Notícias

Brasil supera 340 mil mortes por covid-19 em dia com 3.829 vítimas

Fiocruz alerta para aumento da letalidade da covid-19 no Brasil e pede por lockdown de 14 dias

O Brasil ultrapassou a marca de 340 mil mortos por covid-19. Nas últimas 24 horas, foram registradas 3.829 vítimas, um dos dias mais letais do surto.

Na terça-feira (6) foram registradas mais de 4 mil mortes, um recorde no país. O pior momento da pandemia continua se agravando, enquanto medidas para a contenção do vírus seguem tímidas ou inexistentes.

Em relação ao número de novos infectados, foram 92.625 no último período, totalizando 13.193.205 doentes desde o início do surto, em março de 2020.

Trata-se de um valor elevado diante do registrado nos últimos cinco dias, o que revela o descontrole da transmissão da covid-19 no Brasil.

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) divulgou um boletim extraordinário que atesta esse descontrole e pede por medidas duras de isolamento, o lockdown.

“Ao longo da última semana foram registrados valores recordes de óbitos por covid-19 superando-se a marca de 3 mil mortes diárias (…) Na última semana observou-se um novo aumento da taxa de letalidade, de 3,3% para 4,2%, o que pode ser consequência da falta de capacidade de se diagnosticar correta e oportunamente os casos graves, somado à sobrecarga dos hospitais”, afirma a Fiocruz, que alerta para uma subnotificação dos dados, mesmo em valores elevados.

Outra voz que alerta para a necessidade de intensificar medidas de isolamento é a de Anthony Fauci. Líder da força-tarefa contra a pandemia nos Estados Unidos, Fauci é uma das maiores autoridades em epidemiologia do mundo. Ele disse, em entrevista coletiva, que “todos reconhecem que há uma situação muito grave no Brasil” em relação à covid-19.

“Não há dúvida de que medidas severas de saúde pública, incluindo lockdowns, têm se mostrado muito bem-sucedidas em diminuir a expansão dos casos. Então, essa é uma das coisas que o Brasil deveria pensar e considerar seriamente dado o período tão difícil que está passando”, alertou o especialista.

Indicações

A Fiocruz, desde o início do ano, avisa sobre a iminência de um colapso na rede hospitalar de todo o país, o que de fato ocorreu. Hoje, faltam leitos de UTI em todas as regiões do país; pessoas morrem sem conseguir atendimento médico necessário.

Os apelos da instituição e de um grande número de cientistas foram ignorados desde o início da pandemia pelo governo do presidente Jair Bolsonaro.

O político, ao contrário, sempre adotou uma postura negacionista; minimizou a pandemia, ridicularizou o uso de máscaras, promoveu e incentivou aglomerações e chegou a atacar vacinas com informações falsas e imprecisas.

Diante do cenário caótico, a Fiocruz reforça as recomendações. Entre elas estão: “proibição de eventos presenciais, como shows, congressos, atividades religiosas, esportivas e correlatas em todo território nacional; a suspensão das atividades presenciais de todos os níveis da educação do país; o toque de recolher nacional a partir das 20h até as 6h da manhã e durante os finais de semana; o fechamento das praias e bares; a adoção de trabalho remoto sempre que possível, tanto no setor público quanto no privado; a instituição de barreiras sanitárias nacionais e internacionais, considerados o fechamento dos aeroportos e do transporte interestadual; a adoção de medidas para redução da superlotação nos transportes coletivos urbanos; a ampliação da testagem e acompanhamento dos testados, com isolamento dos casos suspeitos e monitoramento dos contatos”.

Colapso

O boletim pede que essas medidas sejam tomadas por 14 dias para reduzir a pressão sobre o sistema de Saúde e reduzir o elevado número de mortes diárias. Das 27 unidades da Federação, 19 estão com os sistemas hospitalares colapsados.

São elas: Rondônia (96%), Acre (95%), Amapá (91%) e Tocantins (95%); Piauí (97%), Ceará (96%), Rio Grande do Norte (97%), Pernambuco (97%) e Sergipe (95%); Minas Gerais (93%), Espírito Santo (94%), Rio de Janeiro (91%) e São Paulo (91%); Paraná (95%), Santa Catarina (99%) e Rio Grande do Sul (90%); e no Centro Oeste, Mato Grosso do Sul (106%), Mato Grosso (98%), Goiás (96%) e Distrito Federal (99%).

