandemia da Covid-19 ganhou um novo formato com transmissão ao vivo pelos canais oficiais no YouTube e Facebook, e registrou cerca de 50 mil acessos a cada apresentação, além de ganhar elogios de artistas e do povo em geral, que pôde compartilhar pela internet o desfile de cantoras, cantores e intérpretes de variados movimentos do cenário musical.

O deputado estadual Zó, representando o prefeito Paulo Bomfim, fez entrega do prêmio ao vencedor Gean Ramos e enalteceu a grandeza do evento. “Apesar do movimento difícil que atinge a população, o governo municipal, através da Seculte, se reinventa ao promover o festival Edésio Santos, numa demonstração da garra e do talento natural do juazeirense”, afirmou.

Foto: Ascom Secult

A jornalista, cantora e compositora Sibele Fonseca marcou presença na quadra do Espaço Cultural CEU e fez coro com aqueles que aplaudiram a iniciativa do governo municipal em superar obstáculos para levar ao setor cultural da cidade mais uma edição do FESC. Entre os convidados da noite, também estava o advogado Carlos Luciano que parabenizou o secretário Alan Cleber e equipe da Seculte, pela competência em tornar real o “desafio de promover o FESC, a despeito de todas as dificuldades”.

Responsável direto pela realização da grande festa musical do Vale do São Francisco, o secretário Alan Cleber comemorou. “Missão cumprida. Eu que vivi a primeira emoção no Edésio Santos ao conquistar o troféu de melhor intérprete anos atrás, digo que esse foi o maior desafio da minha vida. E para alcançar o objetivo, tenho que agradecer ao prefeito Paulo Bomfim, à minha equipe e a toda classe artística que contribuiu para o sucesso desta edição única do maior festival que eu participei”, reconheceu o gestor da Seculte.

Pela primeira vez apresentando seu show em Juazeiro, o cantor Almério arrebatou o pequeno público que teve o privilégio de vê-lo de perto e teceu comentários positivos ao Festival. “A ideia da adaptação é maravilhosa e mesmo sem a presença física do povo, o calor humano existe porque ele está nos assistindo de qualquer lugar. E cantar na cidade de João Gilberto e Ivete Sangalo, além de desafiador, é um grande privilégio”, pontuou.

Foto: Ascom Secult

Conheça os vencedores:

1º lugar – “Se Urú Obaí”, autoria e interpretação de Gean Ramos.

2º lugar – “O tempo do amor”, de Eugênio Cruz, interpretada por Gean Ramos;

3º lugar – “Flor de Lotus”, de Dayane Menezes;

Melhor intérprete: Joyce Guirra, autora da música “Canto em pranto”;

Júri Popular – a música “Flor de Lotus”, de Dayane Menezes, foi a vencedora com 9.083 votos;

 

Por Carlos Humberto/Seculte

 

Notícias

Festival Edésio Santos já tem as 12 canções finalistas

O FESC é uma realização da Prefeitura Municipal de Juazeiro, através da Secretaria de Cultura, Turismo e Esportes e esse ano acontece com os recursos da Lei Aldir Blanc.

A segunda noite da 23° edição do Festival Edésio Santos da Canção aconteceu nesta sexta-feira (11) e as 12 músicas finalistas foram selecionadas. O FESC é uma realização da Prefeitura Municipal de Juazeiro, através da Secretaria de Cultura, Turismo e Esportes e esse ano acontece com os recursos da Lei Aldir Blanc.

Segundo o jurado Pib Ferreira, a seleção das 12 canções foi uma tarefa difícil, pelo alto nível de qualidade das concorrentes. “O Festival reúne grandes compositores e intérpretes e é sempre difícil julgar. Temos medo de errar, de ser injusto, então é preciso analisar bem as letras, os arranjos, as músicas que nos tocam, nos emocionam, a interpretação. Levamos em conta todas essas coisas e conseguimos fazer as escolhas”, explica.

