Uncategorized

COVID-19: Petrolina registra mais 03 mortes e 129 novos casos

Os falecimentos ocorreram de 3 a 8 de junho em hospitais privados e público de Petrolina. Com isso, o município está com 450 mortes em decorrência da COVID-19

 Foto: Reprodução

O boletim epidemiológico da Covid-19 divulgado pela Secretaria de Saúde de Petrolina, informa que a taxa de ocupação dos leitos de UTI desta quarta-feira (9), está em 97,3%. Dos 82 leitos, 79 estão ocupados. 48 pacientes são de Petrolina e 31 de outras cidades da região.

Há a confirmação de 129 novos casos, sendo 53 do sexo masculino, com idades de oito meses a 88 anos, e 76 do sexo feminino, com idades de seis meses a 95 anos. Dos resultados, 124 foram obtidos através de exames realizados pela Prefeitura de Petrolina e cinco por exames laboratoriais. Com isso, Petrolina registra agora 28.733 pessoas já infectadas pelo novo coronavírus. O total de pacientes recuperados é 24.465, isso representa 85,1% do total.

Este boletim registra ainda três óbitos, sendo dois homens e uma mulher. Os pacientes tinham 46 e 34 anos, um era portador de doença renal crônica o outro era hipertenso. A mulher tinha 58 anos e não possuía comorbidades. Os falecimentos ocorreram de 3 a 8 de junho em hospitais privados e público de Petrolina. Com isso, o município está com 450 mortes em decorrência da COVID-19.

Outras informações

A Secretaria de Saúde também divulgou informações complementares sobre a pandemia em Petrolina.

– Casos investigados: 794 pessoas sendo monitoradas, há possibilidade de estarem infectadas.

-Casos por raça/cor: 17 pessoas se declaram pretas; 82 pardas; duas amarelas; 27 brancas e uma optou por não declarar.

– Casos descartados: Até agora, 106.801 casos já foram descartados. As pessoas que foram testadas tiveram resultados negativos.

– Casos ativos: O município tem 3.818 casos ativos do novo coronavírus.

Todas as informações sobre a pandemia estão disponíveis no: petrolina.pe.gov.br/coronavirus

 

 

 

 

 

 

Notícias

PT Petrolina de luto; morre um dos militantes mais fiéis, Joaquim da Compesa

Filiado ao Partido dos Trabalhadores há quase 30 anos, Joaquim faleceu vítima de covid-19 na tarde desta sexta-feira,04.

Foto: Reprodução

Faleceu nesta sexta-feira, 04, vítima de covid-19, Joaquim Antônio de Oliveira, 69 anos, conhecido popularmente como “Joaquim da Compesa”.

Joaquim estava internado desde 11 de maio em um hospital da cidade com covid-19, na tarde de hoje a situação se agravou e ele não resistiu vindo a óbito.

Filiado ao Partido dos Trabalhadores (PT) há quase 30 anos, Joaquim era um militante fiel e integrava o diretório municipal, onde contribuía com as discussões e os debates do partido em prol de uma cidade mais justa para todos e todas e em defesa da democracia. Era nisso que ele acreditava. Sempre bem humorado encantava a todos com seus versos e sorriso largo e era muito querido e respeitado pelos militantes do Partido dos Trabalhadores.

O corpo de Joaquim seguiu para sua cidade Natal, Cabrobó, onde foi sepultado.

Notícias

Segunda dose da Coronavac será aplicada de sábado até terça-feira em Petrolina

Para ser vacinado é necessário portar um documento oficial com foto e o cartão de vacina. A imunização acontecerá em cinco pontos da cidade das 8h às 17h

Foto: Divulgação

Com o recebimento de novas doses da Coronovac, a Secretaria de Saúde vai abrir, neste final de semana, os polos para aplicação do reforço da vacina em idosos. No sábado e domingo (22 e 23) a vacina será administrada em idosos com 66 anos ou mais, já na segunda e terça-feira (24 e 25), será a vez dos idosos com 65 anos ou mais. Para ser vacinado é necessário portar um documento oficial com foto e o cartão de vacina. A imunização acontecerá em cinco pontos da cidade das 8h às 17h.

Estão sendo disponibilizados cinco polos para vacinação, são quatro pontos fixos e um drive thru:

Pontos fixos:

– SESI, na Vila Mocó;

– Centro do Idoso Vó Pulú, na Vila Eduardo;

– CMEI do João de Deus;

– Escola Municipal 21 de Setembro, no José e Maria.

