Notícias

Hortifruticultura: Após trabalhadores deflagrarem greve, patrões recuam, e categoria tem direitos assegurados e ampliados

Entre os avanços, destacam-se: reposição integral da inflação, o que significa um piso salarial de R$ 973,07; e a concessão de botas de couro, ao invés das que são utilizadas hoje, em PVC (que trazem prejuízos à saúde) para todos os trabalhadores das fazendas.

valeCom a decisão, na semana passada, dos assalariados e assalariadas rurais da hortifruticultura do Vale do São Francisco Pernambuco e Bahia, de deflagrarem uma paralisação geral, por tempo indeterminado, a classe patronal resolveu recuar, e não mais retirar direitos dos trabalhadores. Dessa forma, foram assegurados o pagamento das horas in itinere (horas do percurso de casa para o trabalho e vice-versa); a remuneração de hora extra; pagamento de salário no segundo dia útil; transporte gratuito; entre outros pontos, que antes estavam ameaçados. Com isso, as entidades representantes da categoria encaminharam, em reunião, na tarde de hoje, suspender a greve.

Confederações, Federações e Sindicatos dos trabalhadores dos dois estados comemoram, pois, além dos direitos assegurados, conquistas importantes foram registradas, a partir do que foi reivindicado na 23ª Campanha Salarial da categoria, iniciada em janeiro deste ano. Entre os avanços, destacam-se:  reposição integral da inflação, o que significa um piso salarial de R$ 973,07; e a concessão de botas de couro, ao invés das que são utilizadas hoje, em PVC (que trazem prejuízos à saúde) para todos os trabalhadores das fazendas.

“A greve foi deflagrada com o objetivo de impedir a retirada de direitos assegurados em lei e na convenção, então, o recuo da classe patronal representou a aceitação do pleito dos trabalhadores, o que motivou a suspensão da paralisação. Essa foi uma grande conquista para os assalariados, que ocorreu a partir de uma forte mobilização das bases, realizada pelos Sindicatos e pelos delegados sindicais. Por isso, o resulta foi muito positivo, até porque avançamos em vários pontos”, avalia o diretor de Assalariados Rurais da Contag, Elias D’Angelo.

O secretário geral da Confederação Nacional dos Trabalhadores Assalariados e Assalariadas Rurais (Contar), Everaldo Nazário Barreto, destacou a importância de os estados tomarem essa decisão de forma conjunta. “Foi um posicionamento muito maduro das entidades que representam a categoria, sabendo resistir no momento certo, e também negociar, quando necessário“, ponderou.

Dados apontam que mais de 100 mil homens e mulheres atuam nessa área, sendo responsáveis pela produção de diversas culturas, que são comercializadas dentro e fora do país, promovendo o desenvolvimento da região. A última greve da categoria ocorreu há 13 anos.

A 23ª Campanha Salarial 2016/2017 dos/as Trabalhadores/as da Hortifruticultura Irrigada do Vale do São Francisco Pernambuco e Bahia conta com a participação de Sindicatos dos Trabalhadores Rurais de Belém do São Francisco, Inajá, Petrolina, Santa Maria da Boa Vista e Lagoa Grande (em Pernambuco) e de Abaré, Curaça, Juazeiro, Sento Sé e Sobradinho (na Bahia),  Federação dos Trabalhadores e das Trabalhadoras Assalariados Rurais de Pernambuco (Fetaepe), Federações dos Trabalhadores Rurais na Agricultura do Estado de Pernambuco (Fetape) e da Bahia (Fetag-BA), com o apoio da Contar, Contag, CUT, CTB e Dieese.

 

Assessoria de Comunicação FETAPE

Notícias

Bancários de Juazeiro e região reivindicam reajuste de 14,78% e melhores condições de trabalho

Categoria também pede piso de R$ 3.940,24 e participação nos lucros.

13940230_1070955359606424_1387696770_o (1)Com o slogan da Campanha deste ano “Só a Luta te garante” aprovada durante a 18ª Conferência Nacional dos Bancários, realizada em São Paulo entre os dias 29 e 31 de julho, a Conferência Nacional dos Bancários definiu os itens para a Campanha Nacional Unificada 2016. Os bancários de Juazeiro e de todo País reivindicam 14,78% de reajuste salarial, índice correspondente com a reposição do período, mais 5% de ganho real.

A categoria também pede piso de R$ 3.940,24 e participação nos lucros, com base em três salários, o que corresponderia a R$ 8.317,90 e décimo quarto salário. Além de reivindicarem o combate ao assédio moral, fim das metas abusivas, mais empregos e fim das demissões nos bancos.

A proposta definida foi entregue à Federação dos Bancos (Febraban) nesta terça-feira, dia 9 de agosto. A data-base dos bancários é dia 1º de setembro. O reajuste, se aceito pelas instituições financeiras, representa um aumento real de 5%, na estimativa dos sindicatos e da Contraf.

