Cultura

Petrolina: Aldeia do Velho Chico tem início neste domingo, 31

Com o tema “O Agora nos Espera: é preciso reencantar a vida” o Sesc de Petrolina realiza de 31 de outubro a 13 de novembro, a 17ª edição da Aldeia do Velho Chico – Festival de Artes do Vale do São Francisco.

Foro: Divulgação

“O Agora nos Espera: é preciso reencantar a vida!”. É com este tema que evoca a arte como resistência na construção de dias melhores que o Sesc Petrolina vai realizar, de 31 de outubro a 13 de novembro, a 17ª edição da Aldeia do Velho Chico – Festival de Artes do Vale do São Francisco. O evento tem a parceria da Prefeitura Municipal e contará com oficinas, espetáculos de dança, teatro, música e performances online e presencias em espaços de Petrolina e Juazeiro (BA).

Importante projeto multicultural, a Aldeia é um desdobramento do Palco Giratório, maior projeto de artes cênicas em circulação no país, e contará com a participação de artistas regionais e nacionais. Este ano, a programação está mais extensa ao agregar o projeto a Aldeia Vale Dançar, já que o festival não foi realizado no primeiro semestre por causa da pandemia da Covid-19.

A abertura do Festival será no domingo (31/10). Das 10h às 16h, no parque aquático do Sesc, o Sesc Lazer ganhará roupagem especial e terá como atração musical Temir (Petrolina-PE). Às 16h, na orla da cidade, o público poderá assistir ao Reisado da Mata de São José (Orocó-PE) e à performance “Guardiões do Velho Chico”, com Eliza Oliver, Elielci Barros, Tássio Tavares, Ramon Souza, Julia Gondim, Salem Michele, Zezinho Lécter, Pedro Cresley e Pedro Lacerda (Petrolina/PE – Juazeiro/BA). A partir das 18h, o cortejo de barcos, tendo à frente o Barco Nilo Brasileiro, navega pelas águas do Rio São Francisco, com Afoxé Filhos de Zaze (Juazeiro/BA) e Samba de Véio da Ilha do Massangano (Petrolina/PE).

Na segunda-feira, 1º de novembro, a programação começará logo cedo, a partir das 9h, com o Aldeia Podcast, que trata o programa “Deixe de Pantim” e convidados (Petrolina/PE). Às 18h, no Muro da Galeria de Artes Ana das Carrancas, será apresentado o Painel Visualidades da Aldeia, com Netão Ribeiro (Petrolina/PE), Lys Valentim (Petrolina/PE) e Pincelada Nômade (Natal/RN – São Paulo/SP) e lançamento do Catálogo da Exposição “Carina, Isso Não é Coisa de Mulher!”, de Carina Lacerda (Petrolina/PE). Às 19h, no canal do Sesc Pernambuco no Youtube, o público poderá assistir ao projeto Amplitudes Visuais “Carina, Isso Não é Coisa de Mulher!” – Mediação Filmada (Petrolina/PE). Às 20h, no Teatro Dona Amélia, será apresentado o espetáculo “Andanças: Minha Origem Sagrada”, com Artistas Independentes (Petrolina/PE).

Ainda na segunda-feira, a partir das 21h, a programação migrará para a cidade baiana de Juazeiro, no Espaço Filhos de Zaze, onde a Cia de Dança do Sesc Petrolina apresentará o espetáculo Aterrágua. Em seguida, o Afoxé Filhos de Zaze (Juazeiro/BA) se apresentará com o seu ijexá. Às 23h, a cantora Nara Couto (Salvador/BA) subirá ao palco para encerrar a noite.

Até o dia 13 de novembro, diversas atrações se revezarão na Aldeia, que contará com espetáculos musicais no Teatro Dona Amélia, como o cantor Almir Rouche (Recife-PE), no dia 8 de novembro, às 20h, e a cantora Fabiana Cozza (São Paulo -SP), que se apresentará às 20h, no dia 13. Além dela, o último dia do festival contará com performances, dança, apresentações musicais e o tradicional Mercado Cultural. A programação completa da Aldeia do Velho Chico pode ser conferida no site do Sesc Pernambuco (www.sescpe.org.br). O festival conta com o apoio da TV Grande Rio e JB Hotel.

Oficinas – Além da programação de espetáculos, o Sesc Petrolina está com inscrições abertas para as oficinas que serão realizadas de 3 a 12 de novembro, sempre das 9h às 12h. São elas: Oficina “Videodança: Contribuições Entre Corpo e Vídeo”, com Cia. Etc (Recife-PE); Oficina de Dança “Dança em Estado de Justiça”, com Bruno de Jesus (Salvador/BA); “Corpo, Dança e Escrita Criativa”, com João Paulo Lima (Fortaleza/CE); Oficina de Teatro, com Tânia Farias (Porto Alegre/RS); “Por trás das câmeras: criação de videoclipes”, com James Jonathan (Juazeiro/BA); Oficina “Treinamento de Pitch Para Projetos Culturais + Fomento as Cenas”, com Michely Mury (São Paulo/SP); e “Vozes femininas através da escultura – oficina de biomassa” com Carina Lacerda (Petrolina/PE). As inscrições podem ser feitas na Central de Relacionamento do Sesc Petrolina. O valor é R$ 40 para o público em geral e R$ 20 para trabalhadores do comércio e dependentes.

Protocolos – Durante a realização do festival serão adotados protocolos de segurança na prevenção à Covid-19, como distanciamento e uso obrigatório de máscaras. O Teatro Dona Amélia, vai funcionar com a capacidade reduzida em 70% de sua capacidade. Os ingressos para os espetáculos pagos poderão ser adquiridos com antecedência na Central de Relacionamento ou uma hora antes do início dos espetáculos na bilheteria do Teatro Dona Amélia.

Programação (versão para baixar (.pdf), clique aqui):

Serviço: Aldeia do Velho Chico

Data: de 31 de outubro a 13 de novembro

Locais: Teatro Dona Amélia (Sesc Petrolina), Centro Cultural Filhos de Zaze (Juazeiro), Casa Cores e Ilha do Massangano

Oficinas: R$ 40 (Inteira) e R$ 20 (Meia)

Ingressos: Espetáculos no Teatro Dona Amélia – R$ 30 (Inteira) e R$ 15 (Meia); Shows Fabiana Cozza e Almir Rouche – R$ 60 (Inteira) e R$ 30 (Meia); Passaporte Ilha do Massangano (Transporte + Travessia) R$ 40 (Inteira) e R$ 20 (Meia); Passaporte Centro Cultural Filhos de Zaze (Transporte) – R$ 20 (Inteira) e R$ 10 (Meia); Casa Cores – R$ 20 (Inteira) e R$ 10 (Meia); Sesc Lazer – R$ 6 (Inteira) e R$ 3 (Meia)

* As ações em espaços alternativos serão gratuitas

https://www.sescpe.org.br/