Coluna K

Curso da UNIVASF sobre o Golpe de 2016 recebe quase 200 inscrições

O curso busca trazer para o espaço acadêmico e comunitário o debate sobre os acontecimentos de 2016 que culminaram no impeachment da presidenta Dilma Rousseff por meio de um golpe, bem como os antecedentes ao fato em tela.

Foto: Reprodução

O Brasil de hoje é um país em que seus cidadãos e cidadãs desconfiam profundamente de suas instituições, cujo apreço pela democracia está em queda e o risco de alienação eleitoral é imenso. É marcado ainda por retrocessos tão velozes quanto pouco compreendidos, por consórcios golpistas, retirada de direitos, e atentados à liberdade de expressão. É neste contexto que se insere o curso de extensão da Universidade Federal do Vale do São Francisco: O Golpe de 2016 e o Futuro da Democracia no Brasil, que terá início no próximo dia 09 de junho (sábado).

Coordenado pelos professores Adalton Marques e Tassia Rabelo, do Colegiado de Ciências Sociais da UNIVASF, o curso contará com a colaboração de professores/as de distintas áreas da UNIVASF e outras universidades da região. A princípio foram disponibilizadas 40 vagas para estudantes e a comunidade em geral. Entretanto, o total de interessados ultrapassou as expectativas dos organizadores que ampliaram o número de vagas para 50, e realizaram um sorteio para definir quais dos 188 inscritos participariam desta primeira edição.

Tendo como objetivo refletir criticamente sobre a realidade brasileira, aprofundar o debate sobre os correntes atentados à democracia, e os riscos atinentes a um possível Estado autoritário, o curso é também parte de um movimento nacional em defesa da autonomia universitária e da liberdade de cátedra. Sua disseminação em todo país foi uma resposta aos ataques promovidos pelo então Ministro da Educação, Mendonça Filho, ao professor da UNB, Luís Felipe Miguel, quando este propôs a realização deste curso na universidade em que leciona.

O curso busca trazer para o espaço acadêmico e comunitário o debate sobre os acontecimentos de 2016 que culminaram no impeachment da presidenta Dilma Rousseff por meio de um golpe, bem como os antecedentes ao fato em tela. A ideia é proporcionar aos alunos o acesso a produção teórica de diversos autores, indo além do que a grande mídia tem veiculado como apenas um processo legal. Os quatro eixos a serem abordados serão: Do Golpe de 1964 à Nova República, O PT e o Pacto Lulista, Democratização de Desdemocratização e o Governo Ilegítimo e a Resistência.