Matérias

Processo de impeachment contra o vice-reitor temporário, Valdner Ramos, será iniciado na Univasf

O pedido de impeachment está sendo protocolado pelos conselheiros universitários Bruno Abreu de Melo, Fábio Henrique de Carvalho e Samuel Horácio de Oliveira.

Foto: Reprodução

A comunidade da Univasf tem vivido momentos de turbulência com a gestão temporária do professor Paulo Cesar (reitor temporário).  Dessa vez, após um conjunto de denúncias apontadas por um grupo de estudantes, técnicos e professores, que vão desde desrespeito ao Conselho Universitário a emissão de documentos contraditórios, inicia-se, nessa próxima sexta-feira, o processo de impeachment contra o vice-reitor temporário, Valdner Ramos, na Univasf.

O pedido de impeachment está sendo protocolado pelos conselheiros universitários Bruno Abreu de Melo (representante discente da Univasf), Fábio Henrique de Carvalho (professor de magistério superior da Univas) e Samuel Horácio de Oliveira (discente do Mestrado Profissional em Extensão Rural da Univasf)

Para maior conhecimento, os conselheiros listam algumas denúncias que motivam o impeachment do vice-reitor pro tempore da Univasf:

  • Desde o dia 05 de junho, todas as reuniões do Conselho passam a ser presididas pelo Vice-reitor (05/06, 10/06/ 19/06) e como pode se verificar nas solicitações de diárias e passagens do reitor, sempre agendas solicitadas pelo gabinete, para se ausentar nas referidas datas;
  • O vice-reitor se ausentou da reunião extraordinária do conuni autoconvocada, no dia 30/04;
  • Abandonou a reunião do CONUNI, junto com o reitor, fechando o link, sem motivos e com o quórum mínimo exigido para continuação do próprio CONUNI, no dia 29/05;
  • Das 13 (treze) pessoas que contribuíram para a campanha eleitoral da chapa derrotada, 08 (oito) compõem a gestão do Reitor Pro-Tempore, deslegitimando toda a gestão;
  • Fizeram uma troca abrupta de 90% dos cargos de gestão da Univasf em menos de 45 dias, criando uma ruptura institucional;
  • O vice-reitor Valdner Ramos assina a decisão 35/2020, sobre a rejeição da nomeação dos Pró-reitores temporários pelo CONUNI, dizendo que os conselheiros que votaram pela rejeição optaram por “2. NÃO JUSTIFICAR A NÃO APROVAÇÃO DOS NOMES DOS REFERIDOS PRÓ-REITORES”, o que a própria gravação da reunião em questão pode comprovar que não procede;
  • Até o dia 19 de junho, o vice-reitor teve novamente a oportunidade de retificar a decisão 35, como orientou o parecer da Procuradoria Federal, e se pronunciar publicamente sobre o caso, porém mais uma vez, nada disse, não fez, nem retificou o documento.

Confira abaixo, na íntegra, a denuncia de afastamento do Vice-Reitor

DENUNCIA- AFASTAMENTO DO VICE REITOR DA UNIVASF VALDNER RAMOS- COM ANEXOS (1)