A canção Canto em Pranto, da cantora, compositora e jornalista Joyce Guirra está entre as classificadas. Joyce já venceu uma edição do FESC e foi escolhida como Melhor Intérprete em outra. Na noite de hoje ela estava visivelmente emocionada e arrancou aplausos dos colegas concorrentes. “A emoção é a essência da arte, da música. Minha música diz muito sobre o existir, sobre o ser e sobre a relação com o outro que, muitas vezes, se torna uma extensão de nós. Uma relação que é conflituosa, mas que é permeada de muito amor. Foi isso que tentei passar”, disse Joyce.

As músicas classificadas para a grande final da 23° edição do Festival Edésio Santos da Canção são as seguintes:

1.Dilema (Noel Ferrari)

2. Se Urú Obaí – Da Minha Boca Sai Fogo (Gean Ramos)

3. Onde Tudo Começa (Keréto)

4. Flor de Lótus (Dayanne Silva Ferreira de Menezes)

5. Se Por Acaso Ela Tiver (Nally Maria e Ivan Greg)

6. Voe! (Elder Ferrari e Victor Aureli)

7. We Will Survive (Allan Carlos Mendes de Oliveira)

8. Tempo de Amor (Eugenio Cruz)

9. Canto em Pranto (Joyce Guirra)

10. Mundo Afora (Nelson Luiz Leal Gusmão)

11. Travessia (Killauea)

12. Arame Farpado (Gutemberg Vieira e Sérgio Silva)

Neste sábado (12), às 19h, transmitida pelas páginas Facebook e YouTube da Prefeitura de Juazeiro, acontece a grande final do FESC. Além das 12 canções finalistas, também haverá apresentação do show de Almério, cantor pernambucano ganhador do Prêmio Revelação da Música Brasileira e indicado ao Grammy Latino na categoria Melhor Álbum de Música Regional.

Por Ramáiana Leal/SECULTE

Notícias

Vereadores de Juazeiro, (BA) aprovam o Estatuto da Igualdade Racial e de Combate ao Racismo Religioso

O texto, inspirado nos estatutos de Salvador e de Petrolina (PE) – um projeto do vereador Gilmar Santos (PT) cuja aprovação aconteceu no dia 27 de setembro deste ano, – é fruto de meses de discussões coordenadas pelo Conselho Municipal de Promoção da Igualdade Racial (Compir) de Juazeiro (BA), pela Frente Negra do Velho Chico e pelo gabinete do vereador Tiano.

Foto: Márcia Guena

A Câmara Municipal de Vereadores de Juazeiro/BA aprovou na terça-feira (08/12) o Estatuto da Igualdade Racial e de Combate ao Racismo Religioso da cidade de Juazeiro (Bahia). O Projeto de Lei 3.623/2020, apresentado pelo vereador Tiano Félix, do Partido dos Trabalhadores (PT), foi aprovado por unanimidade, pelos 17 vereadores presentes na sessão, sem qualquer emenda ao documento original. Agora, o projeto será encaminhado à Prefeitura para que seja sancionado pelo Prefeito Paulo Bonfim.

O texto, inspirado nos estatutos de Salvador e de Petrolina (PE) – um projeto do vereador Gilmar Santos (PT) cuja aprovação aconteceu no dia 27 de setembro deste ano, – é fruto de meses de discussões coordenadas pelo Conselho Municipal de Promoção da Igualdade Racial (Compir) de Juazeiro (BA), pela Frente Negra do Velho Chico e pelo gabinete do vereador Tiano. Os debates começaram em outubro de 2019, foram interrompidos em função da pandemia e retomados, no formato online, em setembro de 2020. Foram realizados cinco encontros virtuais, amplamente divulgados para toda a sociedade, nos quais foram estudados documentos semelhantes, até a finalização de um texto específico para Juazeiro.

