Notícias

Odacy Amorim procura Executiva do PT e anuncia pré-candidatura ao Governo do Estado

Tendo sua principal base eleitoral em Petrolina, no sertão do São Francisco, o deputado deixa sem representantes mais de 60 mil eleitores que o elegeram em 2014, quando foi o mais votado do PT naquele pleito, deixando o espaço para que outros candidatos disputem os seus votos.

Odacy Amorim procurou Luciano Duque e Sandra da Farmácia para tratar de 2018. Foto: Reprodução.

O deputado estadual, Odacy Amorim (PT), abandonou a disputa por uma vaga na Assembleia Legislativa de Pernambuco (ALEPE). Desencantado com a função de deputado estadual, o petista externou para sua base política que não vai mais pleitear uma vaga na Casa de Joaquim Nabuco, no próximo ano.

Tendo sua principal base eleitoral em Petrolina, no sertão do São Francisco, o deputado deixa sem representantes mais de 60 mil eleitores que o elegeram em 2014, quando foi o mais votado do PT naquele pleito, deixando o espaço para que outros candidatos disputem os seus votos.

Apesar do desencanto e de ter abandonado a disputa para o cargo de deputado estadual, Odacy está sonhando alto e vai disputar as prévias partidárias para ser o candidato do Partido dos Trabalhadores ao Governo do Estado. Além do deputado, estão na disputa à vereadora do Recife, Marília Arraes (PT) e o militante José de Oliveira (PT) que, recentemente, também, comunicou sua pré-candidatura.

Na recente pesquisa realizada pelo Instituto múltipla, Odacy Amorim não aparece entre os candidatos lembrados pela população, enquanto a neta de Miguel Arraes, a vereador Marília Arraes, aparece em segundo lugar em vários cenários, atrás, apenas, do atual governador Paulo Câmara (PSB).

Com esta decisão, Odacy descarta, também, a possibilidade, ventilada por muitos de sua base eleitoral, sobre uma possível candidatura a Câmara Federal.

CORRIDA ELEITORAL DE 2018

Nesta quinta-feira, dia 30, o deputado, ainda, esteve visitando o prefeito de Serra Talhada, Luciano Duque (PT) e a prefeita de Calumbi, Sandra Magalhães (PT), onde discutiu a conjuntura política nacional e estadual.

Nas redes sociais, o petista afirmou que estaria tratando de ações para os municípios, no entanto, parece que o assunto era outro. “Discutindo medidas para a melhoria da qualidade de vida da população da região”, despistou.

https://roberiosa.com.br/

 

 

Notícias

Governo de Pernambuco não dialoga com autarquias sobre atrasos do PROUPE

Atrasos nos pagamentos já somam um valor de R$ 4 milhões e acarretam acúmulos de despesas com folha de pagamento e manutenção básica das instituições de ensino.

00_proupeTreze presidentes de autarquias municipais, instaladas em Pernambuco, estiverem na terça-feira (6) na capital do estado, Recife, para participar de mais uma rodada de conversas sobre o atraso nos repasses do Programa Universidade para Todos em Pernambuco – PROUPE. O grupo também tentou se reunir com representantes do governo do estado, mas não foi atendido. “Não tinha ninguém para nos receber. Disseram que alguns estavam em horário de almoço e outros ocupados. Um desrespeito”, comentou a professora Ana Gleide, presidente da Autarquia de Belém do São Francisco.

Também estavam representadas as autarquias de Petrolina, Afogados da Ingazeira, Arararipina, Arcoverde, Belém do São Francisco, Belo Jardim, Cabo de Santo Agostinho, Garanhus, Goiana, Limoeiro, Palmares, Salgueiro e Serra Talhada. Segundo o presidente da Associação das Instituições de Ensino Superior do estado de Pernambuco (ASSIESPE), Rinaldo Remígo, os atrasos nos pagamentos já somam um valor de R$ 4 milhões e acarretam acúmulos de despesas com folha de pagamento e manutenção básica das instituições de ensino.

O PROUPE é um recurso, destinado a autarquias municipais, que oportuniza através de bolsas de estudo o ingresso de pessoas de baixa renda nas instituições de ensino superior. Desde 2015 a oferta de bolsas caiu cerca de 50% e hoje o número de beneficiados chega a 7 mil estudantes, esse número era de mais de 14 mil. Para Simão Rosembaum, presidente da Autarquia de Goiana, o governo do estado tem virado as costas para as autarquias educacionais. Ele conta que a Instituição que administra não recebe os repasses desde setembro e que os salários de funcionários contratados e cargos comissionados estão atrasados.

As tentativas de se reunir com o governo do estado, para sanar o impasse, se arrastam pelos últimos seis meses, conta o presidente da ASSIESPE. Rinaldo Remígio destaca ainda o empenho que os presidentes estão oferecendo para regularizar os pagamentos. “O que nos entristece é que estamos vindo de todas as regiões do estado. Somos professores que representam mais de 20 mil alunos e não fomos atendidos porque estavam no horário de almoço”, lamenta Remígio. As informações são da Assessoria de Comunicação da ASSIESPE.

 

 

 

 

 

Uncategorized

Governador defende reformas para o Brasil voltar a crescer

É muito importante o ministro ter êxito para que, com o êxito dele, o Brasil possa também ter êxito e voltar a crescer, afirmou Paulo Câmara.

files_13415_20151229092703a973O governador Paulo Câmara defendeu junto a outros dez governadores, em Brasilia, nesta segunda-feira (28.12), a necessidade de o Brasil passar por reformas estruturadoras para o País voltar a crescer, gerar emprego e renda. Após reunião na residência oficial do Governo do Distrito Federal, que teve o governador Rodrigo Rollemberg como anfitrião, os gestores estaduais levaram a pauta ao ministro da Fazenda, Nelson Barbosa. Paulo afirmou que os governadores vão assumir seu protagonismo e pediram diálogo junto ao Governo Federal para contribuir com propostas de saída para a crise econômica, que afeta todos os Estados e municípios.

