Leitura Crítica

Breve reflexão sobre o dia 26 de maio.

Texto por Aristóteles Cardona Júnior

Aristóteles Cardona Jr.

Este domingo, dia 26 de maio, foi o primeiro em que bolsonarismo decidiu sair às ruas em 2019. SObre este dia, pontuo brevemente algumas reflexões:

  1. Apesar de não terem sido um fracasso, as manifestações da extrema-direita ontem ficaram bem abaixo do esperado por eles.
  2. De toda forma, o ponto mais importante a se analisar não é o quantitativo de pessoas que foram às ruas. Mas o fato de serem as primeiras manifestações mais genuínas do que estamos chamando de bolsonarismo ou, em outras palavras, do neosfacismo. E que ele está em campo e disputando a sociedade de uma forma que, talvez, há 6 anos atrás não esperaríamos.
  3. Por outro lado, ao colocar no centro dos ataques ministros do STF, e principalmente, o chamado “centrão” no congresso, com destaque para o Rodrigo Maia, presidente da Câmara, não deixa de ser mais um elemento a complicar a governabilidade de Bolsonaro e sua turma. E sem tanta gente na rua, o tiro pode ter saido pela culatra
  4. Algumas análises apontam que mesmo com aprovação em queda, o bolsonarismo ating=ja um piso aí com apoio permanencendo por volta de 30 a 33% da população. Se considerarmos que há por volta disso que está num campo oposto, ao menos dentro de uma centro-esquerda, restará outro terço da sociedade em disputa.
  5. Nesta disputa, o argumento da direita são as reformas liberais. Do nosso lado, a luta contra a desigualdade e a defesa de nossa soberania. O grande trunfo deles é estar no governo. A nós, nos resta construir a resistência e a unidade, para, num futuro, retomarmos a maioria.

 

Aristóteles Cardona Júnior – Membro da Rede Nacional de Médicas e Médicos Populares.