Enquanto isso, a aposta do país para a superação da crise reside na vacinação. Entretanto, o ritmo é lento. De acordo com dados do governo federal, foram entregues e distribuídas 42.956.226 doses, sendo que 21.997.737 já foram aplicadas.

Somente 10,33% da população já receberam a primeira dose e 2,27% a segunda. Do total de doses aplicadas, 80% são da CoronaVac, vacina atacada e rejeitada por Bolsonaro, produzida à revelia do governo federal pelo Instituto Butantan, em São Paulo.

A RBA utiliza informações fornecidas pelas secretarias estaduais, por meio do Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass).

Eventualmente, elas podem divergir do informado pelo consórcio da imprensa comercial. Isso em função do horário em que os dados são repassados pelos estados aos veículos. As divergências para mais ou para menos são sempre ajustadas após a atualização dos dados.

https://www.brasildefato.com.br/

Notícias

Brasil bate novo recorde com 3.650 mortes registradas em 24 horas

É a segunda vez que o país registra mais de 3 mil mortes; cidades enfrentam dificuldades para conseguir medicamentos

O boletim desta sexta-feira (26) do Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass) informa o registro de 3.650 novas vítimas da covid-19 no Brasil em um período de 24 horas, o equivalente a quase três mortes por minuto.

É o recorde de mortes registradas no período equivalente a um dia de todo o histórico do surto. Contudo, o recorde foi batido sem contar com os dados do Ceará, que não repassou as informações a tempo para o fechamento do balanço com os dados completos do país.

Foi a segunda vez desde o início da pandemia, em março de 2020, que o Brasil registra mais de 3 mil óbitos causados pela doença em 24 horas. A primeira foi em 17 de março, com 3.149 notificações.

Com os números de hoje, o Brasil chega a 307.112 mil mortos, de acordo com dados oficiais, sem contar com ampla subnotificação, reconhecida pelas autoridades sanitárias até do próprio governo.

Em relação ao número de novos infectados, o Conass informa o recebimento de 84.254 registros pelos estados, totalizando 12.404.414 casos. Na última quinta-feira (25), o Brasil bateu o recorde de registros em novos casos em um só dia, com 100.736 ocorrências.

Os dados da covid-19 desta sexta (26) confirmam que pandemia no país segue em total descontrole. É o pior momento do surto de covid no Brasil e epidemiologistas afirmam que a tendência é de agravamento.

Atualmente, mais de 25% das mortes por covid-19 no mundo ocorrem em solo brasileiro. Desde o dia 9 de março, o Brasil é o epicentro do vírus no mundo, com o maior média diária de vítimas da infecção respiratória.

Sem medicamentos

Enquanto isso, a situação da saúde pública é de colapso por todas as regiões do país. Apenas Amazonas e Roraima não estão com filas de leitos de UTIs. Mesmo com capacidade ampliada, a rede hospitalar do Brasil não comporta a demanda elevada, já que a crise sanitária provocada pelo novo coronavírus está em patamar inédito na história.

Além de leitos e pessoal, faltam medicamentos. De acordo com a Confederação Nacional de Prefeitos, em levantamento divulgado também nesta sexta (26), 1.316 municípios estão no limite de medicamentos necessários para intubação.

Isso significa que 23% das cidades do Brasil, além de não possuírem mais UTIs suficientes para atender os pacientes com covid, também podem ser obrigados a suspender os tratamentos pela falta de medicamentos.

Medicamentos para dois dias

Enquanto cidades e hospitais correm para conseguir até mesmo anestésicos, o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) dificulta o acesso e não garante o fornecimento dos medicamentos para intubação. O relato é do secretário da Saúde de São Paulo, Dr. Jean Gorinchteyn.

“Cidades não tiveram as mesmas possibilidades de aquisição desses medicamentos, porque o Ministério da Saúde os requisitou dos estados e das empresas produtoras e isso ficou indisponível para a distribuição. O que foi enviado pelo Ministério da Saúde hoje dá para dois dias”, alertou.

Com isso, o governo federal, que não centraliza as decisões de combate à covid no Brasil desde o início do surto, agora impede também a organização pelos estados, a exemplo de São Paulo.

“O que fizemos ao longo dessa semana, principalmente entendendo uma demanda maior do estado: antecipamos compras. Fizemos compra emergencial e atingimos um certo nível de conforto em relação ao que se vê nas redes municipais, mas não temos mais”, completou o secretário.