Drive-thru:

Avenida principal da Vila Eulália.

Idosos abaixo destas duas faixas etárias precisam aguardar a chegada de novas doses e o comunicado da Secretaria de Saúde com as datas e locais que receberão o reforço da vacina.

Matérias

Morre radialista Jean Rêgo, vítima de Covid-19

Jean estava internado em um hospital de Petrolina e faleceu na madrugada de hoje

Foto: Reprodução

Internado há uma semana após ser acometido pela Covid-19, o radialista Jean Rêgo precisou ser intubado no último dia 18 e na noite de ontem sofreu uma parada cardiorrespiratória, vindo a óbito nessa madrugada.

O radialista Marcelo Damasceno, da rádio Transrio FM e blog Catedral, lamentou em suas redes sociais a morte do colega. “Jean Rego era um cotidiano esperado com alegria, nos corredores e escadaria da Rádio Juazeiro com TRANSRIO FM. Um amigo esperado, com suas notícias da rua, sua presença de estúdio, sua distribuição de gargalhada boa e amiga”, destacou o colega e radialista Marcelo Damasceno, em suas redes sociais.

Marcelo, que conviveu com Jean Rêgo, destacou o trabalho do colega, mais uma vítima da Covid-19. “Desde cedo, nas redações de editoria policial, organizado, conciso, comprometido com responsabilidades sociais e ciente do seu protagonismo civil, JEAN REGO, deu seu talento de destacar notícias pra esse Vale do São Francisco, a começar por inquestionável interesse, sua melhor parte humana”,

Nossa solidariedade aos familiares do colega Jean Rêgo. Descanse em paz!

Notícias

COVID-19: Petrolina confirma mais 4 mortes e 191 novos casos do novo coronavírus

Com isso, 26.388 pessoas já foram infectadas pelo novo coronavírus. O total de pacientes recuperados é 22.411, isso representa 84,9% do total.

Foto: Reprodução

O boletim epidemiológico da Covid-19 divulgado pela Secretaria de Saúde de Petrolina, informa que a taxa de ocupação dos leitos de UTI desta quarta-feira (19), está em 85,4%. Dos 82 leitos, 70 estão ocupados. 48 pacientes são de Petrolina e 22 de outras cidades da região.

Foram confirmados 191 novos casos, sendo 71 pessoas do sexo masculino, com idades de um a 66 anos, e 120 do sexo feminino, com idades de nove meses a 96 anos. Dos resultados obtidos, 168 se deram através de exames realizados pela Prefeitura de Petrolina e 23 por exames laboratoriais. Com isso, 26.388 pessoas já foram infectadas pelo novo coronavírus. O total de pacientes recuperados é 22.411, isso representa 84,9% do total.

Há ainda o registro de quatro óbitos, sendo duas pessoas do sexo masculino e duas do sexo feminino, com as respectivas idades: 67, 48, 52 e 37 anos. Os pacientes estavam internados em hospitais privados da região, destes, dois pacientes não possuíam histórico de comorbidades. As mortes ocorreram do dia 5 a 19 de maio, no entanto, os registros só chegaram nesta quarta-feira à secretaria. Agora, Petrolina registra 412 óbitos ocasionados pela COVID-19.

Outras informações

A Secretaria de Saúde também divulgou informações complementares sobre a pandemia em Petrolina.

– Casos investigados: 2.049 que pessoas sendo monitoradas, há possibilidade de estarem infectadas.

– Casos por raça/cor: 22 pessoas se declararam pretas; uma indígena, 110 pardas; três amarelas; 39 brancas e 16 optaram por não declarar.

– Casos descartados: Até agora, 98.575 casos já foram descartados. As pessoas que foram testadas tiveram resultados negativos.

– Casos ativos: O município tem 3.565 casos ativos do novo coronavírus.

Todas as informações sobre a pandemia estão disponíveis no: petrolina.pe.gov.br/coronavirus.

Notícias

Juazeiro registra 55 novos casos da Covid-19 nesta quarta-feira (19)

O município não registrou nenhum óbito por complicações da doença. Com isso, Juazeiro permanece com 257 mortes pela Covid-19.

Foto: Divulgação

Juazeiro registrou 55 novos casos do novo coronavírus nas últimas 24 horas. A informação está no boletim epidemiológico da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) desta quarta-feira (19).