“Apresentamos pontos para que o ministro (Nelson Barbosa) comece também a ser parceiro dos governos estaduais nas discussões das reformas. O Governo Federal tem que ser também condutor da reforma trabalhista, previdenciária, política e da reforma tributária. E é importante também essas discussões passarem pelos Estados, passarem pelos governadores. Então, nós fomos, ao mesmo tempo, falar com o ministro Nelson Barbosa (sobre economia) e desejar a ele êxito na sua administração. É muito importante o ministro ter êxito para que, com o êxito dele, o Brasil possa também ter êxito e voltar a crescer”, afirmou Paulo.

O gestor pernambucano também defendeu um planejamento que possa dar mais autonomia aos Estados. “Todos nós sabemos que o Brasil precisa de ajustes, não apenas ajustes pontuais, mas ao mesmo tempo precisamos de reformas. Reformas que dêem condições de, ao longo prazo, os Estados terem condições de andar com as suas próprias pernas e seus próprios recursos. Tudo isso foi colocado na mesa diante da necessidade, como eu disse, de os governadores, a partir de agora, estarem juntos apoiando ações federativas em favor do Brasil. E que, a partir dessa união e desse protagonismo, a gente possa contribuir para que o Brasil volte a crescer, gerar emprego e gerar renda”. A decisão dos governadores pelo protagonimo também foi levada ao ministro da Fazenda. “Ele nos recebeu com muita atenção diante dos temas e concordou com a necessidade de ampliação desse debate”, adiantou Paulo.

NOVA REUNIÃO – Paulo informou que a reunião com o ministro Nelson Barbosa foi um desdobramento da reunião dos 11 governadores. O grupo decidiu que vai se reunir, a partir de agora, uma vez por mês. O próximo encontro está agendado para o dia 1º de fevereiro, em Brasília. A meta é apresentar propostas e reivindicações conjuntas ao Governo Federal. “Todos nós sabemos da grave crise política que o Brasil passa e que tem refletido na economia. É preciso, nesse momento, muita união nacional e a defesa de ideias e ações em favor da população. Os governadores hoje têm uma responsabilidade muito grande nesse processo”, declarou Paulo.

O governador adiantou que o próximo encontro dos gestores tratará de temas federativos relativos a operações de crédito, previdência, subfinanciamento da Saúde e dívida pública. “É muito importante que os municípios e os Estados tenham recursos para investir. Então, o retorno das operações de crédito é importante para ajudar o Brasil a voltar a crescer. É muito importante essas discussões avançarem”, pontuou. Paulo voltou a alertar que 2016 vai “exigir muito trabalho, porque vai ser um ano de recessão, sem crescimento.

Notícias

Agricultores do Sítio Coelho e adjacência em Petrolina, reclamam da falta de água

Eles temem prejuízos com a horta comunitária que garante o sustento das famílias

IMG_20151112_105604059Na última quinta-feira, 12, foi realizada uma audiência Pública na Câmara Municipal de Petrolina para discutir a redução do número de carros-pipa que abastecem as comunidades da região de sequeiro do sertão pernambucano e que, de acordo com proposta do Governo do Estado reduziria de 73 para 17 o número de carros-pipa em Petrolina.

O nosso blog ouviu a agricultora Gracilda Pereira, presidente da Associação dos Moradores do Sítio Coelho que descreveu o problema. “A situação lá é feia, tem comunidade com dez famílias que são atendidas apenas uma vez por mês, às vezes de dois em dois meses por apenas um Pipeiro. O sofrimento para consumo humano é muito crítico eu queria que o pessoal da Defesa Civil colocasse pelo menos todos os meses um pipa d’agua para as comunidades”, apelou.

Segundo Gracilda os moradores foram contemplados coma *cisterna calçadão e plantaram uma horta comunitária. Os produtos são comercializados junto ao Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e garante o sustento da família, porém com a escassez de água estão prejudicados, muitos acabam investindo parte do lucro comprando água para não perder a plantação. “Eu queria que os deputados ajudassem a gente a colocar essa água porque fica a uma distância de 2,400km para assegurar água para o consumo humano, e os animais que estão passando sede” apelou.

A Audiência contou com a presença do Secretário da Casa Militar Cel. Mário Cavalcanti. Ele garantiu que as famílias não ficarão sem água, apesar da redução do número de carros-pipa. “Um cálculo matemático partindo do princípio de que uma família tem direito a 100litros/dia de água e um carro pipa tem 8 mil litros é fácil calcular quando o carro deverá retornar.  O importante é não reduzirmos o número de famílias a receberem água e se houver algum erro, nós somos humildes para ajustá-lo”, disse.

Não ficou claro como o do Governo do Estado pretende fechar essa conta, se de acordo com a presidente da Associação de Sítio Coelho, Gracilda Pereira, a água já não é suficiente sem essa redução. É lamentável que em pleno século XXI as pessoas ainda tenham que se humilhar a dependência do carro-pipa para ter o bem mais precioso para a vida que é a água.

*Cisterna calçadão – Consiste em um espaço de 200m² para captação de água da chuva e reservatório com capacidade para 52mil litros e tem como finalidade armazenar água para a produção de alimentos, plantas medicinais e criação de pequenos animais potencializando os quintais produtivos.