Para Tiano, a aprovação é o início de uma longa caminhada. “Que este importante dispositivo legal sirva para reparação de parte da nossa história e complemento da luta pela equidade e igualdade entre os povos. Estamos muito felizes. Mas, isso, é apenas um passo. A luta continua”, concluiu.

Márcia Guena, presidenta do Conselho Municipal de promoção da Igualdade Racial de Juazeiro (BA) afirma que a aprovação do Estatuto é uma grande vitória da luta antirracista de Juazeiro. “Esta é uma cidade com 73% de população negra que ainda enfrenta grandes desigualdades em todas as áreas e, que, por isso, precisava de um marco institucional, que estivesse acima de qualquer governo, para garantir a implementação de políticas públicas para homens e mulheres negras. O racismo é um problema grave, violento que, além de tirar vidas, retira oportunidades. As cidades, estados e o país precisam ter leis que reconheçam a sua existência e reparem os danos causados por ele”, afirma.

Para Nilton Almeida, um dos coordenadores da Frente Negra do Velho Chico, a aprovação do Estatuto nas duas cidades representa um importante marco para implementação de políticas públicas. “É um marco histórico sem precedentes a aprovação do Estatuto na nossa amada Juazeiro. Temos uma plataforma muito importante para desenvolver políticas públicas consistentes que consigam contemplar a população negra. Teremos como resultado uma cidade melhor, sem sombra de dúvidas para todos. Não dá para ficar na base da neutralidade racial, não dá para ficar na base da hipocrisia racial”, afirma. 

Almeida ressalva que o documento foi produzido de forma coletiva, “reunindo o mandato do vereador Tiano Félix, a Frente Negra e o papel imprescindível do Conselho Municipal de promoção da Igualdade Racial (Compir) de Juazeiro. Compir foi crucial. Foi decisivo para envolver a liderança de Tiano”. Ele também considera a atuação da Frente Negra do Velho Chico como “muito importante para aprovação dos Estatutos em Juazeiro e em Petrolina”, pois o Estatuto dá consistência ao combate à intolerância religiosa. “O que aconteceu em Petrolina contribuiu para que o processo aqui fosse mais rápido. Todos estão de parabéns”, conclui Almeida.

Foto: Márcia Guena

 O Estatuto

Dentre as novidades do Estatuto da Igualdade Racial e de Combate ao Racismo Religioso com relação aos demais textos que ancoraram a discussão, estão o título, que substituiu a palavra intolerância religiosa por racismo religioso, marcando o caráter criminoso às agressões sofridas pelas religiões de matriz africana. O capítulo sobre mulheres negras é bastante importante, porque prevê políticas específicas para o maior grupo populacional de Juazeiro. Outra contribuição é o estabelecimento de um sistema de financiamento para as ações de promoção da igualdade racial, a partir de recursos municipais. O estatuto ainda prevê políticas de inclusão de pessoas negras em áreas do setor privado. 

O Estatuto é composto de três títulos (disposições preliminares, dos direitos fundamentais e disposições finais) e 10 capítulos, quase todos abrigados no título “dos direitos fundamentais”: da finalidade, definições e diretrizes; do sistema municipal de promoção da igualdade racial – SISMUPIR; do financiamento das iniciativas de promoção da igualdade racial; do direito à vida, à saúde; do direito à educação, à cultura, ao esporte e ao lazer; da defesa da liberdade religiosa; do acesso à terra e da moradia adequada; da comunicação social; do trabalho, emprego e geração de renda; das mulheres negras; da juventude negra; do direito ao acesso a serviços públicos e o combate ao racismo institucional; do combate ao racismo religioso.

Márcia Guena – Presidenta do Conselho de Municipal de Promoção da Igualdade Racial (Compir) de Juazeiro

Notícias

Terreira no Quidé é denunciada por poluição sonora e prova que é alvo de racismo religioso

Segundo Alessandra Batista, uma das dirigentes da Terreira, o problema já foi parar nas redes sociais, com mensagens explicitas de racismo religioso que a levaram a registrar BO de número 20-05342.