O relato foi confirmado pelo vice-governador, Rodrigo Garcia. “Uma Santa Casa no interior tinha conseguido fazer uma compra de medicamentos do kit para intubação, mas logo em seguida veio a requisição federal e eles perderam esses medicamentos. A falta de coordenação nacional tem cobrado um preço alto do Brasil”, contou, sem detalhar o município

https://www.brasildefato.com.br/

Notícias

Covid-19: Petrolina tem 64 casos novos nesta quarta-feira

Os dados estão no boletim epidemiológico da prefeitura desta quarta-feira (23), totalizando 5.220 registros do novo coronavírus e 4.135 curas clínicas.

Petrolina registrou 64 casos novos da covid-19 e tem 38 pessoas recuperadas da doença nas últimas 24 horas. Os dados estão no boletim epidemiológico da prefeitura desta quarta-feira (23), totalizando 5.220 registros do novo coronavírus e 4.135 curas clínicas.

Dos novos positivados, 62 foram confirmados através dos 238 testes rápidos realizados pela gestão municipal, e 2 por exames laboratoriais. Dos testes, são 31 pessoas do sexo feminino, com idades entre 01 a 59 anos, e 31 do sexo masculino, entre 08 meses de vida a 61 anos. Por exames laboratoriais são 2 pessoas do sexo feminino, de 30 e 37 anos.

Do total de casos até o momento, 4.331 foram confirmados por testes rápidos da prefeitura e 889 diagnosticados através de exames laboratoriais.  Petrolina tem 89 óbitos por covid-19.

Ocupação de leitos

A taxa de ocupação geral dos leitos de UTI da rede pública é de 22,95%. Dos 61 leitos disponíveis, 14 estão ocupados, sendo 11 pacientes de Petrolina e 3 de outras cidades da região. Os dados completos seguem em anexo.

Taxa de ocupação de leitos 23.09.20

 

Por Duda Oliveira – Assessor de Comunicação da Secretaria de Saúde de Petrolina

Notícias

Brasil registra 120,8 mil mortes pelo novo coronavírus

Ministério da Saúde informa que, nas últimas 24 horas, foram 366 novos óbitos e 16.158 novos casos confirmados da doença; já são 3.862.311 brasileiros contaminados pelo vírus

Vacina contra o coronavírus (foto: reprodução)

Com mais 366 mortes nas últimas 24 horas, o Brasil totaliza a perda de 120.828 vidas para o novo coronavírus desde o início da pandemia.

O dado consta no boletim do Ministério da Saúde divulgado neste domingo (30). O documento mostra que foram registrados novos 16.158 casos de Covid-19 nas últimas 24 horas. Com isso, o total de brasileiros infectados pelo novo coronavírus chegou a 3.826.311.

A evolução dos números mostra que o país está longe de vencer a emergência sanitária. 

O Brasil é o 10º com mais mortes por 100 mil habitantes no mundo e alcançou essa posição na semana passada, ultrapassando os EUA nesse ranking.

https://revistaforum.com.br/

Notícias

Covid-19: Petrolina registra 1.741 casos com 41 mortes

As curas clínicas aumentaram para 639.

A Prefeitura de Petrolina realizou 371 testes rápidos nesta quarta-feira (15), com 58 casos confirmados. O município também recebeu 13 confirmações por meio de exames laboratoriais. Dos testes, são 32 pessoas do sexo feminino com idades entre 8 a 81 anos, e 26 do sexo masculino, entre 7 a 71 anos. Dos exames laboratoriais são 7 pacientes do sexo feminino, entre 4 e 84 anos, e 6 do sexo masculino entre 25 e 78 anos.

Com esses 71 novos casos, Petrolina contabiliza 1.741 registros até o momento – destes, 168 são detentos da Penitenciária Dr. Edvaldo Gomes. Do total de positivados, 1.342 foram confirmados por testes rápidos da prefeitura e 399 diagnosticados através de exames laboratoriais. As curas clínicas aumentaram para 639. Petrolina tem mais um óbito por covid-19, totalizando 41 até o momento. A paciente era uma idosa de 81 anos, com histórico de comorbidades, que estava internada na rede pública da cidade.

A prefeitura aguarda o resultado da análise do material biológico que foi coletado de um homem de 51 anos, sem histórico de comorbidades, que faleceu nesta quarta-feira em um hospital da rede privada e foi notificado como Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG). O resultado do exame confirmará o tipo de síndrome respiratória.

