Cultura

Pedrinho indica: A Ghost Story/Sombras da Vida.

Deixo observado que as lágrimas da atriz viraram as minhas também, com cenas longas, A Ghost Story é um tapa na alma, com todos trocadilhos possíveis. 

Por Pedro Rogério, Pedrinho, educador, semi cinéfilo

Tem aqueles filmes que a gente assiste e fica circulando na cabeça por um tempo né?! Eu amo quando vejo algo assim e um filme que fez isso comigo foi “A Ghost Story”. Este filme que vai nos assustar, não por o filme ser com um fantasma, mas pela forma como ele vem falar e nos provocar sobre a existência humana.

Lançado em maio 2018, com cerca 1h 32min de duração, com direção do David Lowery, A Ghost Story é sobre um homem recém-falecido que retorna em sua forma fantasma e começa a acompanhar os passos de sua esposa. Lendo assim parece um Ghost do outro lado da vida, mas é além, a forma como ele volta em espectro é aquele do imaginário, quase infantil, com um lençol cobrindo o corpo, na face uma inexpressão que nós ao assistir vamos tentando imaginar e sofrer juntos e juntas de uma forma. Ele (Casey Afleck) e ela (Rooney Mara) formam um casal que vivem um conflito sobre permanecer ou não na casa que futuramente seria o lar quase que eterno dele pós vida.

O fato de a história “girar em torno de um fantasma”, o filme nos convida a questionar o tempo, a vida e a existência humana. Precisa-se comentar que este é um filme contemplativo, aquele filme que precisamos deitar (em momentos em posição fetal) ou bem acomodado para poder digerir. Com quadros muitas vezes parados, destaco aqui uma cena com o quadro parado, que parece que nada acontece, mas está acontecendo tudo, que ela devora uma torta e ele assiste a tudo em sua forma de espectro, são mais ou menos 10 minutos nisso. 

Deixo observado que as lágrimas da atriz viraram as minhas também, com cenas longas, A Ghost Story é um tapa na alma, com todos trocadilhos possíveis. 

O filme está no catálogo da Netflix. 

A Ghost Story/Sombras da Vida (Trailer Legendado)