Imagem meramente ilustrativa (internet)

A adequação da legislação que trata de poluição sonora não pode ferir o direito à livre manifestação religiosa, nem promover constrangimento policial para não se configurar como mais um caso de racismo religioso, ou intolerância religiosa. Em síntese, essa é a solicitação que o Conselho de Promoção da Igualdade Racial (Compir), quer fazer a Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Ordenamento Urbano (Semaurb) de Juazeiro/BA.

Em outubro deste ano a Terreira Tenda de Umbanda Mensageiro de Luz, localizada na Rua 1, no bairro do Quidé, foi denunciada por promover excesso de ruído, junto ao Ministério Público, por uma vizinha que professa outra religião. Segundo Alessandra Batista, uma das dirigentes da Terreira, o problema já foi parar nas redes sociais, com mensagens explicitas de racismo religioso que a levaram a registrar BO de número 20-05342.

A fim de encontrar uma negociação para o conflito, o Compir já acionou a Secretaria da Promoção da Igualdade Racial (Sepromi), já se reuniu com um grupo de religiosos/as da Terreira. De acordo com a presidenta do Compir, Márcia Guena, ela tem procurado o secretário, Gilson Araújo Ribeiro, sem sucesso. Segundo Guena o secretário não respondeu as solicitações formais, via oficio, enviados nos dias 28 de outubro e 05 de novembro, como por ligação telefônica, em 29 de outubro, 04 de novembro e 06 de dezembro.

O descaso com as solicitações do Compir fez com que um funcionário dessa secretaria, junto com policiais militares, fortemente armados e em várias viaturas, estivessem no local, no último sábado (5.12). O funcionário, inclusive, prometeu retornar a terreira nesta 2ª feira (7.12), às 10 horas, para ver documentação do estabelecimento.

Inclusive, o Ministério Público dos estados da Bahia, Minas Gerais e do Paraná já emitiram notas técnicas sobre esse tipo de problema com o propósito de evitar que o cuidado com a legislação que trata do meio ambiente, resulte no benefício de pessoas ou grupos de pessoas, do aparato público, para manter o racismo religioso.

As recomendações do Ministério Público da Bahia, estão na nota técnica no 02, de 18 de novembro de 2016, assinada pela, então, Promotora Pública, Luana Maria Santana e Sant’Anna Vaz, Coordenadora do GEDHDIS. Já as recomendações no 01, de 31 de janeiro de 2018, é do Ministério Público do Estado do Paraná, assinada pelo Procurador da Justiça, Olympio de Sá Sotto Maior Neto, e a nota técnica do Ministério Público do Estado de Minas Gerais, de número 01 de 9 de junho de 2016, está assinada pela Promotora de Justiça Nívea Mônica da Silva. As informações são do Compir, Juazeiro, BA.

Notícias

Coletivo de Juazeiro propõe mandato compartilhado e inova com financiamento coletivo

Grupo de pessoas trabalhadoras com longo histórico de militância cria coletivo e convoca população para fazer uma nova política em Juazeiro

O coletivo lançou um site onde publica textos escritos por colaboradores sobre questões políticas

O Coletivo Enxame traz para o município de Juazeiro, Bahia, nestas eleições uma nova possibilidade: eleger um mandato na Câmara de Vereadoras e Vereadores que possa ser compartilhado por quatro pessoas e assim a população contar com maior representatividade. Encabeçado por Érica Daiane Costa, Antonio Carvalho, Mineia Clara e Euri Mania, ativistas de diversas causas sociais, o Enxame se lança também em uma forma diferenciada de campanha, onde os vícios da velha política são deixados de lado e se investe em formas mais dinâmicas e participativas, inclusive no que se refere ao financiamento das despesas de campanha.

Segue abaixo um vídeo que eles publicaram no Youtube, uma apresentação dos quatro co-candidatos.

