Notícias

#NãoFoiAcidente: Atingidos por barragens iniciam marcha pedindo justiça

A luta faz parte da jornada de luta “A Vale destrói, o povo constrói”

Foto: Divulgação

#NãoFoiAcidente Atingidos deram início ontem (20), pela manhã a marcha que percorrera 300 quilômetros da bacia do rio Paraopeba por justiça e que faz parte da jornada de luta “A Vale destrói, o povo constrói”. O ato de largada aconteceu em frente ao Tribunal de Justiça de Minas Gerais, onde os atingidos denunciaram a paralisação nos auxílios emergenciais, a falta de assessoria técnica, a impunidade da empresa e a ausência de uma política pública que garanta os direitos dessas populações.

No final do ano passado foi aprovado pela Câmara Federal o Projeto de Lei 2788\19, que institui a Política Nacional de Direitos das Populações Atingidas por Barragens – PNAB para garantir os direitos dos atingidos a reparação integral, indenização e auxilio emergencial no caso de desastres. O PL ainda precisa ser aprovado no Senado e regulamentado.

O ato encerrou em frente a Agência Nacional de Mineração onde os atingidos denunciaram o não cumprimento e falta de fiscalização da Política Nacional de Segurança de barragens. #NãoParemAsbuscas. As informações são da assessoria.

Foto: Reprodução

MAB

O Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) é um movimento nacional, autônomo, de massa, de luta, com direção coletiva em todos os níveis, com rostos regionais, sem distinção de sexo, cor, religião, partido político e grau de instrução.