De acordo com o levantamento, 14.344 moradores foram infectados desde o início da pandemia na cidade, dos quais 13.842 já estão recuperados. Os casos descartados somam 25.015. Juazeiro tem 245 casos ativos do novo coronavírus.

O município não registrou nenhum óbito por complicações da doença. Com isso, Juazeiro permanece com 257 mortes pela Covid-19.

Testes

Foram realizados desde o início da pandemia 32.790 testes rápidos pela prefeitura e 1.695 pelo Lacen, em Salvador.

Ocupação de leitos

Na rede hospitalar, o percentual de ocupação dos leitos para Juazeiro na rede PEBA (hospitais de Pernambuco e Bahia) é de 88%, com 27 leitos disponíveis. Somente em Juazeiro, 89% dos leitos de UTI para pacientes com Covid-19 estão ocupados, com 3 leitos disponíveis.

 

Texto: Amanda Franco – Assessora de Imprensa da Secretaria de Saúde

Notícias

Jovens produzem materiais de comunicação sobre a importância da vacinação contra covid-19

O resultado dessa produção colaborativa da juventude será divulgado a partir desta semana nas redes sociais da CPT Bahia. A produção conta com cards, spots, cordel, vídeo e textos que abordam a importância da vacinação gratuita para todos/as e o combate à desinformação e fake news

Foto: CPT Juazeiro

A vacinação em massa da população é a grande expectativa para superação da crise sanitária global provocada pelo coronavírus. No entanto, não há produção de vacinas suficiente para todos ainda, principalmente nos países mais pobres e, no caso do Brasil, há o agravante da condução da política nacional de combate à pandemia, que tem se mostrado a principal aliada do vírus.

Negacionismo científico, propagação de desinformação e fake news, recusa de ofertas de vacinas, falta de planejamento eficiente para imunização e minimização da crise de saúde. Todas essas ações do Governo Federal resultaram até agora em quase 440 mil mortes, caos econômico-social e uma pandemia que parece não ter mais fim.

Com a vacinação contra covid-19 a ritmo de conta-gotas (apenas 9% da população brasileira imunizada com as duas doses da vacina) enquanto a propagação do vírus só cresce, diversas iniciativas independentes têm surgido com o objetivo de sensibilizar a população para importância do ato de vacinar-se e cobrar ao Governo Federal a urgência da ampliação da vacinação.

Jovens de comunidades rurais de diversos municípios da Bahia também se somaram a essa luta. Durante o mês de abril, 15 jovens participaram da II Etapa da Formação de Comunicação Popular da Comissão Pastoral da Terra (CPT) Bahia, que teve como temática específica a vacinação. Foram três encontros virtuais de educomunicação que envolveram a pesquisa e aprofundamento no assunto, reunião de pauta e divisão de grupos de trabalho que resultaram na produção de peças informativas.

O resultado dessa produção colaborativa da juventude será divulgado a partir desta semana nas redes sociais da CPT Bahia. A produção conta com cards, spots, cordel, vídeo e textos que abordam a importância da vacinação gratuita para todos/as e o combate à desinformação e fake news.

Marliene de Assis, da comunidade Vereda de Minas em Remanso, foi uma das participantes da formação. A jovem comenta que os encontros foram essenciais para tirar dúvidas sobre como se proteger do coronavírus e, principalmente, para compartilhar o que aprendeu. “Foi muito dinâmico. Tudo para informar, pra gente trazer pra nossa comunidade, pro nosso dia a dia. A gente quer passar uma mensagem, a gente vai tá divulgando e isso vai chegar em outras pessoas. E isso que é o interessante, a gente transmitir o que tá aprendendo, é muito importante a gente tá multiplicando conhecimento e saberes”, afirma Marliene.

Já Luzinete de Jesus, estudante de Serviço Social da comunidade Tapera do Rochedo em Cordeiros, destaca que todo esse processo da formação e produção de conteúdo foi importante para o registro da memória do que estamos vivendo. “Muitas pessoas são contra a vacinação por questões políticas. Uma coisa que me chamou atenção é que devemos ficar atentos porque a vacinação deve ser gratuita pra poder alcançar toda população, devemos ficar de olho para brigar por isso. Eu gostei muito da produção de vídeos, porque a gente entrevistou pessoas idosas, eu entrevistei meu avó e daqui a alguns anos vou ver esse vídeo e vai ser um registro de quando ele viveu”, comentou Luzinete.

As peças informativas produzidas pelos jovens serão divulgadas no Facebook, Instagram e Twitter da CPT Bahia.