O Presidente do SEEB de Juazeiro, Maribaldes da Purificação afirmou que essas reivindicações são voltadas para melhores condições de trabalho da categoria e que Juazeiro também segue com esta luta.“Estamos junto na Campanha Nacional rumo a melhorias para nossa classe e alcançar um acordo justo. Um dos principais pontos da pauta de nossas reivindicações consiste em melhores condições de trabalho. Vamos defender nossos direitos”, pontuou Maribaldes.

Os Principais itens aprovados na Conferência:

  • Reajuste Salarial de 14,78%, sendo 5% de aumento real, além da inflação de 9,31%
  • PLR – três salários mais R$ 8.317,90
  • Piso – Salário mínimo do Dieese (R$ 3.940,24)
  •  Vales Alimentação, Refeição, 13ª cesta e auxílio-creche/babá  – Salário Mínimo Nacional (R$ 880;
  • 14º salário
  • Fim das metas abusivas e assédio moral – A categoria é submetida a uma pressão abusiva por cumprimento de metas, que tem provocado alto índice de adoecimento dos bancários
  • Emprego – Fim das demissões, ampliação das contratações, combate às terceirizações e precarização das condições de trabalho
  • Melhores condições de trabalho nas agências digitais
  • Mais segurança nas agências bancárias
  • Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS): para todos os bancários.
  • Auxílio-educação: pagamento para graduação e pós.

Prevenção contra assaltos e sequestros: permanência de dois vigilantes por andar nas agências e pontos de serviços bancários, conforme legislação. Instalação de portas giratórias com detector de metais na entrada das áreas de autoatendimento e biombos nos caixas. Abertura e fechamento remoto das agências, fim da guarda das chaves por funcionários.

Igualdade de oportunidades: fim às discriminações nos salários e na ascensão profissional de mulheres, negros, gays, lésbicas, transsexuais e pessoas com deficiência (PCDs). (Foto: Ascom/divulgação).

Notícias

Servidores Públicos de Petrolina debatem em assembleia campanha salarial

Além dos debates, o Sindsemp sorteou entre os presentes brindes. A servidora da educação, Maria Auxiliadora de Souza que trabalha na Escola Jaconias José dos Santos no Ouro Preto , ganhou um ventilador.

11666960_1025937210827117_2043758418_nNa última  sexta-feira (11) os servidores públicos de Petrolina se reuniram em assembleia  a convite do Sindicato da Categoria (Sindsemp) para debater a campanha salarial. Centenas de funcionários públicos lotaram o auditório do hotel Grande Rio e deliberaram ações.

Abrindo o encontro, a diretoria da entidade, gerida por Walber Lins, compartilhou com os presentes informes referentes aos projetos de Lei aprovados pela Câmara que versam sobre a regulamentação das 30 horas para técnicos e enfermeiros, da Autarquia Municipal de Mobilidade (AMMPLA) e folga no dia do aniversário do Servidor, sobre o relógio de ponto, Igeprev atestado médico, troféu de excelência e a paralisação nacional geral da Educação.

Além de todos estes informes, a diretora de assuntos extraordinário do Sindsemp, Elena Alves, informou que no próximo dia 06 de abril a entidade vai realizar uma assembleia com os aposentados. “Estamos dando prioridade também a essa classe que é esquecida. Nossa intenção é trazer  os companheiros mais para perto da luta. Lá vamos discorrer sobre nossas atividades e projetos”, comenta.

Walber Lins, presidente da entidade, destacou como positivo o encontro. “Debatemos, aqui, as questões inerentes à categoria. A participação do servidor foi muito importante na tomada das decisões”. Sobre as deliberações do principal ponto de pauta, Walber explicou que os servidores tiveram acesso aos detalhes da proposta apresentada pelo sindicato sobre o reajuste de 12,67% – 10,67% de restituição geral da inflação  e 2% de reajuste – encaminhada pelo sindicato desde de 03 de dezembro.

Os servidores foram informados que o sindicato recebeu um comunicado oficial da gestão municipal definindo até  o dia 16 como prazo para a proposta do governo. Em votação, a proposta de aguardar a  resposta foi a provada por contraste visual. A maioria preferiu aguardar ao invés de deflagrar greve, proposta levantada na assembleia.

Além dos debates, o Sindsemp sorteou entre os presentes brindes. A servidora da educação, Maria Auxiliadora de Souza que trabalha na Escola Jaconias José dos Santos no Ouro Preto , ganhou um ventilador.

Notícias

Sindsemp realiza assembleia deliberativa nesta sexta (11)

Na Assembleia, a diretoria do sindicato deve apresentar os avanços das questões tratadas com o Executivo.

cartaz assembleia 11.03Na próxima sexta–feira (11), os servidores públicos municipais de Petrolina vão participar da segunda estarão em Assembleia deliberativa desse ano.

O encontro, defino na última segunda-feira (29), na primeira Assembleia do ano, terá como principal ponto de pauta a campanha salarial. A diretoria do Sindsemp, sindicato que representa a classe, divulgou edital de convocação nesta semana para o encontro que vai se realizar no Hotel do Grande Rio, a partir das 8h.

Na Assembleia, a diretoria do sindicato deve apresentar os avanços das questões tratadas com o Executivo. De lá, os funcionários devem deliberar as próximas ações do movimento