 

 

Mesmo entendendo que ainda é um desafio para a sociedade lidar com estas novidades, o Coletivo lançou uma Vaquinha Online, um instrumento legal de arrecadação de recursos para custeio das despesas da campanha oficial, que começa em setembro. Através do site Doação Legal, as pessoas podem contribuir com qualquer quantia acima de R$ 10, por meio de cartão de crédito ou boleto bancário, e assim participar de um processo colaborativo, aberto a contribuição de todos/as cidadãos e cidadãs que se interessem em construir o Coletivo ou apenas incentivar esta nova forma de fazer política.

 

 

Ao contrário do que muita gente pensa, as campanhas eleitorais não são totalmente custeadas pelos partidos. Existe um recurso oriundo do Fundo Partidário, que é dividido entre todas as candidaturas, porém não garante suprir todos os gastos inevitáveis em uma campanha. Assim, cada candidato/a busca outras fontes, devendo respeitar os critérios estabelecidos pela Justiça Eleitoral. Em 2015, foram aprovadas algumas mudanças que alteraram as regras para financiamento de campanhas no Brasil, sendo uma delas a proibição de doações por parte de empresas.

O Enxame é uma candidatura do Partido dos Trabalhadores (PT) e todas as informações da Pré-Campanha podem ser acompanhadas pelo site e redes sociais do Coletivo, além de entrevistas em meios de comunicação e diálogos com as/os representantes da Pré-Candidatura e apoiadores/as. No próprio site da Vaquinha Online, é possível acessar diversas informações e assim compreender melhor o que está sendo proposto nesse pleito eleitoral, que, devido a pandemia, este ano ocorrerá em 15 de novembro.

Informações da Ascom

Notícias

Covid-19: MPF quer divulgação de dados sobre casos e internações no Vale do Médio São Francisco

Foram acionadas prefeituras de Petrolina (PE) e Juazeiro (BA), governos estaduais de Pernambuco e Bahia, Central de Regulação Interestadual de Leitos e Hospital Universitário da Univasf

Foto: HU – Univasf

O Ministério Público Federal (MPF) e os Ministérios Públicos dos Estados da Bahia e de Pernambuco expediram recomendação para garantir a divulgação dos dados relativos a casos e internações por covid-19 na região do Vale do Médio São Francisco. As autoras do documento são a procuradora da República Ticiana Sales Nogueira e as promotoras de Justiça Ana Paula Nunes Cardoso, Rosane Moreira Cavalcanti e Rita de Cássia Caxias de Souza.

O Ministério Público recomendou aos municípios de Petrolina e Juazeiro a disponibilização diária, em site da internet a ser divulgado na mídia local, o número de pessoas infectadas nas respectivas cidades, assim como o número de leitos ocupados pelos pacientes contaminados pela covid-19, identificando o tipo de leito ocupado – se intermediário ou de UTI – e a unidade de saúde em que se encontra.

Às secretarias de Saúde de Pernambuco e da Bahia foi recomendada a divulgação semanal dos mesmos dados, englobando todas as pessoas infectadas na região do Vale do Médio São Francisco, ou seja, tanto a macrorregião de saúde norte de Pernambuco quanto a macrorregião norte de saúde da Bahia. De acordo com a recomendação, esses dados devem ser encaminhados também pelas autoridades municipais e estaduais diariamente ao Ministério Público.

O documento foi direcionado ainda à Central de Regulação Interestadual de Leitos (Cril) e ao Hospital Universitário da Univasf, que deverão informar ao MPF e aos MP Estaduais diariamente a quantidade de leitos intermediários e de UTI ocupados no fim de cada dia na Rede Interestadual de Saúde do Vale do Médio São Francisco Pernambuco-Bahia (Rede Peba) e na unidade hospitalar. Deverão relatar também qualquer dificuldade de regulação de pacientes, ou seja, de providenciar o acesso do paciente ao atendimento naquelas unidades na rede de saúde pública que tenham leitos disponíveis.