 

Texto: Comunicação CPT Juazeiro/BA

Notícias

COVID-19: 7 mortes e 144 novos casos são registrados em Petrolina

O município agora passa a registrar 388 óbitos ocasionados pela Covid-19.

Foto: Reprodução

O boletim epidemiológico da Covid-19 divulgado pela Secretaria de Saúde de Petrolina, informa que a taxa de ocupação dos leitos de UTI desta segunda-feira (10), está em  81,2%. Dos 80 leitos, 65 estão ocupados. 42 pacientes são de Petrolina e 23 de outras cidades da região.

O boletim ainda registra 144 casos positivos, sendo 62 do sexo masculino, com idades de quatro meses a 96 anos, e 82 do sexo feminino, com idades de um a 79 anos. Dos resultados obtidos, 132 foram através de exames realizados pela Prefeitura de Petrolina e 12 por exames laboratoriais. Agora, 25.279 pessoas já foram infectadas pelo novo coronavírus. O total de pacientes recuperados está em 21.443, isso representa 84,8% do total.

Há ainda o registro de sete óbitos. Tratam-se de quatro pessoas do sexo masculino e três do sexo feminino com as respectivas idades de 98, 73, 62, 50, 80, 74, 61 anos, destes, quatro não tinham histórico de comorbidades. Os pacientes estavam internados em hospitais públicos e privados da região. Os óbitos aconteceram do dia 12 de abril a 10 de maio, os registros com a confirmação das mortes só chegaram nesta segunda-feira (10) à Secretaria de Saúde.  Assim, o município passa a registrar 388 óbitos ocasionados pela Covid-19.

Outras informações

A Secretaria de Saúde também divulgou informações complementares sobre a pandemia em Petrolina.

– Casos investigados: 1.582 pessoas sendo monitoradas, há possibilidade de estarem infectadas.

– Casos por raça/cor: 19 pessoas se declaram pretas, duas indígenas, 91 pardas, cinco amarelas, 24 brancas e três optaram por não declarar.

– Casos descartados: Até agora, 94.761 casos já foram descartados. As pessoas que foram testadas tiveram resultados negativos.

– Casos ativos: O município tem 3.448 casos ativos do novo coronavírus.

Todas as informações sobre a pandemia estão disponíveis no: petrolina.pe.gov.br/coronavirus.

 

 

 

Notícias

Em meio à covid, trabalho escravo pode se tornar uma epidemia?

Comissão Pastoral da Terra realiza sua Semana de Comunicação em Combate ao Trabalho Análogo à Escravidão para discutir impactos da pandemia sobre a escravidão contemporânea

Foto: Divulgação

Entre os dias 10 e 14 de maio, a Comissão Pastoral da Terra (CPT) irá realizar a Semana de Comunicação em Combate ao Trabalho Análogo à Escravidão, que tem como foco alertar os trabalhadores e trabalhadoras sobre como prevenir o trabalho escravo. Durante toda semana serão divulgados diversos materiais informativos. No dia 13 de maio, dia da Abolição, uma live, que será transmitida nas redes sociais da CPT, discutirá os impactos da pandemia do novo coronavírus em um potencial aumento da escravidão no Brasil. A Semana de Comunicação acontece anualmente desde 2016. A iniciativa teve início com a CPT Bahia e, desde 2019, envolve os demais regionais da CPT.

Há 133 anos, o Brasil vivenciou uma suposta abolição da escravatura. Mesmo com leis e políticas públicas que objetivam combater esse tipo de exploração e violência, o trabalho escravo segue atingindo a população mais vulnerável, sendo a maioria negra, mantida às margens da nossa sociedade.

De acordo com a CPT, nos últimos 25 anos, entre 1995 e final de 2020, quase 56 mil pessoas em situação análoga à escravidão foram libertadas em todo o país. Em 2020, apesar das dificuldades da fiscalização em função da pandemia, foram identificados 112 casos de trabalho escravo no Brasil, que envolveram 1.390 pessoas e resultaram no resgate de 1.040 delas.

Um dos casos, que chocou o Brasil, foi o de Madalena Giordano, na cidade de Patos de Minas (MG). Mulher negra, foi escravizada desde a infância, durante 38 anos, pela família Milagres. Madalena não recebia salário e nem tinha acesso a direitos sociais, como a educação, suprimidos sob a alegação racista de que ela não se beneficiaria dos estudos.

