Notícias

Poema “Morte e Vida Severina” de João Cabral de Melo neto será encenado no Centro de Cultura João Gilberto

A sessão única acontecerá na concha acústica do Centro de Cultura João Gilberto, dia 13 de setembro, às 20hs.

O poema “Morte e Vida Severina”, clássico do pernambucano João Cabral de Melo Neto, será encenado pelo corpo de atores e bailarinos do Rizoma Grupo de Teatro. A sessão única acontecerá na concha acústica do Centro de Cultura João Gilberto, dia 13 de Setembro, às 20hs.

Na montagem, a trajetória de Severino é contada com teatralidade e elementos do ballet clássico e contemporâneo, o que faz com que a trama ganhe uma roupagem peculiar. E a morte, personagem elementar, participa deste jogo da dança com o teatro e sempre põe em cheque o pleiteio à vida e a melhores condições de existência de tantos Severinos.

A poesia foi escrita enquanto auto de natal, mas que é ampliada para a compreensão da importância da vida em suas diversas fases e faces, dimensões e possibilidades. É um ode à vida desde a sua estética até a única representação da vida que o enredo apresenta.

Foto: Divulgação

Por Iago Setúbal