Notícias

Dançando poéticas ribeirinhas, Coletivo Trippé estreia filme nesta quinta (08)

O curta-metragem experimental é desdobramento do espetáculo Janelas Para Navegar Mundos.

Foto: Divulgação

As poéticas do Sertão do São Francisco e o povo ribeirinho estão sempre presentes nos trabalhos cênicos do Coletivo Trippé, que reúne artistas que pesquisam a Dança e seu diálogo com outras linguagens. A partir desses estudos, nesta quinta (08), o grupo estreia um novo trabalho, o filme Uma Janela Interior. A transmissão começa às 20h30, no Youtube (youtube.com/coletivotrippe).

O curta-metragem experimental é desdobramento do espetáculo Janelas Para Navegar Mundos. A criação de 2017, que já foi apresentada em palcos por vários estados do Brasil e recebeu diversos prêmios, agora se adapta ao audiovisual, sendo revisitada pelos criadores nesse período sem público por conta da pandemia. Esse desafio de recriar uma obra será tema da mesa-redonda realizada logo após a exibição do filme, contando com a participação dos bailarinos e equipe técnica.

Para a bailarina Rafaedna Brito, a possibilidade de dançar em cenários naturais foi um dos pontos positivos desse novo processo. “Foi interessante investigar as cenas em novos cenários, a ideia desses novos ambientes me faz estar entregue durante as cenas e isso ajuda com que a proposta fique mais fluida e gostosa de fazer”, conta. Sobre se adaptar à relação com a câmera, ela diz que “de início foi bem estranho. Adaptar os espetáculos para vídeo era algo que nunca pensei em testar, mas tive que ir me acostumando e depois percebi como isso foi importante pro período da pandemia”.

O projeto foi possível a partir da aprovação no edital dos Prêmios de Preservação dos Bens Culturais Populares e Identitários da Bahia Emília Biancardi. Para garantir a acessibilidade da obra, o coletivo investe em recursos como a tradução para Libras. “Sempre tentamos garantir essas ferramentas de acessibilidade, por entender que é nosso dever permitir que os diversos públicos acessem esses trabalhos, principalmente quando se há recursos públicos. Esse filme tem a Libras e já preparamos uma versão com audiodescrição para exibir em breve”, pontua Nilzete Miranda, produtora.

A direção e o roteiro são assinados por Adriano Alves. Fernando Pereira foi o diretor de fotografia e também cinegrafista junto com o artista Jota. O elenco é composto pelos bailarinos Wagner Damasceno, Regiane Nascimento, Rafaedna Brito, Mary Ane Nascimento, Julia Gondim e Adriano Alves. A trilha sonora é original com músicas de Eugênio Cruz. A intérprete de Libras é Rejane Silva e a Acessu Comunicação fez a audiodescrição. A produção foi de Nilzete Miranda da Pipa Produções e a montagem e finalização da Abajur Soluções Audiovisuais.

Para acompanhar as atividades do Coletivo Trippé, o público pode acessar seus perfis no Instagram (@trippecoletivo) e no Facebook (@coletivotrippe). O projeto tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria do Cultura e do Centro de Culturas Populares e Identitárias – CCPI (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.

Foto: Divulgação

Serviço:

Estreia do filme ‘Uma Janela Interior’

Dia 08 de julho de 2021.

Horário: 20h30.

Canal: youtube.com/coletivotrippe.

Classificação Livre.

Acesso gratuito.

Por Adriano Alves

Notícias

Cineastas de Petrolina lançam campanha para financiamento coletivo de curta-metragem

Os interessados em colaborar com o projeto recebem recompensas como nome nos créditos, e-book, DVD, pôster, caneca e outros brindes exclusivos do filme.

encomendaUm grupo de amigos que residem na cidade de Petrolina, no sertão pernambucano, resolveu lançar uma campanha na internet afim de arrecadar fundos para a produção de um curta-metragem intitulado “Encomenda”. O roteirista e diretor Cleriton Ferreira Alves, o ator e preparador de elenco Joedson Silva, o designer e diretor de arte Felipe Rhein, o montador e também diretor Vinícius Colares, juntos, integram a equipe da NU7 Produções, uma produtora de audiovisual formada por eles em fevereiro deste ano.

Mesmo com pouco tempo de existência, a produtora já soma um número de produções realizadas, como: “A Conversa que Não Tivemos”, um curta finalizado; “Matinal” e “Adentro”, dois curtas filmados e em fase de pós-produção; além de outros 3 projetos futuros que estão sendo trabalhados: o suspense chamado “Coração Noturno”; um projeto de vídeo de dança, ainda sem nome; e o curta “Encomenda”, alvo da campanha.

Sem o apoio de grandes produtoras, o grupo conta com o financiamento colaborativo para lançar o filme. “Nos deparamos com a necessidade de um orçamento mais robusto, até então, nossos curtas haviam sido inteiramente custeados pelos próprios membros da Nu7 e com o apoio de amigos próximos. Como o orçamento de Encomenda prevê locações de cenários, veículos, figurino e efeitos especiais, seria praticamente impossível o modelo adotado para os filmes anteriores. Daí, surgiu a ideia de financiamento coletivo com campanha pela Internet”, conta Vinícius Colares, diretor do curta.

O Filme

Encomenda é um curta-metragem de ficção, baseado em um conto homônimo de José Aragão Jr. Na trama, o personagem Tony é um tímido colecionador de filmes e de outros artigos de cultura pop, que divide esse hobby com o divertido Chico, um de seus poucos amigos. Mas sua obsessão por uma rara edição de colecionador de “Cantando na Chuva”, em DVD, pode acabar levando-o à beira da loucura.

De acordo com Vinícius Colares, a intenção de produzir esse curta é diversificar os estilos e gêneros de filmes que compõem o catálogo da equipe. “Os três curtas já filmados pela produtora tem um estilo mais independente, embora não goste do termo, são os típicos filmes conhecidos como “de arte”. Então, na intenção de diversificar, trazer algo mais pop, eu me interessei por um conto homônimo, escrito por um amigo, Jorge Aragão Jr. Entrei em contato com ele e ele, prontamente, autorizou a adaptação do conto”, revela.

Sobre a Campanhanu_7_equipe

A campanha está disponível no site Kickante, site especializado em campanhas de financiamento coletivo, e
permanecerá até o dia 13 de dezembro deste ano, quando precisa completar a arrecadação de pelo menos R$ 6 mil, para a realização do projeto.

“Optamos por um modelo conhecido como tudo ou nada, onde só recebemos o dinheiro caso a meta seja alcançada. Não alcançando, os que contribuíram recebem o dinheiro de volta. Essa foi a nossa maneira de mostrar o comprometimento com a qualidade do curta, haja vista, que não poderíamos oferecer um bom resultado sem alcançar essa meta”, explica Vinícius Colares.

O recurso será utilizado para custear os gastos que envolvem a realização do filme, como: equipamentos de som e fotografia, arte, figurinos, maquiagem, transporte, alimentação, locação, gastos de pós-produção e outros. Os interessados em colaborar com o projeto ainda recebem recompensas como nome nos créditos, link para assistir ao filme, e-book, DVD, pôster, caneca e outros brindes exclusivos do filme. As colaborações podem ser feitas via cartão de crédito, boleto bancário, entre outras formas, pela página do Kickante.

 DA REDAÇÃO