Uncategorized

Coletivo literário de escritoras do Vale do São Francisco lança videobook com poemas que refletem sobre o machismo

Os poemas promovem uma reflexão acerca do machismo, violência contra a mulher, imposição de padrões, maternidade, partindo da vivência diária dessas mulheres autoras.

Foto: arquivo/divulgação

É com a missão de fomentar a participação das mulheres no cenário literário, fortalecer a produção regional e proporcionar o livre acesso às produções literárias, incluindo o público dos não leitores, que o coletivo “Vozes – Mulheres: além das margens”, formado por seis mulheres escritoras e independentes da região do Vale do São Francisco, lança seu primeiro videobook. Bia Camélia, Hannah S. Lima, Milena Santos, Pók Ribeiro, Ruthe Maciel e Yasmin Rabelo dão voz ao coletivo.

O vídeobook “Vozes-Mulheres” é um projeto aprovado no Calendário das Artes 2020, promovido pela Fundação Cultural do Estado da Bahia (FUNCEB), entidade vinculada à Secretaria de Cultura do Estado (SecultBA). A 8ª edição estimulou a produção, criação e fruição das artes de forma totalmente virtual em virtude da pandemia da covid-19 e contemplou propostas de todas as linguagens artísticas geridas pela Funceb.

A coletânea audiovisual reúne oito poemas das escritoras, além de suas biografias, fotografias, texto de apresentação e créditos.  Além de apresentar trechos escritos, os poemas são recitados com toda a expressão vocal de suas autoras. O coletivo acredita que a propagação da literatura por meios digitais é também um meio de atenuar os efeitos danosos causados pelo isolamento social, em razão da pandemia, pois além de entreter, é capaz de levar afeto e afago sonoro. Os poemas promovem uma reflexão acerca do machismo, violência contra a mulher, imposição de padrões, maternidade, partindo da vivência diária dessas mulheres autoras.

“Para mim, em particular, enquanto poeta e pesquisadora da poética de mulheres aqui no Vale do São Francisco, poder ter nosso trabalho produzido assim de forma tão modesta, mas carregado da força e potência de nossas escritas e existências reexistentes foi extremamente motivador, sobretudo, considerando-se o silenciamento e a invisibilidade a que somos submetidas constantemente. Recebemos o resultado com um misto de surpresa e contentamento sem tamanho, justamente, porque sempre esbarramos nessa falta de visibilidade e de acesso à espaços que pudessem promover essa propagação da nossa produção e atuação”, diz Pók Ribeiro, membro-criadora do coletivo e proponente do projeto.

Fotos: arquivo/divulgação

A produção do material foi coletiva, embora remota, com a participação exclusiva das seis poetas componentes do coletivo, sem contratação ou participação de terceiros. Além dos poemas, Pók Ribeiro assinou a direção e a produção, enquanto Bia Carmélia também foi responsável pela criação artística e a edição final.

Vozes – Mulheres: além das margens

O coletivo “Vozes – Mulheres: além das margens” existe desde 2017 e é formado por mulheres escritoras e independentes do Vale do São Francisco. Sob a coordenação da poeta e membro Pók Ribeiro, o coletivo é composto por escritoras e poetas que compartilham suas criações em saraus, mesas e outros eventos literários, sempre na perspectiva de dar voz e visibilidade à produção literária local, feita por mulheres, numa perspectiva de enfrentamento às assimetrias de gênero por meio da palavra.

Assista:

 

Ascom/Thiago Santos