Notícias

Covid 19: Academia Pernambucana de Ciência emite nota sobre uso de máscara

Máscaras salvam vidas!

(Foto: Senai / Divulgação)

O uso de máscaras é de grande importância durante epidemias causadas por vírus transmitidos por vias respiratórias. Ainda mais no Brasil, onde a vacinação atinge pouco mais de 25% da população com esquema vacinal completo. Com a chegada da variante Delta do coronavírus, altamente transmissível, é provável que tenhamos um novo aumento do número de casos nas próximas semanas, o que torna necessário acelerar a vacinação, manter o uso de máscaras pela população e o distanciamento entre as pessoas.

A variante Delta causa um considerável percentual de doença assintomática ou com poucos sintomas. Se uma pessoa está usando uma máscara N95, PFF2 ou máscara cirúrgica e alguém infectado com o vírus da COVID-19 tosse, espirra ou mesmo fala por perto, a máscara impede que gotículas com vírus alcancem a mucosa da sua boca e nariz. Essa proteção é essencial durante a pandemia e já foi demonstrada em pesquisas que junto com a higiene das mãos e a vacinação, fazem toda a diferença.

Portanto, chamou a atenção de todo o País o parecer da subprocuradora do Ministério Público Federal, defendendo uma posição que questiona o uso de máscaras de proteção, argumentando que permaneceria indefinido o grau de efetividade do uso de máscaras de proteção contra o vírus da Covid-19. Trata-se de uma posição totalmente equivocada, negando as evidências resultantes das experiências e pesquisas realizadas em todo o mundo e publicadas nas mais conceituadas revistas internacionais.

Em artigo de outubro de 2020, da revista Nature, o autor alerta: a ciência dá o suporte necessário mostrando que o uso de máscaras salva vidas, e mesmo assim o debate continua. Da mesma forma, pesquisas publicadas neste ano de 2021, pela revista Lancet, confirmam que o uso de máscaras está diretamente relacionado com a redução da taxa de transmissão do vírus. Recentemente, uma revisão sistemática de 16 ensaios clínicos publicada em agosto demonstrou o efeito protetor das máscaras N95, PFF2 e máscaras cirúrgicas. É importante que este efeito protetor seja explicado à população, pois as máscaras de tecido não se mostraram eficazes, sobretudo em ambientes fechados.

Cada um deve fazer a sua parte, vacinando-se, higienizando as mãos e usando máscaras. Aos governantes cabe garantir às pessoas o acesso gratuito às máscaras que efetivamente protegem contra a COVID-19 em ambientes fechados, no uso dos espaços coletivos como transporte público, paradas de ônibus e metrô, terminais de integração, entre outros. Estas medidas salvam vidas.

NOTA DA ACADEMIA PERNAMBUCANA DE CIÊNCIAS, em 23 agosto 2021 Grupo temático “Vacinas e Saúde” da Academia Pernambucana de Ciências Fátima Militão, Lúcia Melo, Leda Regis, Anderson Gomes e Anísio Brasileiro

https://www.cpqam.fiocruz.br