A atuação do MP foi motivada pela constatação de que a região do Vale do Médio São Francisco não tem leitos de UTI suficientes ao atendimento de toda a população, considerando-se a estimativa da Organização Mundial de Saúde (OMS) de que são necessários 11 leitos de UTI para cada 100 mil habitantes. Foi considerada também a decisão dos governos locais de flexibilizar as regras de isolamento social sem demonstrar o atendimento aos requisitos do Ministério da Saúde, como quantitativo suficiente de EPIs e de respiradores, bem como de testes laboratoriais e de leitos de UTIs, entre outros.

A recomendação fixa prazo de 48 horas, a contar da notificação, para que MPF e MP Estaduais sejam informados sobre o acatamento ou não do documento. Em caso de descumprimento, poderão ser adotadas as medidas administrativas e judiciais cabíveis. As informações são da Assessoria de  de Comunicação.

http://www.mpf.mp.br/

Notícias

Juazeiro confirma primeiro óbito por COVID-19

A pessoa é do sexo masculino, tinha 63 anos e já apresentava algumas comorbidades clínicas.

No boletim desta sexta-feira (17) a Secretaria de Saúde de Juazeiro confirma o primeiro óbito em paciente confirmando para COVID 19 em Juazeiro. A pessoa é do sexo masculino, tinha 63 anos e já apresentava algumas comorbidades clínicas.

Juazeiro possui até o momento, 104 notificações para o coronavírus, destes 42 exames já foram descartados para a doença, no entanto outros 56 estão em análise pelo Laboratório Central (LACEN) em Salvador. Para casos positivos da doença são confirmados seis casos, destes, dois já estão recuperados, ou seja, com cura clínica, e agora o primeiro óbito registrado.

Para H1N1 os dados são: 66 notificações, destas 18 casos confirmados, incluindo dois óbitos. Outros 24 exames já foram descartados e 24 estão em investigação.

A secretaria ressalta que permanece testando e monitorando pacientes de acordo com as diretrizes e normas técnicas do Governo do Estado da Bahia e do Ministério da Saúde. Qualquer dúvida referente a estas doenças a população pode tirar através do WhatsApp (74) 99819- 3089 em horário comercial de segunda a sexta-feira. Evite aglomerações e mantenha os hábitos de higiene lavando bem as mãos.

À família do paciente, a secretaria de saúde de Juazeiro se solidariza com todos e estará prestando a assistência necessária.

Por Débora Sousa/SESAU

Notícias

Juazeiro registra mais um caso de coronavírus

A paciente é do sexo feminino, com histórico de viagem para São Paulo. A mesma está em isolamento domiciliar com sintomas gripais e sem sinais de gravidade.

Neste domingo (05), a Secretaria da Saúde de Juazeiro informa que mantém as mesmas notificações para H1N1 da última atualização. São 56 notificações, destas há 15 casos confirmados, incluindo dois óbitos, 19 casos suspeitos já foram descartados e 22 estão em investigação.

Para o coronavírus, o município registrou mais uma notificação, subindo para 30 o número de casos suspeitos registrados. Na atualização deste domingo, existe a confirmação de mais um caso e, com isso, o município registra três casos confirmados, destes, dois já estão curados clinicamente. Já foram descartados 15 casos suspeitos, 12 estão em análise pelo Laboratório Central (LACEN) em Salvador e não há nenhum óbito.

Sobre a confirmação deste domingo, a paciente é do sexo feminino, com histórico de viagem para São Paulo. A mesma está em isolamento domiciliar com sintomas gripais e sem sinais de gravidade. A Secretaria da Saúde através da Vigilância Epidemiológica está acompanhando e orientando a paciente. A secretaria ressalta ainda que o número de notificações tem aumentado porque permanecem testando pacientes que preenchem critérios clínicos e epidemiológicos para o coronavírus.

Débora Sousa/SESAU