Internamentos

A taxa de ocupação geral dos leitos de UTI da rede pública é de 62,5%. Dos 40 leitos disponíveis, 25 estão ocupados, sendo que 9 pacientes são de Petrolina e 16 de outras cidades da região. Os dados completos seguem abaixo

Taxa de ocupação de leitos 15.07.2020

Por Duda Oliveira – Assessor de Comunicação da Secretaria de Saúde de Petrolina

Notícias

Bolsonaro testa positivo para Covid-19 e já iniciou tratamento com hidroxicloroquina

Desde o início da pandemia, Bolsonaro tem minimizado a gravidade da doença e criticado as medidas de isolamento social implementadas em vários estados e municípios

Durante coletiva, Bolsonaro voltou a minimizar efeitos da doença a declarou que vai despachar isolado no gabinete (Agência Brasil)

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) confirmou nesta terça-feira (7) que contraiu o novo coronavírus. O resultado foi confirmado após o chefe do Planalto ter apresentado febre no dia anterior e feito um exame para detectar a Covid-19.

“Estou perfeitamente bem. Vou despachar por videoconferência e assinar papéis aqui (Palácio da Alvorada)”, afirmou. Na noite de segunda-feira (6), a Presidência da República divulgou uma nota informando que Bolsonaro estava em “bom estado de saúde”.

Histórico

Ele disse a apoiadores que realizou um exame nos pulmões, mas que está “tudo bem”. “Eu vim agora do hospital, fiz uma ‘chapa’ de pulmão. Tá tudo limpo. Vou fazer exame do Covid agora, mas tá tudo bem”, afirmou Bolsonaro em frente ao Palácio da Alvorada.

Desde o início da pandemia, Bolsonaro tem minimizado a gravidade da doença e participado de vários eventos públicos sem máscara, além de criticar as medidas de isolamento social implementadas em vários estados e municípios.

De acordo com a CNN Brasil, o presidente relatou ter apresentado febre de 38 graus – um dos sintomas da doença – e já está tomando hidroxicloroquina, medicamento que não tem a eficácia comprovada contra a Covid-19. O exame no pulmão foi realizado no Hospital das Forças Armadas.

Em um vídeo gravado por um dos seguidores com os quais o presidente costuma falar na porta do Palácio da Alvorada, em Brasília, Bolsonaro apareceu usando uma máscara branca e disse que tinha acabado de voltar do hospital, onde se submeteu a exames.

O mandatário, de 65 anos, já tinha se submetido anteriormente a três exames para o coronavírus. Em maio, foi obrigado pelo Supremo Tribunal Federal a entregar os resultados, que deram negativo.

No sábado, Bolsonaro publicou fotos nas redes sociais nas quais aparece com o rosto descoberto junto a vários ministros e do embaixador de Washington em Brasília, durante almoço de celebração do Dia da Independência dos Estados Unidos.

E nesta segunda-feira vetou outros dois artigos da lei sobre o uso de máscaras em locais públicos para enfrentar a pandemia em Brasil, o segundo país do mundo em número de mortos e de casos confirmados depois dos Estados Unidos.

Segundo a agenda oficial, o presidente despachou durante todo o dia e esteve com seis ministros. Ele teve reuniões com os ministros Paulo Guedes (Economia), Braga Netto (Casa Civil), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo), Jorge Oliveira (Secretaria-Geral) e Levi Mello (Advocacia-Geral da União).

A última agenda ocorreu na segunda-feira, às 16h40, com o secretário especial de Cultura, Mário Frias. Às 17h, houve a cerimônia de apresentação do Plano de Contingência para Pessoas com Deficiência e Doenças Raras com a ministra da Família, Mulher e Direitos Humanos, Damares Alves e a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, mas o presidente não participou. Ele deixou o Planalto por volta das 17h40 e seguiu para o hospital.

Mesmo admitindo a suspeita, o presidente parou para falar com o grupo que o aguardava voltar à residência oficial após o dia de trabalho. Bolsonaro usava máscara durante a conversa e pediu que as pessoas não chegassem perto dele. “Não pode chegar muito perto não, tá. Recomendação para todo mundo.”

A um apoiador que pediu para tirar a máscara para tirar uma fotografia, o presidente primeiro concordou, mas depois disse ao homem que ele não havia autorizado. “Tirou porque quis”, afirmou.

De acordo com o último balanço oficial desta segunda-feira, 1,6 milhão de pessoas foram contaminadas e 65.487 morreram por Covid-19 no Brasil.

Repercussão internacional

A notícia de que o presidente contraiu a Covid-19 repercutiu em jornais estrangeiros, que enfatizaram que, desde o início da pandemia no Brasil, a postura de Bolsonaro foi de minimizar a doença.

