Espaço do Leitor

O sangue e a consciência do: preto Nilton… Por Marcos Cesário

Em apoio ao professor da Univasf, Nilton de Almeida, vítima de agressão por um PM, o fotógrafo e escritor Marcos Cesário escreveu esse texto, e encaminhou para o nosso blog. Vale apena conferir.

foto Marcos Cesário

Dia 28 de novembro, o professor da UNIVASF e representante dos movimentos pela consciência negra, Nilton de Almeida, homem negro, saía de sua casa para o trabalho, e, foi abordado por policiais militares que mandaram, com aquela delicadeza conhecida de certos policiais, ele descer da moto, e, depois de abusarem das grosserias verbais, um dos policiais deu um tapa no rosto de Nilton, e, achando pouco: os policiais levaram Nilton para a delegacia por desacato à autoridade. Nilton foi preso porque quis saber o porquê dos insultos e das agressões.

Nilton: teve a infeliz ideia de não abaixar a cabeça e não se intimidar com os covardes que o agrediram e tentavam intimidá-lo.

Nilton: teve a infeliz ideia de desacatar a estupidez e a covardia…

Bem, Nilton está, como é seu direito e dever, mobilizando a sociedade para que a justiça seja justa, e, puna estes covardes agressores. Vamos ficar atentos.

Estes dias, meio por acaso, conheci a letra da música “Eu só peço a Deus”, de Renan Inquérito, e um trecho da música retrata, com convicção, como nossa sociedade ainda é tão desafinada com a coerência : “Quem não tem sangue de preto na veia deve ter na mão”.

Isto: ninguém pode discordar.