Foto: Divulgação

Epidemia de trabalho escravo?

Com a pandemia do coronavírus, a vulnerabilidade social aumentou e, com ela, cresce também o número de trabalhadores que precisam se submeter a empregos mais precários para poder colocar comida na mesa e alimentar suas famílias. É nesse momento que a senzala contemporânea abre suas portas.

Quando uma pessoa é escravizada, ela é transformada em um objeto, sem direitos. A pessoa que escraviza, tem no lucro seu principal objetivo. A vitalidade do trabalhador é sugada, sua dignidade e liberdade negadas. Em momentos de crise socioeconômica e de aumento da pobreza, como vivenciamos hoje, o trabalho escravo tende a piorar.

A sociedade precisa estar vigilante. A Comissão Pastoral da Terra acolhe os trabalhadores e encaminha as denúncias aos órgãos competentes. As denúncias podem ser feitas também na Divisão Especial de Fiscalização do Trabalho, através da internet, no Ministério Público do Trabalho, na Polícia Federal ou na Polícia Rodoviária Federal. O disque 100 também recolhe denúncias de trabalho escravo.

O que é trabalho escravo?

O trabalho análogo à escravidão é crime e está previsto no código penal em três artigos:

Art. 149 – Reduzir alguém à condição análoga à de escravo, quer submetendo-o a trabalhos forçados ou a jornada exaustiva, quer sujeitando-o a condições degradantes de trabalho, quer restringindo, por qualquer meio, sua locomoção em razão de dívida contraída com o empregador ou preposto.

Pena – reclusão, de dois a oito anos, e multa, além da pena correspondente à violência;

Art. 203 – Frustrar, mediante fraude ou violência, direito assegurado pela legislação do trabalho.

Pena – detenção, de um ano a dois anos, e multa, além da pena correspondente à violência;

Art. 207 – Aliciar trabalhadores, com o fim de levá-los de uma para outra localidade do território nacional.

Pena – detenção, de um a três anos e multa.

 

Texto: Divulgação Semana de Comunicação em Combate ao Trabalho Escravo

 

 

 

Notícias

Brasil supera 410 mil vítimas da covid; foram registradas 2.966 mortes em 24 horas

Tanto o número de vítimas como de infectados registrados nesta terça-feira está acima das médias móveis

Na última semana, após governadores e prefeitos começarem a flexibilizar o distanciamento, o número de casos voltou a subir – Agência Belém

Na última semana, após governadores e prefeitos começarem a flexibilizar o distanciamento, o número de casos voltou a subir – Agência Belém

O Brasil registrou hoje (4) mais um dia com número elevado de mortos por covid em um período de 24 horas, com 2.966 vítimas oficialmente notificadas.

Desde o início da pandemia, são 411.588 mortes. Em relação ao número de novos casos, foram 77.359 infectados, totalizando 14.856.888, também desde o começo do surto, em março de 2020.

Tanto o número de vítimas como de infectados registrados nesta terça-feira está acima das respectivas médias móveis. A média de mortes está em 2.397 a cada um dos últimos sete dias e de casos, 59.332.

A elevação nos infectados preocupa, já que estados e municípios passaram a suspender medidas protetivas de isolamento social com a estabilidade nos dados, registrada nas últimas três semanas.

Após intensificação do isolamento social em março, o número de casos passou a cair ligeiramente a cada semana. Desde o dia 27 de março, foram quatro semanas de queda. Então, o Imperial College de Londres chegou a afirmar que a transmissão no Brasil estava em tendência de queda. Já a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) identificou tendência de estabilidade em um período de pico.

Receita para o caos

Entretanto, na última semana, após governadores e prefeitos começarem a flexibilizar o distanciamento, o número de casos voltou a subir. Foram 417.760 no período, frente a 408.124 na anterior.

“De novo, especialistas avisando que, abrindo neste ritmo e no momento em que estamos é a receita para outra onda de casos. Estamos naturalizando 2 a 3 mil mortes por dia. Mas esse teto não existe”, alerta o biólogo e divulgador científico Atila Iamarino.

A RBA utiliza informações fornecidas pelas secretarias estaduais, por meio do Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass).

Eventualmente, elas podem divergir do informado pelo consórcio da imprensa comercial. Isso em função do horário em que os dados são repassados pelos estados aos veículos. As divergências, para mais ou para menos, são sempre ajustadas após a atualização dos dados.

https://www.brasildefato.com.br/