O americano The New York Times noticiou o fato na principal página de seu site ressaltando que o presidente passou meses negando a gravidade da pandemia. O jornal relembrou que o brasileiro descumpriu reiteradamente as recomendações de saúde, como evitar aglomerações e fazer uso de máscara.

O Washington Post também destacou o fato em sua principal página digital e reforçou que até agora o presidente se colocou como cético da doença, destoando da postura de outras lideranças mundiais. O Post relembrou que o presidente chamou a doença de “gripezinha” e chegou a anunciar que faria um grande churrasco, o que provocaria aglomeração em meio à escalada de mortes no país.

A agência Bloomberg, que também noticiou o fato, mencionando ainda que o presidente se reuniu com apoiadores sem fazer uso de máscara. A notícia também repercutiu no El País, da Espanha. A imagem de Bolsonaro ocupou também a principal página digital do jornal francês Le Monde, que destacou que o presidente brasileiro teve agenda com diversos ministros de Estado na última semana.

https://domtotal.com/

 

Notícias

Juazeiro e Petrolina registram mais mortes por covid-19 que o Uruguai

As duas cidades juntas registram quase o dobro das mortes do país sul-americano causadas por covid-19

O Uruguai atualmente é referência na luta contra a covid-19, o “modelo uruguaio” de combate ao coronavírus é vastamente elogiado por autoridades e especialistas. O país sul-americano tem registrado até o momento 28 mortes e 943 casos da doença em seu território, que abriga 3,449 milhões de habitantes.

Esses números são bem menores que os apresentados pelas prefeituras das duas cidades ribeirinhas. Isso mesmo que você leu. A soma dos números de Juazeiro e Petrolina que medem o avanço da covid-19 superam e muito os números de um país inteiro, com milhões de habitantes.

O município de Juazeiro já registrou até o momento 29 morte e confirmou 774 casos da doença. Já o município pernambucano registrou 26 mortes e 969 casos da doença causada pelo coronavírus. Somando a duas cidades, já são pelo menos 55 mortes e 1743 casos de covid-19.

Da redação

Notícias

Covid-19: Petrolina registra 65 novos casos nesta sexta-feira, destes 21 são detentos da Penitenciária Dr. Edvaldo Gomes (PDEG)

Com esses novos positivados, Petrolina chegou ao total de 765 casos do novo coronavírus.

A Prefeitura de Petrolina confirmou 65 novos casos positivos da covid-19; destes, 21 são detentos da Penitenciária Dr. Edvaldo Gomes (PDEG). Por testes rápidos, foram confirmados 51 casos: 33 homens com idades entre 40 e 56 anos, e 18 mulheres entre 07 e 65 anos. Os dados estão no boletim desta sexta-feira (26), que ainda traz 10 resultados positivos de exames analisados pelo Laboratório Central de Pernambuco (Lacen-PE) e 4 por laboratório particular. Os pacientes são 8 homens com idades entre 06 meses de vida e 56 anos, e 6 mulheres entre 25 e 63 anos.

Com esses novos positivados, Petrolina chegou ao total de 765 casos do novo coronavírus. São 581 confirmações por testes rápidos da prefeitura e 184 casos diagnosticados através de exames laboratoriais. As curas clínicas somam 188. Petrolina recebeu um exame do Lacen-PE confirmando covid-19 em um paciente que faleceu no Hospital Regional de Juazeiro-BA. Era um homem de 56 anos, que por um equívoco na data de nascimento, foi anunciado nesta quinta-feira (25) que tinha 74. Com isso, o total de óbito subiu para vinte e seis.

SRAG

O boletim com casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) mostra que são 125 casos em investigação e 30 já foram descartados. Confirmados somam 9 casos, além de um óbito.

Internamentos

A taxa de ocupação dos leitos para o novo coronavírus na rede pública e privada de Petrolina segue abaixo.

Taxa de ocupação de leitos 26.06

 

Por Duda Oliveira – Assessor de Comunicação da Secretaria de Saúde de Petrolina

Notícias

Petrolina tem 417 casos confirmados e 13 mortes por covid-19

Do total de casos confirmados, 159 já estão recuperados. Petrolina registrou uma morte por covid-19 neste domingo, aumentando o total de óbitos para treze. A vítima é uma idosa de 83 anos, que estava internada no Hospital Universitário (HU).

Petrolina tem mais três casos positivos da covid-19. As confirmações deste domingo (14) foram feitas por meio de exames analisados pelo Laboratório Central de Pernambuco (Lacen-PE). Os pacientes são três homens de 39, 66 e 73 anos.

