Notícias

Mesmo depois da seleção, alunos da rede municipal de ensino em Petrolina estão sem aula por falta de professores

“A gestora disse aos pais que não há previsão para o retorno às aulas. A secretária de educação sabe do problema, mas não encaminhou novos professores”, contou Rita Alencar que tem uma filha no 1º ano da Escola Laura Vicuña.

Foto: Emissora Rural

Nesta segunda-feira (19), mães de alunos da Escola Municipal Laura Vicuña procuraram a Comissão de Educação da Câmara de Vereadores para denunciar que os alunos do 1º e 5º anos estão sem aulas por falta de professores. A Vereadora Cristina Costa (PT), presidente da comissão, visitou a escola com duas dessas mães. Na secretaria da escola tomou conhecimento de que não tem professor substituto para os anos que estão sem aula. Uma professora está de licença médica por três meses, e a outra, foi aprovada na seleção municipal, e assumiu o novo posto porque era professora substituta.  Dois requerimentos já foram encaminhados à secretaria municipal de educação, sem resposta até o momento. Com isso, 57 crianças  estão sem aulas e os pais sem respostas da escola.  “A gestora disse aos pais que não há previsão para o retorno às aulas. A secretária de educação sabe do problema, mas não encaminhou novos professores”, contou Rita Alencar que tem uma filha no 1º ano da Escola Laura Vicuña.

Foto: Ascom vereadora Cristina Costa

A deficiência no quadro funcional da escola atinge também a secretaria. Desde julho de 2017, a escola não tem secretário, e o fato já foi comunicado à secretaria pela nova gestora Joelma de Souza Coelho, que assumiu a unidade este ano. Burocracia que dificulta a vida dos profissionais em educação, dos pais, e prejudicam os alunos. Das carências da escola, outra, é a dificuldade de comunicação com os pais. Na unidade não existe telefone fixo, e o único celular é pré-pago, e os créditos não são suficientes para atender a demanda. A filha de Ana Cristina da Silva Holanda, de 10 anos, passou mal na semana passada e a mãe não foi avisada. “Encontrei ela sentada na secretaria, com febre alta, e a escola me disse que não avisou porque o celular estava sem crédito”, contou a mãe indignada.

Foto: Ascom vereadora Cristina Costa

Na Escola Laura Vicuña, que funciona no Centro Maria Auxiliadora de Assistência Pró Menor Carente, no Bairro Gercino Coelho atende mais de 300 crianças da rede municipal de ensino.  A Vereadora Cristina Costa vai tentar se reunir com a Secretária de Educação para saber quando as demandas da escola serão atendidas especialmente com os novos professores. “A Secretaria de Educação fez uma seleção, e porque no mês de março ainda tem escola  sem professores? A bancada de situação rejeitou meu requerimento na sessão da última quinta-feira (15),  onde eu pedi informações sobre professores selecionados e sobre os contratados em  2017. Estão escondendo informações porque estão desorganizados.” Declarou Costa.

 

Assessoria de Imprensa

Vereadora Cristina Costa – PT