Com isso, Petrolina chegou ao total de 417 casos do novo coronavírus. São 298 confirmações por testes rápidos da prefeitura e 119 casos diagnosticados através de exames laboratoriais. Do total de casos confirmados, 159 já estão recuperados. Petrolina registrou uma morte por covid-19 neste domingo, aumentando o total de óbitos para treze. A vítima é uma idosa de 83 anos, que estava internada no Hospital Universitário (HU).

SRAG

Quanto aos casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), o boletim aponta que o município continua com 100 casos em investigação, enquanto 30 já foram descartados. Confirmados somam 9 casos, além de 1 óbito.

Internamentos

Confira abaixo a taxa de ocupação dos leitos para a covid-19 na rede pública e privada de Petrolina.

Pacientes internados 14.06

Texto: Duda Oliveira – Assessor de Comunicação da Secretaria de Saúde de Petrolina

Notícias

Petrolina alcança 366 casos do novo coronavirus e divulga taxa de ocupação de hospitais

São 262 confirmações por testes rápidos da prefeitura e 104 casos diagnosticados através de exames laboratoriais. Do total de casos confirmados, 127 já estão recuperados. Óbitos somam dez.

A Prefeitura de Petrolina realizou 210 testes rápidos nesta terça-feira (9), dando sequência à intensificação de testagens para detectar a covid-19 na cidade. Desse total, 6 deram positivos: 4 homens com idades entre 24 e 54 anos e 2 mulheres entre 46 e 49 anos. Também foram computados dois testes positivos analisados por laboratório privado. Os pacientes são 1 homem de 66 anos e 1 mulher de 38 – ambos em isolamento domiciliar.

Com esses 8 novos positivados, Petrolina chegou ao total de 366 casos do novo coronavírus. São 262 confirmações por testes rápidos da prefeitura e 104 casos diagnosticados através de exames laboratoriais. A boa notícia é que houve um aumento no número de curas clínicas. Do total de casos confirmados, 127 já estão recuperados. Óbitos somam dez.

SRAG

O boletim com casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) mostra que não houve alterações nas últimas 24 horas. São 88 casos em investigação e 30 já foram descartados. Confirmados somam 9 casos, além de um óbito.

Internamentos

Confira abaixo a taxa de ocupação dos leitos para a covid-19 na rede pública e privada de Petrolina.

Leitos públicos de UTI:

Hospital Universitário – HU (10 leitos exclusivos abertos pela prefeitura)

– 3 pacientes de Petrolina (2 confirmados e 1 descartado);

– 1 paciente de Jeremoabo-BA (em investigação).

*Taxa de ocupação: 40%

 Hospital Dom Malan – HDM/Imip (5 leitos)

– Sem pacientes

*Taxa de ocupação: 0%

Neurocardio: (5 leitos/SUS)

– 1 paciente de Petrolina (covid-19 descartado);

– 2 pacientes da Bahia (1 descartado e 1 em investigação);

– 2 pacientes de Lagoa Grande (1 confirmado e 1 em investigação)

*Taxa de ocupação: 100%

Leitos privados de UTI

UNIMED

– 3 pacientes de Petrolina internados (2 em investigação e 1 confirmado);

– 1 paciente de Juazeiro (confirmado);

Observação: A unidade abre leitos em área isolada de acordo com a necessidade.

Hospital Albert Sabin – Recife:

1 paciente de Petrolina (confirmado)

Leitos intermediários públicos:

Hospital de Campanha Monte Carmelo: (100 leitos)

– 3 pacientes internados (1 paciente aguardando resultado e 2 confirmados)

*Taxa de ocupação: 3%

Unidade de Pronto Atendimento-UPA (10 leitos)

– 2 pacientes de Petrolina (aguardando resultado)

*Taxa de ocupação: 20%

Hospital Dom Malan – HDM: (5 leitos)

– Sem internamentos

*Taxa de ocupação: 0%

Leitos intermediários privados:

Neurocardio

– 1 paciente de Petrolina (aguardando resultado);

– 1 paciente de Sobradinho-BA (aguardando resultado);

– 1 Paulo Afonso-BA (confirmado);

– 1 paciente de Petrolândia-PE (aguardando resultado).

Hospital Geral e Urgência – HGU

1- paciente de Juazeiro (em investigação);

UNIMED

– 2 pacientes de Petrolina (em investigação);

– 1 paciente de Salgueiro-PE (em investigação).

Por Duda Oliveira – Assessor de Comunicação da Secretaria de Saúde de Petrolina